Olá,

Visitante

Experiências no Enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença em 2018, os Desafios Ante Principais Peculiaridades do Município, Problemas e Desafios da Gestão Local de Saúde

A febre amarela é uma doença infecciosa causada pelo protótipo do membro da família Flaviridae, que tem característica não contagiosa, porém aguda, febril e de duração curta. Suas manifestações variam desde quadros assintomáticos e subclínicos, a formas leves que podem se agravar, levando à morte.A preocupação com o aumento das notificações de Febre Amarela ocorridas no período 2016/2017 no Brasil, e o forte avanço de casos desta doença, em especial no Estado de Minas Gerais, levou a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro colocar a cidade de Valença como “Área Ampliada”, ou seja, município contíguo, construindo assim um cinturão.O Município de Valença tem como característica sua extensão territorial, várias pequenas áreas de mata (MataAtlântica) e uma economia rural, com pequenas e grandes propriedades em toda sua extensão.Em Janeiro de 2018 com o surgimento 1º caso suspeito de Febre Amarela, iniciou uma força tarefa envolvendo toda a Secretaria de Municipal Saúde, assim como, outros setores da Prefeitura Municipal de Valença, com o objetivo de vacinar todas as pessoas do Município.

Apresentar nossa experiência no enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença, elencando a estratégia adotada pela Secretaria de Saúde do Estado e do Município, os números, os resultados obtidos com a “Força Tarefa com Busca Ativa”, e conscientizar da necessidade de ações ininterruptas.

Continuamos com a busca ativa das pessoas residentes no Município de Valença que não puderam vacinar por contraindicaçõesmédicas momentâneas, assim como, estamos alertas aos turistas, estudantes e trabalhadores que estão chegando em nossa cidade, orientando a procurarem o setor de Imunização para tomarem a vacina contra Febre Amarela. Estamos trabalhando com buscas ativas e insistindo no trabalhoconvencimento de certo numero de pessoas que recusam a tomar a vacina por motivos pessoais estranho ao entendimento.

Principal

Soraia Furtado da Graça

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

330610

Uma organização do tipo

Foi cadastrada por

Instituição Privada

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

03 fev 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Primeira Mostra de Experiência da Linha de Cuidado Sobrepeso e Obesidade, Os Resultados Alcançados Pelo Município de Parapuã Sp
São Paulo
Práticas
Compulsão Decisória na Judicialização da Saúde, des estruturando e des afiando o Financiamento Finito do Sistema Único de Saúde
São Paulo
Práticas
Regulação do Acesso À Atenção Especializada: des coberta de um Iceberg e des afios A Serem Superados
São Paulo
Práticas
Fórum Permanente de Embu Guacu: uma Possibilidade de Organização do Cuidado Intersetorial
São Paulo
Práticas
Consultório na Rua: uma Ampliação da Abordagem das Pessoas Vivendo com Hiv/Aids Focando A Adesão
São Paulo
Práticas
Processo Formativo de Apoio em Saúde Mental no Município de Franco da Rocha – Sp
São Paulo
Práticas
Estruturação da Rede de Saúde de Franco da Rocha: Análise do Financiamento das Ações, Por Meio da Transferência de Recursos Obrigatórios e Voluntários ao Município
São Paulo
Práticas
Participação Social na Construção do Planejamento Estratégico em Saúde e do Plano de Educação Permanente no Território de Ermelino Matarazzo/Sp
São Paulo
Práticas
Impactos da Formação de Trabalhadores Sobre Práticas Relativas ao Uso Racional de Medicamentos: Experiência no Contexto do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps)
São Paulo
Práticas
A Assistência Farmacêutica como Veículo de Educação e Economia
São Paulo