Olá,

Visitante

Fluxo dos pacientes oncológicos atendidos na UNACON da região Noroeste – RJ

Nesse trabalho levou-se em consideração todo o fluxo de atendimento do usuário a partir de seu diagnóstico de neoplasia maligna constatado por exames de imagem prévios e avaliação clínica do profissional médico na atenção primária ou atenção especializada dos municípios. A partir do diagnóstico de neoplasia maligna, foi monitorado e avaliado como se dá a inserção do usuário pelas centrais municipais de regulação no sistema estadual de regulação – SER, com objetivo de dar seguimento a outros procedimentos diagnósticos, os quais são necessários para a confirmação do tipo de câncer, a primeira consulta com o médico especialista e a realização de todo o tratamento necessário, seja ele quimioterápico, radioterápico e/ou cirurgias. Com relação ao fluxo do paciente oncológico foi constatado que o mesmo não estava integralmente de acordo com a legislação vigente e de acordo com as normativas do Sistema Único de Saúde – SUS. A dificuldade de fazer procedimentos diagnósticos necessários para definir o tipo de câncer e posteriormente iniciar um tratamento dentro da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia – UNACON do Hospital São José do Avai na cidade de Itaperuna e de referência regional para a região Noroeste Fluminense do estado do Rio de Janeiro, se mostrou como o problema central desse trabalho, que além do monitoramento e avaliação, foram feitas discussões nos espaços de governança regional para identificar as dificuldades existentes.

Objetivos:
Identificar o fluxo existente dos usuários com diagnóstico provável de neoplasia maligna por exame de imagem no processo regulatório na região Noroeste Fluminense do estado do Rio de Janeiro;
• Descrever a metodologia adotada para o monitoramento, avaliação e organização do fluxo de pacientes oncológicos atendidos na região noroeste do estado do Rio de Janeiro;
• Apresentar os resultados desse trabalho em relação ao paciente oncológico de acordo com o preconizado nas legislações vigentes;
• Apresentar as estratégias desenvolvidas para minimizar as dificuldades encontradas pelo paciente oncológico desde a regulação, procedimentos a realizar e tratamento nos espaços de governança regional;
• Pactuar em âmbito regional o novo fluxo de atendimento para o usuário oncológico na UNACON do Hospital São José do Avai de Itaperuna.

Metodologia:
O presente trabalho se deu devido a fila de espera apresentada pelos municípios nas discussões ocorridas na região Noroeste, de usuários com diagnóstico de câncer. Por conta desse problema, foi criado um grupo de trabalho regional com profissionais do Núcleo de Controle, Avaliação e Auditoria de Itaperuna, Central de Regulação Estadual do Rio de Janeiro e municipal de Itaperuna, coordenação da atenção primária em saúde, apoiador COSEMS RJ, Conselho Municipal de Saúde de Itaperuna representante regional no conselho estadual – RJ e coordenação da UNACON.
Considerando o perfil dos profissionais deste grupo, foi possível observar, monitorar e avaliar todo o fluxo existente para o atendimento do usuário com diagnostico de neoplasia maligna e também com discussões nos espaços de governança dos grupos de trabalho da programação pactuada integrada e regulação, na câmera técnica da CIR (comissão intergestores regional) e na própria CIR, onde foram apresentadas dificuldades tanto para a gestão como para os usuários.
Após identificação de todos os problemas, o grupo de trabalho inicia a discussão para a resolução do problema e posterior construção de um novo fluxo de atendimento.

Dificuldades de regulação para primeira consulta e biópsia do usuário com diagnostico suspeito de neoplasia e necessidade de organização do fluxo regional.

Identificação das dificuldades encontradas para o atendimento do paciente oncológico, que vão desde a inserção no sistema de regulação estadual – SER pelos municípios devido a necessidade de biópsia e alguns exames de imagem que muitas vezes não são realizados pelos prestadores de referência e até mesmo pela própria UNACON regional.
Criação do grupo de trabalho regional para construção de um novo fluxo de atendimento ao paciente oncológico, favorecendo tanto as regulações municipais na inserção no sistema de regulação, como também o usuário.
Apresentação do novo fluxo de atendimento na reunião da CIR Noroeste e pactuação com a criação da Deliberação CIR-NO n°25 de 30 outubro de 2023.
Reunião online entre a coordenação do núcleo de controle, avaliação e auditoria de Itaperuna, superintendência estadual de regulação, coordenação da UNACON regional e coordenação dos exames de imagem do HSJA para definição de inserção de todos os exames necessários ao usuário com chave própria pelo próprio prestador UNACON, de forma a facilitar para o usuário e este ter seu atendimento contínuo de forma mais rápida. Permanecendo a responsabilidade da primeira consulta com as regulações dos municípios.
Capacitação pela coordenação do UNACON com os profissionais médicos, enfermeiros dos municípios e centrais municipais de regulação sobre cada tipo de câncer de acordo com o fluxo criado para a região, que consta de 42 páginas e contém todas as informações necessárias para os profissionais de saúde.

Levar as dificuldades ocorridas pelos municípios para discussão nos espaços de governança regionais e estaduais. Criação de grupo de trabalho para ficar responsável pela discussões e de levar as possíveis soluções para os gestores da região. Melhorar fluxo de atendimento e pactuação deste na CIR.

Principal

D Stefano Marcondes de Lima e Silva

dstefanomarcondes@gmail.com

Enfermeiro Núcleo de controle avaliação e auditoria

Coautores

D Stefano Marcondes de Lima e Silva, Marcelo Poeys Dair, Kátia Andréia de Freitas Souza, Loreni Daneluz da Silva, Jocineia de Souza Rodrigues, Elisabete Teixeira da Silva

A prática foi aplicada em

Itaperuna

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Secretaria Municipal de Saúde de Itaperuna

Rua dez de maio, 893 altos

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

D Stefano Marcondes de Lima e Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

27 mar 2024

e atualizada em

08 abr 2024

Início da Execução

18/01/2023

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Planejamento em Saúde: uma Construção Coletiva.
Paraíba
Práticas
Humanizar para Bem Cuidar: Capacitando Servidores de Santa Luzia para Um Cuidado Digno e Qualificado
Paraíba
Práticas
Monitoramento do Acesso e Avaliação das Ações e Serviços de Saúde na Aps na Melhoria da Qualidade
Paraíba
Práticas
Farol da Saúde: Monitoramento e Planejamento Estratégico em Saúde no Município de Soledade/Pb
Paraíba
Práticas
O Município de Itaperuna Inovando no Acompanhamento, Controle e Avaliação Aos Prestadores de Saúde.
Rio de Janeiro
Práticas
Ações da Gestão Municipal para o Enfrentamento da Pandemia Covid 19 em Quissamã/Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Relato da Cooperação Entre a Prefeitura de Quissamã e a Universidade Federal do Rio de Janeiro -Campus Macaé para o Enfrentamento da Covid 19
Paraíba
Práticas
Projeto e Agora, Gestor?
Paraíba
Práticas
Regulação do Acesso e Planejamento em Saúde: uma Parceria de Sucesso.
Santa Catarina
Práticas
Contratualização na Ses-DF: Resultados da Implantação de Metas nas Regiões de Saúde da Secretaria de Saúde do DF.
Distrito Federal