Olá,

Visitante

Garantia de Imunização em Tempo Oportuno para Crianças Prematuras que NecessitAM Imunos Especiais

Categoria não especificada

A Santa Casa de Irati é referência regional em cuidados intensivos neonatais e em 2022, prestou assistência para 41 recém-nascidos com prematuridade extrema, a média de tempo de hospitalização desses bebês foi de 38,2/dias, dado que colabora com a redução da cobertura vacinal em menores de 1 anos de idade, uma vez que essas crianças davam continuidade ao calendário básico de imunização apenas após a alta hospitalar. Pensando nessa problemática, a Secretaria de Saúde de Irati em parceria com a Santa Casa de Irati, passou a solicitar para todos os bebês internados em UTI e com indicação, a vacina hexavalente, que confere imunidade contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Poliomielite, Infecções por Haemophilus influenzae b e Hepatite B. Deste modo foi possível garantir a proteção desses bebês ainda em ambiente hospitalar, além de colaborar com a completude do esquema básico para menores de 1 ano em tempo hábil, impactando na homogeneidade e cobertura vacinal.

A manutenção de altas coberturas vacinais é um desafio para todas as esferas, desde a Federal até a Municipal, cabe a cada gestor identificar os problemas que impactam na vacinação e elaborar estratégias para resolução, assim, considerando que Irati é sede regional e que possui Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, a preocupação surgiu a partir do questionamento feito sobre o déficit vacinal de bebês que passavam por longos períodos de internação.

A parceria interinstitucional, entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa de Irati possibilitou garantir a aplicação de vacinas especiais, em tempo oportuno, em crianças com indicação pelo CRIE, impactando na homogeneidade e cobertura vacinal.

A parceria entre atenção primária e terciária fortaleceu ações de prevenção de doenças através do Programa Nacional de Imunização. Essa parceria pode ser encorajada em todos os municípios que dispõe de leitos de terapia intensiva para neonatos, pois além de impactar na homogeneidade e cobertura vacinal, o início precoce do trâmite burocrático não tem impactos negativos e nem depende de recursos financeiros, gerando apenas influência positiva na proteção de doenças infectocontagiosas tão graves e em tempo oportuno para crianças que sofrem com uso de tecnologia pesada desde seu nascimento.

Principal

DENISE HOMIAK FERNANDES

Coautores

Jessica Cristina Mattos, Salete V. Mello, Ismary Llanes Casanas

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba