Olá,

Visitante

da Peregrinação À Humanização da Assistência Pré-Natal: organização do Fluxo, Ampliação do Acesso e Humanização do Atendimento Às Gestantes do Município de Riachão do Jacuípe – Ba

ObjetivoQualificar a assistência pré-natal com um modelo que amplie o acesso às gestantes com melhoria da qualidade, controle, organização do fluxo de agendamento de exames laboratoriais, USG e consulta obstétrica especializada, sem fila de espera.MetodologiaPara organização do fluxo e ampliação do acesso às gestantes do município se deu por meio da implantação do Sistema de Regulação – SISREG, que permitiu a oferta dos exames laboratoriais básicos, e no mínimo 3 exames de USG sem fila e agilidade no atendimento. Posteriormente, a Gestão Municipal firmou contrato com a maternidade local e a Secretaria de Saúde do Estado ampliou o contrato já existente tornando possível a ampliação da equipe multiprofissional e o investimento em ambiência com aquisição de leitos PPP e outros equipamentos para estimular e apoiar a mulher no trabalho de parto normal. Desde então, foi possível realizar a assistência pré-natal da gestante de risco habitual vinculando-a precocemente a maternidade de referência.

A assistência pré-natal realizadas pelas 11 ESF no município de Riachão do Jacuípe, distante 183 Km da capital do Estado da Bahia, não garantia a realização de exames laboratoriais básicos, exames ultrassonográficos e avaliação medica especializada, quando necessário, em tempo e quantidade que tornasse resolutiva a assistência prestada. Dentre outros equipamentos de saúde, existia uma unidade hospitalar com vocação materno infantil que atendia a demanda obstétrica, porém com dificuldades para manter equipe e manutenção geral, em virtude do sub financiamento, gerando grandes vazios assistenciais e a peregrinação das gestantes, com transferências ‘desnecessárias’ para unidades de maior complexidade. Assim sendo, fez-se necessário o fortalecimento da rede Cegonha, com ampliação do acesso, maior resolutividade, vinculação das gestantes e humanização da assistência, reduzindo o fluxo para unidades de maior complexidade.

A gestação e o parto são eventos fisiológicos perfeitos. Faz-se necessário um olhar mais atento de modo que seja possível garantir e qualificar a assistência pré-natal, ampliando o acesso, tendo maior controle e qualidade do fluxo, humanização a assistência, evitando intervenções desnecessárias por meio da participação de uma equipe que adote uma atitude ética e solidária. o Município tem um modelo de saúde voltado para assistência da gestante, parturiente e puerpério humanístico.

Principal

Juliana da Silva Carneiro

A prática foi aplicada em

Bahia

Nordeste

Instituição

Riachão do Jacuípe

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vivência em atendimento em grupo de portadores de Diabetes Mellitus da Esf Itapuca, Resende, RJ
Rio de Janeiro
Práticas
A descentralização das ações de controle da tuberculose no município de Volta Redonda
Rio de Janeiro
Práticas
O matriciamento de cardiologia e endocrinologia no fortalecimento a atenção à doenças crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
A expansão do processo matricial no município de Volta Redonda – uma experiência exitosa
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no programa de osteoporose de Penedo – Itatiaia (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Sensibilização da APS para o cuidado integral da população em situação de rua da cidade de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Coordenação do cuidado, ordenação da rede de atenção à saúde e o e-SUS AB como ferramenta de gestão
Rio de Janeiro