Olá,

Visitante

Estratégias para melhoria da cobertura vacinal de Itabaianinha com parcerias intersetoriais – SE

A imunização é uma das estratégias mais eficazes e seguras de prevenção oferecida gratuitamente pelo SUS a toda população. Para garantia do acesso e cumprimento do calendário nacional de vacina em todo território de saúde, é proposto como meta pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) uma cobertura vacinal mínima de 90 a 95% da população. Esses imunobiológicos são administrados em todas as fases da vida de acordo com o calendário proposto, principalmente durante o primeiro ano de vida para garantia da imunidade adquirida ou reforço do imunizante. Entretanto, a cobertura vacinal vem sofrendo uma queda, fazendo com que, muitas vezes essa meta não seja cumprida. Ao analisar o município de Itabaianinha, pertencente a Regional de Saúde Estância, do estado de Sergipe, percebeu-se uma baixa cobertura em relação ao proposto pelo ministério, bem como, a necessidade de integrar os serviços da assistência à saúde com a assistência social do município, envolvendo o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Conselho Tutelar, a Secretária de Comunicação, e Secretaria de Educação. Desse modo, para sanar a problemática elencada, foram realizadas estratégias como forma de atingir a meta estabelecida pelo PNI, assim, o município iniciou com o rastreamento das crianças com pendências vacinais dispostas pelo calendário nacional. Para tanto, utilizou-se o eSUS Feedback, o qual é uma ferramenta conveniada de inteligência artificial que permite a informatização de dados de saúde para a gestão e planejamentos das ações no município, mediante a identificação, monitoramento, acompanhamento e validação dessas informações. Essa ferramenta além da identificação dos faltosos, disponibiliza informação do imunizante e dose que estão em atraso, bem como o responsável por este indivíduo e a unidade de saúde está vinculada, facilitando assim a busca pela regularização vacinal. Foi criada também uma rede integrada e intersetorial com os serviços citados anteriormente para a garantia do cumprimento da meta de vacinação, assim, foram realizadas reuniões internas com os representantes desses serviços conduzidos pela secretária de saúde do município, a fim de estabelecerem fluxos de trabalho, capitação, monitorização e responsabilização setorial. Diante do acompanhamento rotineiro dos dados informatizados, observou-se que com as execuções das ações houve o aumento gradativo em cada mês da cobertura vacinal dos imunizantes de primeira infância em Itabaianinha durante o ano de 2022. Por fim, o trabalho intersetorial implementado no município, juntamente a análise dos dados do e-SUS Feedback tem se mostrado efetivo para alcance das coberturas de rotina, sendo assim, implementado como uma estratégia continua no município.

O município de Itabaianinha encontrava-se com uma cobertura vacinal abaixo da meta estipulada pelo Ministério da Saúde. Diante da problemática identificada o primeiro ponto de análise realizado foi o levantamento real do quantitativo de crianças adscritas no município no ano de 2021. Ao realizar esse levantamento percebeu-se que havia uma divergência de dados em relação aos cadastros das crianças, ao qual havia um número superior ao número de crianças que atualmente residiam no município. As principais causas identificadas que influenciaram diretamente no número divergentes da população infantil do município foram cadastros duplicados, inconsistências das informações, crianças que não residiam mais no município, mas que ainda estavam cadastrados na área. Além disso, havia localidades na zona rural distantes da unidade física influenciando para que esses usuários buscassem o município vizinho para que realizasse essa imunização, ao invés da sua unidade de cadastro.

O município de Itabaianinha montou uma equipe de profissionais cujo objetivo principal era alcançar as metas de cobertura vacinal. A equipe foi composta pelas seguintes coordenações municipais: de imunização, vigilância em saúde, atenção primária à saúde, responsável técnica pelos sistemas de informação da APS e enfermeira da imunização, a qual também teve apoio das equipes de estratégia de saúde da família de cada área. A primeira etapa de estratégia realizada foi identificar o quantitativo real de crianças que residiam no município. O levantamento foi feito através do sistema de nascidos vivos (SINASC) e das planilhas de nascidos vivos que são entregues mensalmente pelas equipes de saúde, como também, foi solicitado aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) o quantitativo de crianças de acordo com a faixa etária e a busca ativa dos cadastros desatualizados, crianças sem cadastros, duplicação e a desvinculação das crianças que não residem mais no município. A partir da identificação do quantitativo real, iniciou-se o monitoramento dos dados vacinais do município diariamente, através do sistema eSUS Feedback, o qual é uma ferramenta conveniada de inteligência artificial que permite a informatização de dados de saúde para a gestão e planejamentos das ações no município, mediante a identificação, monitoramento, acompanhamento e validação dessas informações. O eSUS Feedback também possibilita a identificação das crianças com atraso vacinal sinalizando o imunizante e dose que está em atraso, bem como, a qual unidade de saúde esse indivíduo está cadastrado, logo, facilitando a regularização vacinal. O monitoramento dos dados é feito a partir dos cadastros das crianças por equipe de estratégia de saúde da família de acordo com o eSUS Feedback. Tais dados são confrontados com as informações vacinais do prontuário eletrônico (ESUS-PEC), obtendo dados mais reais da situação vacinal. Posteriormente, foram elaborados relatórios das crianças que estão sem registro de vacinação no ESUS-PEC e enviados as equipes para realizarem a busca ativa e regularização da situação vacinal com prazo pré-estabelecido, sendo a equipe responsável também por fazerem a devolutiva. Com esses dados em mãos, os ACS conseguiam localizar e solicitar o cartão de vacinação dessas crianças para que a equipe pudesse avaliar e definir se a irregularidade estava sendo ocasionada pelo atraso vacinal ou falta de registro no sistema de vacinação. Ressalta-se que em meio as informações referente a redução da cobertura vacinal no território brasileiro, a secretaria de saúde de Itabaianinha recebeu ainda uma recomendação da promotoria de justiça do município, a qual, solicitou que fossem notificados creches, berçários, centros de educação e escolas do município de Itabaianinha, principalmente as de ensino infantil, para que fossem verificados se os alunos matriculados nesses estabelecimentos estavam com a caderneta de vacinação regular. Esse trabalho estendeu-se também a nível intersetorial da saúde com a secretaria municipal de assistência Social, com participação do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Conselho Tutelar, Secretária de Comunicação e Secretaria de Educação. Diante da recomendação a Secretaria de Saúde notificou as redes citadas, reunindo os representantes de cada órgão para uma reunião interna para discussão dos fluxos de trabalho para melhoria da cobertura vacinal do município. Outra medida de fortalecimento das estratégias foi a parceria realizada entre a coordenação de imunização, vigilância em saúde e a secretaria de educação. Tal parceria ocorreu mediante a presença desses colaboradores da saúde na jornada pedagógica a convite da Secretaria de Educação, assim, reunindo todos os trabalhadores da educação afim de sensibilizá-los sobre a importância da imunização na vida das crianças e adolescentes dentro da comunidade escolar. Na oportunidade, foi discutido e apresentado o cronograma das visitas nas escolas com datas e turno, solicitando o apoio dos colaboradores da educação para efetividade das ações. Para realização dessa estratégia com eficácia, foi realizado uma parceria com o Programa saúde na escola (PSE). Essa colaboração estendeu-se mediante a visita na rede privada e pública com a finalidade de identificar os faltosos e regularizar a caderneta de vacinação, assim como, para a realização dessa ação, foi elaborado um termo de autorização para pais e responsáveis autorizando que a criança fosse imunizada dentro da comunidade escolar com as vacinas de rotina; os pais e responsáveis que não autorizavam a participação das crianças na ação, eram orientados que buscassem a unidade de saúde mais próxima de sua localidade para verificar a situação vacinal do menor. Por fim, a equipe de saúde também sinalizava ao conselho tutelar do município para o acompanhamento desses casos. Foi realizado uma reunião envolvendo todos os trabalhadores da Atenção Primária a Saúde abordando sobre a temática de imunização. Na oportunidade, esteve junto também o Conselho Tutelar, apresentando o fluxo de trabalho entre eles e a saúde e quais estratégias seriam realizadas para conscientizar pais e responsáveis resistentes a imunização, vindo também a esclarecer dúvidas do processo de trabalho do conselho nesse processo. Desse modo, também foi realizado a ampliação do horário das salas de imunização, por meio do programa saúde na hora. Essa estratégia ocorreu em duas unidades de saúde, a Maria Francisca de Santana e José Nailson Moura, o que possibilitou o atendimento do público que não tem acesso as salas de vacinação durante o dia, devido a carga horária trabalhada, assim, permitindo a abertura da sala de vacina até às 21h00. Outra estratégia implementada foi a elaboração e entrega mensal de cronogramas de ações de imunização das equipes para a comissão desenvolvida de imunização. Esse cronograma surgiu da necessidade que a gestão possuía de monitorar e acompanhar as ações de imunização que as equipes de saúde da família realizavam nos territórios adscritos mensalmente, sendo assim, o cronograma possibilitou o planejamento de estratégias de acordo com a realidade de cada localidade. Também foi desenvolvido em parceria com o Núcleo de Educação permanente do município capacitações para os profissionais de saúde, sobre boas práticas e calendário de vacinação, bem como, a forma correta da informatização do registro da vacina, como os dados são validados e dúvidas que podem ocorrer no momento do registro. E por fim, foi realizado a massificação sobre imunização nos meios de comunicação sobre as ações e campanhas, como forma de conscientização e sensibilização da importância da vacinação para a sociedade na promoção e prevenção a saúde coletiva e individual. Essa estratégia foi impulsionada juntamente com a secretária de comunicação do município, realizada em redes sociais, anúncio em carro de som e programa de rádio. Desse modo, com as estratégias estabelecidas é possível verificar no quadro 3 uma redução do quantitativo de crianças, igualmente, um aumento da cobertura em 2022. Essa redução no quantitativo relaciona-se com a organização dos cadastros pelos ACS (duplicidade, atualização e desvinculação da área), e o aumento da cobertura relaciona com a busca ativa assertiva e estratégias monitoradas com apoio intersetorial. Essas estratégias obtiveram êxito principalmente pelo comprometimento dos profissionais na execução dessas ações.

Diante das ações executadas observou-se aumento de forma gradativa, apresentando melhoria a cada mês das coberturas vacinais de rotina do município durante o ano de 2022, através da realização do monitoramento e execução de estratégias na busca do público-alvo. O trabalho intersetorial implementado dando continuidade no ano de 2023, tem se mostrado efetivo para alcance das coberturas de rotina do referente ano, vindo a ser realizado em conjunto com o monitoramento de dados para maior efetividade das coberturas. Além disso, percebeu-se também a dedicação das equipes de estratégia de saúde da família para o alcance da meta em comum a todos, fortalecendo assim a relação de união entre as equipes, como também a conscientização da população acerca da importância da imunização para a prevenção de doenças.

Principal

SUELLY LIMA DOS SANTOS

Coautores

LETICIA SANTOS SANTANA , ANA CELIA SIMÕES NASCIMENTO, JOSEFA NAYARA DOS SANTOS SOARES , MARIANA CRUZ SOARES , INGRID ALICIA LIMA FONSECA

A prática foi aplicada em

Itabaianinha

Sergipe

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

28 fev 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba