Olá,

Visitante

Efeito da Busca Ativa de Pessoas com Diabéticos para Consulta e Controle de Hemoglobina Glicada: Previne Brasil

Após instituído o Programa Previne Brasil, e os resultados apresentados na primeira avaliação em 2020, a ESF Vila Esperança iniciou a efetivação de estratégias para melhoria dos indicadores, neste caso, o indicador sete, percentual de diabético com solicitação de hemoglobina glicada. Ao final do primeiro quadrimestre de 2020, o Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB) disponibilizou a avaliação dos indicadores, com lista nominal dos usuários que estariam presentes no denominador informado, e quais destes estavam no numerador, e o número de usuários no denominador estimado. Neste primeiro momento iniciou a busca ativa por todos os 33 usuários presentes no denominador informado, para efetivar a consulta e a solicitação de exame. Dando sequência ao trabalho, foi escolhida uma microárea aleatória para iniciar os agendamentos de consultas para todos os usuários adstritos naquele local com intermédio da Agente Comunitária de Saúde (ACS). Com a liberação da informação do segundo quadrimestre, observado o crescimento do indicador, foi ampliando a estratégia para todas as microáreas gradativamente. Paralelo em todos os atendimentos na UBS foi adotado a estratégia de perguntar se portador de diabetes mellitus, realizava-se a investigação da última consulta de acompanhamento e da hemoglobina glicada. Se ausentes, o usuário era encaminhado para consulta do enfermeiro ou médico. Concomitante, a equipe foi orientada em relação aos registros das informações pertinentes.

Complementando, a Portaria 3.222 de 10 de dezembro de 2019 (BRASIL, 2019), define sete indicadores que são considerados para fins de pagamento por desempenho, no âmbito do Programa Previne Brasil. Destes, o sétimo indicador está relacionado ao acompanhamento do usuário portador de Diabetes mellitus: VII – percentual de diabético com solicitação de hemoglobina glicada. Ao final do primeiro quadrimestre de 2020, o Ministério da Saúde (MS) disponibilizou os dados referentes aos indicadores do município, por ESF, sendo números bem abaixo do preconizado. Considerando o indicador relacionado ao acompanhamento do portador de DM, com hemoglobina glicada, o município de Tubarão alcançava 9% da população estimada, e a ESF Vila Esperança 15 %. Diante da realidade apresentada esta UBS em especial, que é umas das maiores do município, tomou a iniciativa de identificar os principais fatores limitadores, que foram, falhas no registro, limitação do acesso e falta de acompanhamento ativo dos usuários adstritos e intervir na prática.

O envolvimento da equipe multiprofissional na busca ativa de indivíduos diagnosticados com diabetes mellitus, para um atendimento e acompanhamento na UBS Vila Esperança demonstrou a importância de todos os membros da equipe como parte do processo de mudança, em busca da efetividade e resolutividade dos serviços de saúde na APS. Reafirmou o descrito na literatura sobre rastreamento dos usuários com doença crônica em sua área de abrangência, para o alcance da melhoria do cuidado continuado. Além disso, mostrou que uma estratégia acessível e trivial é capaz de transformar indicadores de saúde e, inclusive, colaborar para o alcance das metas preconizadas pelo MS bem como, aperfeiçoar o processo de trabalho em busca da garantia do cuidado integral, centrado no indivíduo, longitudinal e resolutivo.

Principal

Vanessa Venancio da Silva

vanessa.enfermeiratb@gmail.com

A prática foi aplicada em

Tubarão

Santa Catarina

Sul

Instituição

Rua Altamiro Guimarães, 1109

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Fernanda Geraldo Valgas

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A Experiência do Programa Consultório na Rua no Município de Maricá
Rio de Janeiro
Práticas
Ambulatório de Follow Up: aolhimento, humanização e cuidado qualificado aos bebês de risco do município de Rio das Ostras
Rio de Janeiro
Práticas
A Atuação das Redes de Atenção À Saúde da Família em Volta Redonda-Rj: Relato de Experiência.
Paraíba
Práticas
“A Utilização da Cartografia Como Método para Diagnósticos de Territórios com Concentração de População em Situação de Rua: a Experiência do Consultório na Rua de Niterói”
Rio de Janeiro
Práticas
Melhoria no Acesso
Rio de Janeiro
Práticas
Facilitando o Acesso
Pernambuco
Práticas
Elaboração do “Livro de Receitas Regionalizado” Adaptado ao Grupo de Diabéticos do Cruzeiro Novo – Distrito Federal
Distrito Federal
Práticas
Sasi – Sistema de Atendimento Á Saúde Bucal Indígena
Rio de Janeiro
Práticas
Hipertensão e Diabetes – Equipe Multidisciplinar para Redução de Agravos e Cuidado Diferenciado
Rio de Janeiro
Práticas
Busca Ativa/Tratamento em Domicílio e em outros Estabelecimentos Não Convencionais no Enfrentamento Aos Desafios do Programa de Combate ao Tabagismo no Município de Macuco-Rj
Rio de Janeiro