Olá,

Visitante

Impacto da Capacitação dos Profissionais de Saúde no Rastreamento do Câncer do Colo do Útero em Unidades Básicas de Saúde

A qualidade do exame citopatológico do colo do útero é de extrema importância para garantir a funcionalidade de um programa de rastreamento. Para garantir o rastreamento organizado é necessário o preenchimento correto do formulário de requisição do exame citopatológico do colo do útero. Outro ponto fundamental para o sucesso do rastreamento é a adequabilidade da amostra. Objetivo: Avaliar o impacto da capacitação dos profissionais de saúde envolvidos no rastreamento do câncer do colo do útero em unidades básicas de saúde do município de Goiânia-GO. Descrição: Este foi um estudo de intervenção. As variáveis estudadas foram os dados pessoais da mulher, anamnese, exame clínico e identificação do profissional responsável pela coleta, contidas no formulário de requisição do exame citopatológico do colo do útero. Realizou-se avaliação da capacitação dos profissionais por meio da comparação dos formulários referentes ao período janeiro/2007 a abril/2009, antes da capacitação, com os formulários de julho/2010 a dezembro/2012, após a capacitação. Para avaliar o resultado da capacitação utilizou-se o teste Qui-quadrado de Pearson com nível de significância p < 0,05. Resultados: Após a capacitação houve aumento significativo da frequência de preenchimento da escolaridade, de 67,25% para 92,64% (p=0,000), do telefone, de 78,89% para 98,72% (p=0,000). Da inspeção do colo, de 86,84% para 96,65% (p=0,000), e sinais sugestivos de DSTs, de 80,78% para 93,46% (p=0,000). Também houve aumento significativo da frequência de preenchimento da identificação do profissional, de 98,52% para 99,40% (p=0,000). Houve redução da frequência de realização do exame citopatológico no intervalo de menor que um ano (p=0,000) e de um ano (p=0,000). Nos demais intervalos de tempo, houve aumento dessa frequência. Houve redução da frequência de realização do exame citopatológico em mulheres com menos de 25 anos de idade, de 22,02% para 17,99% (p=0,000). Houve aumento significativo da proporção de amostras satisfatórias, de 70,44% para 80,17% (p=0,000). Verificou-se diminuição da ocorrência de fatores obscurecedores. A frequência de dessecamento foi de 2,89% antes da capacitação e de 2,03% após a capacitação (p=0,000). Houve um aumento da representação das células endocervicais, de 79,51% para 88,05% (p=0,000). Recomendações: Conclui-se que após a capacitação, houve melhora expressiva no preenchimento do formulário de requisição, na realização do exame conforme periodicidade e faixa-etária preconizadas pelo Ministério da Saúde e na adequabilidade da amostra. É evidente o quanto é importante qualificar e atualizar os profissionais da atenção básica à saúde sobre as normas e condutas adotadas frente à realização do exame citopatológico para o rastreamento do câncer do colo do útero.

Capacitação de profissionais de saúde no restreamento do colo de útero

Principal

Ariadne Ferreira Amaral

A prática foi aplicada em

Goiânia

Goiás

Centro-Oeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ariadne Ferreira Amaral

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

08 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro