Olá,

Visitante

Estratégias de imunização garantindo proteção e diversão a crianças e adolescentes em Catuipe

Categoria não especificada

A secretaria municipal de saúde de Catuipe reunida com a equipe de planejamento e sala de vacinas, analisando os indicadores de desempenho das equipes de Estratégia de Saúde da Familia , decidiu realizar um dia D extra no território, em 19 de novembro de 2022, a fim de elevar o indicador vacinação , tendo em vista os baixos percentuais atingidos nos quadrimestes de 2022, aproveitando a realização da Copa do Mundo de Futebol como estratégia principal. A finalidade seria promover a atualização da caderneta vacinal das crianças, e fazer um chamamento aos adolescentes para realizarem a vacina HPV dentro do periodo adequado preconizado pelo Ministerio da Saúde. Na reunião realizada a discussão principal seria qual estratégia adotar para que a campanha tivesse um boa adesão, e para tanto, surgiu a idéia de agregar um trabalho intersetorial, como a Secretaria de Educação enviando bilhetes e avisos aos pais, na mochila dos estudantes e lembretes via whatsssap nos grupos escolares. A estratégia principal foi disponibilizar brinquedos infláveis , presença de super heróis , a distribuição de pacotes de figurinhas da Copa do Mundo, esta sendo no auge da procura pelas crianças para completarem o álbum alusivo a copa, de acordo com a faixa etária da criança puderem receber chocalhos, mordedores, figurinhas e copo Bola personalizado da Copa do Mundo representando o Brasil com vacina. A ação deste dia D foi um sucesso, filas se formaram para esperar a vacina, crianças de todas as idades foram vacinadas e adolescentes levaram seu álbum para colar a tão desejada figura logo após sair da sala de vacinas. Foi um dia divertido, de muitas fotos, envolvimento das equipes de trabalho e um resultado acima do esperado, o que nos mostrou que investir em ações eficientes precisam ser sempre prioridade, podemos oferecer proteção e aliar diversão ao mesmo tempo, sobretudo realizando a prevenção de doenças para a nossa população catuipana através da vacina realizada.

A vacinação é um desafio para as equipes de sala de vacina, pois se observa que nos últimos anos houve uma baixa na procura pela imunização, como as pesquisas no Brasil já mostram ser multifatorial, entre os motivos está a crença de que a vacina é eficiente mas falta tempo para comparecer ao serviço de saúde, ou mesmo a dificuldade de completar o esquema vacinal levando em consideração estar aplicada antes de ter um surto da doença. Completar o esquema das cadernetas de vacinação das crianças principalmente, apesar de muitas estratégias pensadas, tem sido motivo de angústia e um dos maiores desafios dos profissionais de saúde. A queda importante na procura por imunização aconteceu principalmente com a pandemia por coronavírus, mas o compromisso dos responsáveis por parte da população também diminuiu. Desde então estratégias intersetoriais tem sido discutidas incentivando a população de alguma maneira a fim de comparecer ao serviço de saúde e garantir a vacina aplicada. A partir da pesquisa ImunizaSus, podemos pensar como primeira estratégia, investir em ações que mostrem o histórico de erradicações de doenças através da Imunização. Continuar realizando reuniões de discussão e planejamento, mas a pesquisa também nos mostra que podemos investir em nosso município na educação pelas mídias sociais, no estudo da história da vacinação nas escolas através das ações do Programa Saúde na Escola, e dar visibilidade as conquistas de saúde obtidas a partir do alcance da cobertura vacinal e os riscos que a falta dela pode acarretar, como um problema de relevância grande, como problema de saúde pública. Sabemos que é um grande desafio, mas podemos começar na educação, fazendo ações de orientação e esclarecimentos, mostrando que as campanhas de saúde são eficientes e favorecem a população promovendo a garantia de imunização e o controle dos riscos de doença. A vacinação precisa voltar a ser vista como segura, eficiente e caminho principal para prevenção de surtos, assim como foi determinando para o controle dos agravos durante a pandemia por coronavírus.

Estratégias como fortalecer e qualificar a equipe de Imunização são muito eficientes para o desenvolvimento das campanhas de vacina. É necessário apresentar dados epidemiológicos, estar atendo as necessidades de cada momento de risco epidemiológico , realizar um bom planejamento estratégico e capacitar as equipes para que consigam sensibilizar a população pela procura da imunização. Geralmente os responsáveis pela sala de vacinas no município são equipes reduzidas, que trabalham para dar conta de uma demanda muito grande de público, com diferentes campanhas de saúde, pensando em diferentes faixas etárias. O surgimento de novas doenças tem sobrecarregado os setores, por isso, importante fortalecer as equipes, disponibilizando outros profissionais que podem trabalhar de acordo com a Imunização destas ações extras do calendário vacinal, como por exemplo a Vacinação contra a Gripe, no caso do nosso município. A equipe de sala de vacinas pode traçar estratégias de trabalho de acordo com o critério de cobertura vacinal. Podem ser mobilizados e capacitados os Agentes Comunitários de Saúde, para que façam busca ativa para atingimento deste índice. O trabalho estratégico conjunto com a secretaria de educação, para que no momento da matricula da criança seja solicitado a declaração de vacinação em dia, servindo como documento obrigatório na efetivação da mesma. As equipes mais junto as escolas, propondo ações de orientação aos pais e as crianças divulgando a importância da imunização, pois informação gera conhecimento, e oferece esta orientação como alternativa abordagem e aos poucos mudar a percepção errônea da sociedade de que vacinar não é bom. Manter as ações de saúde que promovem chamamento do publico para vacinação, oferecer programações estratégicas de acordo com as faixas etárias de cada campanha e garantir financiamento para que se realizem é importante. Investir em capacitações para as equipes, educação permanente e a troca de experiencias de forma regional com regularidade, proporciona possibilidades de avançar na proposta de trabalho e oferecer um serviço de qualidade com atenção voltada ao bem estar da população. Mostrar que vacinas salvam vidas e evitam problemas de saúde futuros.

Ações de estratégicas em saúde são importantes a fim de proporcionar a proteção através da cobertura vacinal. Os territórios de saúde possuem particularidades, as vezes uma população mais vulnerável, que deve ser priorizada, mas entre tudo, neste processo de trabalho devem ser discutidos as formas de avanço no caminho para a conquista dos resultados. A população precisa ser acessada e sensibilizada sobre a importância da vacinação, que não funciona como medicamento de forma curativa, mas eficientemente como prevenção de doenças e surtos epidemiológicos. Todos os profissionais juntos planejando o território e estratégias intersetoriais podem ser desenvolvidas. Vacina é uma questão de saúde de todos, deve ser pensada por todos os entes gestores, podendo contribuir para mudar o cenário pós pandemia, de forma que a ideia de eficiência e proteção volte a ser acreditada e aplicada. Por fim, sabemos que não será fácil, mas podemos reverter a situação em ações conjuntas, com engajamento e se necessário abordaremos a questão histórica, que talvez seja a hora de ser relembrada, para que as doenças já erradicadas pela vacina, não sejam motivo de preocupação novamente em meio a tantos outros episódios de saúde que a população tem vivido, principalmente durante a pandemia e mais recente a Dengue. A avaliação dos dados e das pesquisas proporciona um olhar adequado, com mais atenção ao território. Quando a equipe e a gestão conseguem discutir e se articular através dos resultados, existe uma melhoria no processo de trabalho e isso implica em ações mais eficientes, na sua integralidade. Refletir sobre as dificuldades promove crescimento e nos mostra onde devemos manter o foco e qual caminho diferente podemos optar se for necessário para alcançar o objetivo, vacina boa é vacina aplicada.

Principal

Vanessa Witczak Zambon

Coautores

Vilmar Fucilini, Alessandra Bueno

A prática foi aplicada em

Todos os Estados (Norte)

Norte

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

13 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro