Olá,

Visitante

Humanizando Através das Lentes

As fotografias são tiradas na unidade neonatal, dependendo das condições clínicas dos recém-nascidos, com a presença dos pais e após a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. As roupas e acessórios utilizados para as fotografias são aquelas trazidas pelos pais. Quando necessário, a equipe de pesquisa cede roupas devidamente higienizadas para o recém-nascido. O material utilizado como fundo fotográfico é individual, devidamente higienizado após o uso. Outros acessórios utilizados como cenário são de fácil limpeza, como por exemplos, bola de plástico ou bonecos de plástico. As fotografias são feitas por uma fisioterapeuta (posicionando o recém-nascido) e a por uma fonoaudióloga (fotografando), ambas com especialização em neonatologia. É feita uma entrevista com os pais assim que o recém-nascido interna na unidade neonatal e a mesma entrevista é repetida após a sessão de fotos para avaliar o impacto do uso da fotografia na inserção virtual do recém-nascido da família. A entrevista é realizada por uma assistente social com formação em saúde materno-infantil. É feita uma entrevista com a equipe de enfermagem para avaliar a interação e a aproximação dos pais com os bebes antes e depois da realização das fotos.Resultado esperado – Evidências de que é possível através da fotografia melhorar a interação e a aproximação dos pais com os bebes

O bebê idealizado é construído durante a gestação. Nos primeiros momentos após o parto, o bebê, com suas características, auxilia a mãe a desenvolver o sentimento de competência e confiança em si. Com isso, a distância entre bebê sonhado e o real será menor, e as decepções naturais poderão ser aceitas sem muito sofrimento. Quando o nascimento impõe aos pais uma dura realidade, como por exemplo, um parto prematuro, há um confronto entre o bebe real e o bebe imaginário, gerando decepção para a mãe. Ainda que lenta e gradual, a aceitação dessa realidade é fundamental para o desenvolvimento saudável da criança e da família. Os pais dos recém-nascidos pré-termo não podem contar com a festa social do nascimento, as felicitações dos familiares e amigos. O reconhecimento social da maternidade e parternidade não lhes pertencem. Os pais têm que elaborar neste momento sentimentos de dor, angústia, tristeza. Como a unidade neonatal só permite a visita dos pais e avós, os pais utilizam a fotografia como recurso de inserir este recém-nascido na sociedade. Entretanto, os pais relatam que muitas vezes as fotografias tiradas por eles causam estranheza e certo desconforto por parte dos amigos e familiares. Acreditamos que poderemos aprimorar esta prática e melhorar a interação e a aproximação dos pais com os bebes, promovendo um ambiente acolhedor e facilitador no processo da hospitalização/humanização do cuidado.O Objetivo deste trabalho é apresentar evidências de que é possível através da fotografia melhorar a interação e a aproximação dos pais com os bebes, promovendo um ambiente acolhedor no processo da hospitalização humanizada.

Principal

Adriana Duarte Rocha

chirol@iff.fiocruz.br

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Avenida Rui Barbosa 716

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Adriana Duarte Rocha

Conta vinculada

chirol@iff.fiocruz.br

12 fev 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vivência em atendimento em grupo de portadores de Diabetes Mellitus da Esf Itapuca, Resende, RJ
Rio de Janeiro
Práticas
A descentralização das ações de controle da tuberculose no município de Volta Redonda
Rio de Janeiro
Práticas
O matriciamento de cardiologia e endocrinologia no fortalecimento a atenção à doenças crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
A expansão do processo matricial no município de Volta Redonda – uma experiência exitosa
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no programa de osteoporose de Penedo – Itatiaia (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Sensibilização da APS para o cuidado integral da população em situação de rua da cidade de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Coordenação do cuidado, ordenação da rede de atenção à saúde e o e-SUS AB como ferramenta de gestão
Rio de Janeiro