Olá,

Visitante

Farmácia Viva no SUS – Maurilandia do Tocantins

A Farmácia Viva foi incluída no sistema de saúde pública, visando o uso racional das plantas medicinais na atenção básica do município, resgatando assim, o conhecimento popular e indígena, embasado nos conhecimentos científicos, bem como a promoção dos cuidados ao meio ambiente. Devido ao alto custo dos medicamentos alopáticos e a ocorrência de efeitos adversos, e com a eficácia comprovada das plantas medicinais, houve um crescente interesse da comunidade pelo uso da fitoterapia, assim como, foi notório a necessidade da orientação dos usuários em relação ao seu uso correto. Aliados a esse projeto desenvolvemos um paralelo as necessidades do meio ambiente, onde houve uma maior conscientização da população a respeito dos materiais que são descartados no meio ambiente, trazendo assim, um destino sustentável a essa matéria. Nesse sentido surgiu a proposta de criação do projeto Farmácia Viva.METODOLOGIA: O projeto se dividiu em quatro etapas, sendo que na 1ª etapa foi realizada, uma abordagem por parte dos agentes comunitários onde foram realizadas visitas domiciliares as famílias, havendo a catalogação das principais plantas existentes no município, assim como, o nível de acreditação por parte da população a respeito da fitoterapia.Na 2ª etapa ocorreu a captação dos pneus e garrafas pets dispostos no meio ambiente para confecção dos canteiros.A 3ª etapa foi de orientação da população urbana e indígena quanto ao uso das plantas medicinais.Na 4ª etapa, tivemos a consolidação do projeto, foi realizada a capacitação dos profissionais de saúde e por fim a dispensação das plantas medicinais aos usuários das duas UBS.

Necessidade de implantar a fitoterapia, como tratamento alternativo nas UBS, valorizando a cultura popular e indígena no que tange ao uso das plantas medicinais

Acreditamos que a fitoterapia é uma alternativa viável, se tornando mais barata, além do que, tem uma eficiência comprovada, com menos efeitos indesejados e com grande variedade de matéria-prima. Através desse projeto pudemos incentivar a população resgatando o uso e cultivo das plantas medicinais, sobretudo valorizando e contribuindo para os conhecimentos sobre os fitoterápicos, associando o conhecimento cientifico e popular, além de, conscientizar a população a cerca dos cuidados ao meio ambiente.

Principal

Renato Sérgio de Sá Rocha (99 981314809), Fernanda Lua Marinho Fernandes, Valdany Araújo Bezerra.

renatorocha_dm@hotmail.com

A prática foi aplicada em

RJ

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Maurilândia do Tocantins

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus / Conasems

Conta vinculada

03 dez 2020

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Retomada da Prática de Yoga Como Forma de Promoção À Saúde Após o Advento da Vacinação para Covid 19
Santa Catarina
Práticas
Práticas Integrativas Como Estratégia de Ressignificação do Cuidado em Saúde
Amazonas
Práticas
Práticas Integrativas e Complementares Como Forma de Cuidado Aos Profissionais da Saúde no Município de Natividade
Rio de Janeiro
Práticas
A Terapia Comunitaria online em Volta Redonda : da Implantação aos Resultados em um ano de projeto
Rio de Janeiro
Práticas
Hipnoterapia
Santa Catarina
Práticas
Plantas Medicinais Aromáticas e Aromaterapia
Santa Catarina
Práticas
Programa Coração Saudável
Paraíba
Práticas
Gestão em Serviços de Sáude Pública: Desafios, Cuidado e Autocuidado Deequipes Profissionais e População Através de Espaços Interdisciplinares de Cuidado
Bahia
Práticas
Terapia Comunitária Integrativa – uma Estratégia de Cuidado À Saúde do Trabalhador em Universidade Pública
Bahia
Práticas
Grupo Vida Saudável-Auriculoterapia, Atividades Físicas e Reeducação Alimentar no Combate Á obesidade em São Salvador do Tocantins.
Rio de Janeiro