Olá,

Visitante

Criança Sorriso: Saúde Bucal na Escola.

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: Este projeto iniciou no ano de 2007 e tem como objetivo reduzir o índice de cárie dentária nos escolares, diminuindo com isto o número de dentes perdidos, a dor e o medo de ir ao dentista. Almejando ainda, trazer a família para dentro deste contexto, enfatizando a conscientização do cuidado da nossa saúde bucal. DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: Baseado na coleta de dados referentes ao Índice CPO-D simplificado, realizado pela primeira vez no ano de 2008, referente ao ano de 2007. Que nos apontou altos valores de CPO-D e ceo-d, realizando assim um planejamento estratégico situacional do nosso município, algumas ações foram instituídas como, escovação supervisionada e bochecho com flúor (flúor apenas para os escolares a partir dos seis anos), a cada 15 dias nas escolas do município, com crianças de 2 a 12 anos. Palestras educativas com temas voltados a saúde bucal, rodas de conversa, jogos, filmes, e demais atividades lúdicas pertinentes a cada faixa etária atendida. Para a realização das escovações nas escolas são distribuídos, pela secretaria municipal de saúde, escovas dentais e fio dental para cada criança. Os cremes dentais para uso no projeto são entregues a secretária de cada escola. A troca das escovas é realizada a cada 6 meses. A escovação supervisionada, no início do projeto, era realizada por dois grupos de profissionais, em um grupo estavam a Dentista e a Técnica em Saúde bucal e no outro grupo estavam as Agentes Comunitárias de Saúde que foram capacitadas pela equipe de saúde bucal para desenvolver esta atividade. Os dois grupos intercalavam a atividade realizando a cada 15 dias. Juntamente com estas atividades de prevenção e promoção de saúde eram oferecidos atendimentos odontológicos aos escolares duas vezes na semana. As crianças para atendimento eram selecionadas e chamadas pela equipe de saúde bucal, e então o motorista da saúde ou um motorista da educação traziam estas crianças até a Unidade de Saúde para atendimento, em geral era um número de 5 a 8 crianças por turno, manhã e tarde. Após o atendimento elas eram levadas de volta para a escola. O controle da necessidade de vir mais vezes para atendimento clínico era feito com base nos dados coletados no índice CPO-D e ceo-d. Foram realizadas explanações nas assembleias de pais e mestres das escolas, para mostrar a realidade da saúde bucal destes escolares as suas famílias. E despertar a preocupação com a saúde bucal da criança. Nestas palestras eram feitas orientações em saúde, dúvidas eram respondidas e ocorria troca de ideias, no intuito de melhorar a qualidade da saúde bucal destes escolares. INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS: Porem para saber se o projeto estava tendo resultado, realizamos novamente o índice de CPO-D aos 12 anos para avaliar nossas ações. Este índice é realizado no início do ano letivo nas escolas do município. O CPO-D mede a experiência de cárie na dentição permanente, e vem sendo largamente utili

O município de Tigrinhos possui 1.757 habitantes, segundo dados IBGE, destes 417 são crianças matriculadas nas escolas do município, em idade escolar. Considerando que a cárie dentária ainda se constitui um importante problema de saúde pública, desenvolvemos no município de Tigrinhos um projeto de saúde bucal nas escolas juntamente com o atendimento clínico na unidade de saúde, aonde contemplamos todos os escolares, sendo 284 dessas crianças com idade de 2 a 12 anos o público alvo deste trabalho.

Através da analise dos resultados, podemos concluir como um trabalho intersetorial entre escola, saúde e família é importante para obter bons resultados. E conscientizar a população sobre a importância de cuidar da saúde da boca. Trabalho este realizado de forma gradativa e planejada, com continuidade de ações. Resultando agora, em uma atividade mais de prevenção e promoção, do que recuperação de saúde destes escolares.

Principal

Júlia Maria Spessato Zanco,Elisiani Janara Neu

odontologiatigrinhos@gmail.com

A prática foi aplicada em

Tigrinhos

Santa Catarina

Sul

Instituição

R. Felipe Baczinski, 503

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Júlia Maria Spessato Zanco,Elisiani Janara Neu

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba
Práticas
Projeto Hidrovida: a utilização de terapia aquática como forma de tratamento para idosos com doenças osteomusculares.
Paraíba
Práticas
Assistência multiprofissional aos portadores de hipertensão e diabetes mellitus de uma UBS de Belém do Brejo do Cruz – PB: relato de experiencia
Paraíba