Olá,

Visitante

Estratégias para o Fortalecimento Das Ações de Imunização no Município de Atibaia

Categoria não especificada

As vacinas tem o objetivo de estimular o sistema imunológico, promovendo a produção de anticorpos que combatem os agentes infecciosos, como vírus e bactérias, evita enfermidades, incapacidades e mortes por doenças preveníveis. A redução da ocorrência dessas doenças é bem sucedida quando a cobertura vacinal está elevada e homogênea e este é um desafio para a saúde pública visto que tais doenças ameaçam voltar em decorrência das baixas coberturas. Diante desse cenário verificou-se a necessidade de adotar estratégias para melhorar as coberturas vacinais de rotina. A rede pública do município conta com 16 salas de vacinas (10 em área urbana e 6 em área rural) todas são informatizadas e possuem câmaras próprias para imunobiológicos, entretanto durante os finais de semana e feriados prolongados as unidades rurais encaminham as vacinas para o almoxarifado devido às quedas constantes de energia elétrica, além disso há 6 salas de vacinas privadas. Os desafios para a vacinação identificados foram problemas de organização do processo de trabalho como falta de acesso, quadro de profissionais insuficiente, ausência de capacitação constante, rotatividade de profissionais, desinteresse do profissional pela sala de vacinas, outras atividades na unidade de saúde concorrendo com a vacinação, perda de oportunidade de vacinar por falta de documentos como comprovantes de endereço, busca ativa de faltosos insuficiente. Em relação a infraestrutura das salas de vacinas e logística, algumas unidades em que o espaço físico necessita de adequações, além disso, quando há queda de internet prejudica o registro das doses no sistema. As falsas contra indicações, desinformação associada aos movimentos anti vacinas, circulação de fake news contribuem para a hesitação vacinal. As estratégias de fortalecimento das ações de imunização incluíram a realização de capacitação para agentes comunitários de saúde para leitura de caderneta de vacinação, implantação de instrumentos de busca ativa, a abertura de um Centro Permanente de imunização, ampliação do horário das unidades básicas de forma gradual, realização de vacinação itinerante. Além dessas ações foram realizados dias D de vacinação, vacinas nas instituições, uso das mídias sociais, envio de mensagem via Whatsapp informando sobre o atraso na dose de covid, além de informações sobre as ações de vacinação que iriam ser realizadas durante a semana, com apoio da Secretaria de Educação foi implantado o certificado de vacinação para ser apresentado nas escolas, inicialmente com a rede municipal e posteriormente no ensino infantil da rede privada. As ações realizadas pelo município contribuíram para a melhoria das coberturas vacinais do ano de 2022 em relação a 2021, além de melhorar o vínculo entre a população e a unidade. A elaboração da planilha de busca ativa foi uma ferramenta importante para auxiliar as unidades nesse processo, visto que as fichas espelhos foram abolidas com a implantação do sistema de informação, entretanto o software atual (E-Sus APS) não fornece relatórios para esta finalidade, assim como o certificado vacinal a ser entregue nas escolas foi um meio para a atualização das cadernetas das crianças e dessa forma aumentar as coberturas para que se atinjam as metas preconizadas.

Os principais desafios para a vacinação identificados foram problemas de organização do processo de trabalho como falta de acesso, quadro de profissionais insuficiente, ausência de capacitação constante, rotatividade de profissionais, desinteresse do profissional pela sala de vacinas, outras atividades na unidade de saúde concorrendo com a vacinação, perda de oportunidade de vacinar por falta de documentos como comprovantes de endereço, por exemplo, busca ativa de faltosos insuficiente. Em relação a infraestrutura das salas de vacinas e logística, algumas unidades em que o espaço físico necessita de adequações, além disso, quando há queda de internet prejudica o registro das doses no sistema, desabastecimentos de algumas vacinas, os sistemas de informação de vacina tem interferido nas coberturas vacinais visto que o sistema do E-Sus APS não exporta em tempo hábil para o SI-PNI. As falsas contra indicações, desinformação associada aos movimentos anti vacinas, circulação de fake news contribuem para a hesitação vacinal. Outro item é que muitas pessoas tentam sanar as dúvidas pelas redes sociais e não procuram as unidades de saúde para uma avaliação da situação vacinal. Além disso, outra dificuldade é que as informações relacionadas à imunização não chegam de maneira uniforme para toda a equipe.

As estratégias de fortalecimento das ações de imunização incluíram a realização de capacitação para agentes comunitários de saúde para leitura de caderneta de vacinação, implantação de instrumentos de busca ativa, a abertura de um Centro Permanente de imunização com funcionamento das 07 às 19 horas inclusive aos finais de semana e feriados por um período de 8 meses, ampliação do horário das unidades básicas de forma gradual, realização de vacinação itinerante em feiras, supermercados, escolas, rodoviária, centro de reciclagem, áreas rurais, em eventos de grande circulação de pessoas e centro comercial. Além dessas ações foram realizados dias D de vacinação, vacinas nas instituições, uso das mídias sociais, envio de mensagem via Whatsapp informando sobre o atraso na dose de covid, além de informações sobre as ações de vacinação que iriam ser realizadas durante a semana, com apoio da Secretaria de Educação foi implantado o certificado de vacinação para ser apresentado nas escolas, inicialmente com a rede municipal e posteriormente no ensino infantil da rede privada. Quanto ao desabastecimento das vacinas cabe ao Estado e a União realizar o planejamento para que os municípios não sejam prejudicados.

As ações realizadas pelo município contribuíram para a melhoria das coberturas vacinais do ano de 2022 em relação a 2021, além de melhorar o vínculo entre a população e a unidade. A elaboração da planilha de busca ativa foi uma ferramenta importante para auxiliar as unidades nesse processo, visto que as fichas espelhos foram abolidas com a implantação do sistema de informação, entretanto o software atual (E-Sus APS) não fornece relatórios para esta finalidade, assim como o certificado vacinal a ser entregue nas escolas foi um meio para a atualização das cadernetas das crianças e dessa forma aumentar as coberturas para que se atinjam as metas preconizadas.

Principal

PATRICIA ALEXANDRA SILVA SILVEIRA

Coautores

Larissa Sanae Funatsu Heloisa Cristiane Bordin Grazielle Bertolini

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba