Olá,

Visitante

“Declaração de Vacinação”: uMA Estratégia de Comprovação Vacinal de Estudantes que Deu Certo

Categoria não especificada

A vacinação é uma intervenção de elevado benefício em relação ao seu custo. A redução de incidência de algumas doenças revela mudanças importantes que ocorreram com uso de imunobiológicos e no alcance de elevadas coberturas vacinais ao logo dos anos. Entretanto, a heterogeneidade dos resultados obtidos, verificada principalmente, nos últimos cinco anos, contribui para a reintrodução de algumas doenças imunopreveníveis e requer adoção de estratégias adicionais para o resgate e vacinação das pessoas não vacinadas (BRASIL, 2022). Baseado nessa premissa foi lançada uma estratégia pela Central de Vacinas do município de Uberaba, localizado em Minas Gerais (MG), com início durante o mês de setembro de 2022, cujos objetivos foram aumentar a cobertura vacinal e atingir as metas preconizadas da vacinação de rotina, pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), que se encontravam em declínio nos últimos anos. Desta forma, foi criado o documento de comprovação vacinal denominado de “declaração de vacinação” como uma estratégia para orientação, incentivo e atualização do cartão vacinal de crianças e adolescentes na rede municipal de ensino. Este comprovante foi emitido por profissionais da enfermagem, nas salas de vacinas do município em foco, após verificação do cartão vacinal individual de cada criança na unidade de saúde. Tal estratégia substituiu, no edital de matrículas e rematrículas escolares, a cópia do cartão de vacinas, que era solicitada até então, porém sem ação de orientação no momento em que eram recebidas pelos profissionais da educação, mesmo quando haviam doses em atraso. Ressalta-se quanto à implementação da estratégia que haviam dois tipos de documentos em função da não obrigatoriedade da imunização: uma declaração afirmando que a criança ou adolescente estudante estava com todas as doses em dia, e outra em que demonstrava doses em atraso e condicionava o acompanhante como maior responsável e orientado desta criança ou adolescente estudante, caso houvesse recusa da imunização. Ademais, atrasos identificados pelo profissional de saúde na sala de vacinas, seguiu- se com orientações sobre as vacinas a serem atualizadas, as doenças imunopreveníveis e a importância da vacinação. Evidenciou-se um aumento em cerca de 52,08% na aplicação de vacinas do calendário de rotina já durante o primeiro mês em que o projeto estava vigente, e em cerca de 56,87% no segundo mês totalizando um crescimento na procura de doses em média de 54,47%, índice comparado com a média dos meses anteriores do ano de 2022. A estratégia se mostrou efetiva e atualmente, segue em implementação em outros setores com públicos diversos do município referido. A mensuração desse impacto na vacinação municipal está sendo objeto recentemente, de estudos científicos, com a finalidade de inspirar, estimular e auxiliar a implantação da estratégia utilizada para outras cidades. Além disso, outras iniciativas estão sendo utilizadas pela referida Central de Vacinas, buscando sempre pela adequação das coberturas vacinais e maior imunização da população. BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis. Informe Técnico: Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação para atualização da Caderneta de Vacinação da criança e do adolescente, 2022.

A partir dos resultados obtidos nesta pesquisa foi possível realizar a reflexão sobre os inúmeros problemas e desafios atuais da imunização em nosso Município. Desta forma, continuamos elencando as prioridades e lançando mão de modificações em estratégias como essa para dar resolução aos nossos maiores desafios.

Citamos neste trabalho duas ações que fortaleceram de forma significativa às ações e processos de imunização em nosso município: – O documento de comprovação vacinal e o Projeto Vacina Aqui. Apresentamos em nosso resumo os dados já obtidos pelo documento e esperamos o quanto antes apresentar também dados significativos sobre o Projeto Vacina Aqui, que tem feito a diferença nos processo atual de imunização em nossa cidade.

A estratégia do projeto do documento de comprovação vacinal, descrito neste trabalho, mostrou-se efetiva e agora está sendo colocada em prática em outros setores e com públicos diversos do município. A mensuração desse impacto na vacinação municipal está sendo objeto atualmente de estudos científicos, com a finalidade de levar a ideia da estratégia utilizada para outras cidades. Além disso, outras iniciativas estão sendo utilizadas pela Central de Vacinas de Uberaba – MG, como o Projeto Vacina Aqui, que tem o objetivo da adequação das coberturas vacinais e levar a imunização àqueles que tem dificuldades para adquiri-la. Acreditamos que em breve teremos novos dados para apresentação destas novas estratégias que tem modificado o contexto atual da imunização em nosso município.

Principal

Priscilla Ramos de Queiroz Amaral

Coautores

Kellen Campos Castro Moreira, Daniela das Chagas Silva, Guilherme Teodoro Martins , Mariana Guimarães Mila, Thaís Barbosa Correa Teixeira, Fernanda Coimbra Licio, Valdilene Rocha Costa Alves

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
REGULAÇÃO EM URGÊNCIA CARDIOVASCULAR FRENTE A REDUÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE EM CAJAZEIRAS – PB
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba