Olá,

Visitante

Experiências no Enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença em 2018, os Desafios Ante Principais Peculiaridades do Município, Problemas e Desafios da Gestão Local de Saúde

A febre amarela é uma doença infecciosa causada pelo protótipo do membro da família Flaviridae, que tem característica não contagiosa, porém aguda, febril e de duração curta. Suas manifestações variam desde quadros assintomáticos e subclínicos, a formas leves que podem se agravar, levando à morte.A preocupação com o aumento das notificações de Febre Amarela ocorridas no período 2016/2017 no Brasil, e o forte avanço de casos desta doença, em especial no Estado de Minas Gerais, levou a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro colocar a cidade de Valença como “Área Ampliada”, ou seja, município contíguo, construindo assim um cinturão.O Município de Valença tem como característica sua extensão territorial, várias pequenas áreas de mata (MataAtlântica) e uma economia rural, com pequenas e grandes propriedades em toda sua extensão.Em Janeiro de 2018 com o surgimento 1º caso suspeito de Febre Amarela, iniciou uma força tarefa envolvendo toda a Secretaria de Municipal Saúde, assim como, outros setores da Prefeitura Municipal de Valença, com o objetivo de vacinar todas as pessoas do Município.

Apresentar nossa experiência no enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença, elencando a estratégia adotada pela Secretaria de Saúde do Estado e do Município, os números, os resultados obtidos com a “Força Tarefa com Busca Ativa”, e conscientizar da necessidade de ações ininterruptas.

Continuamos com a busca ativa das pessoas residentes no Município de Valença que não puderam vacinar por contraindicaçõesmédicas momentâneas, assim como, estamos alertas aos turistas, estudantes e trabalhadores que estão chegando em nossa cidade, orientando a procurarem o setor de Imunização para tomarem a vacina contra Febre Amarela. Estamos trabalhando com buscas ativas e insistindo no trabalhoconvencimento de certo numero de pessoas que recusam a tomar a vacina por motivos pessoais estranho ao entendimento.

Principal

Soraia Furtado da Graça

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

330610

Uma organização do tipo

Foi cadastrada por

Instituição Privada

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

03 fev 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância e Controle da Febre Amarela na Coordenadoria Regional de Saúde Sul do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
Sucessus 2018: Nossa Equipe É Show! – Valorização do Trabalhador do SUS e das Experiências Inovadoras no Cuidado em Saúde na Região de Vila Prudente/Sapopemba, Município de Sp
São Paulo
Práticas
Experiência de des institucionalização: o Resgate da Cidadania e da Dignidade no Relato de Profissionais e Pacientes
São Paulo
Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo