Olá,

Visitante

Construção do Grupo Hiperdia: uma proposta baseada na educação interprofissional

Para efetuar a criação do grupo hiperdia houve a participação de toda a equipe de saúde da família, principalmente as agentes comunitárias de saúde que selecionaram no cadastro quais eram os pacientes hipertensos e diabéticos e dentre estes pacientes, buscaram quais tinham interesse de participar do grupo, tendo em vista que alguns pacientes não fazem uso do posto de saúde por utilizarem planos de saúde particulares ou empresariais.
Foram convidados 784 usuários hipertensos e/ou diabéticos do cadastro da unidade para participarem do grupo por uma hora/semana a cada 3 meses. Os interessados foram divididos em grupo dentre as 8 microáreas, e ao participar recebem orientações referentes à alimentação, hidratação, atividade física, lazer e medicação, e firma individualmente um contrato de autocuidado, com objetivos a se cumprir até o próximo encontro, saindo com a consulta médica agendada, alternando com o grupo.
Realizamos também parcerias intersetoriais com Ouvidoria da Saúde, Cerest, com a disponibilização de nutricionista, fisioterapeuta e psicóloga, os quais capacitaram toda a equipe ESF Cidade Alegria, desde funcionários da limpeza até a gerência, para que a linguagem utilizada por todos fosse igual, onde quer que este paciente Hiperdia passe para ser atendido, todos estão capacitados a dar o mesmo tipo de orientação.

O número de casos de HAS e DM cresce cada vez mais em idade precoce e a adoção de hábitos de vida mais saudáveis é uma boa estratégia de controle destas doenças. A educação em saúde possibilita que o profissional de saúde possa participar da vida dos portadores das doenças crônicas como a hipertensão e o diabetes discutindo medidas de prevenção ou redução dos agravos decorrentes dessas doenças.
Em abril de 2018, após conseguirmos uma equipe completa de Agentes Comunitários de Saúde, foi possível mapear os pacientes hipertensos e diabéticos, que hoje totalizam quase 900 pacientes, cerca de 20 % dos nossos usuários e começar a pensar em estratégias para promoção e prevenção. Seis meses após a chegada das agentes comunitárias começamos os preparativos para o inicio do grupo de Hiperdia, iniciando parcerias (10/2018) e iniciando as capacitações (dez/2018)
Especificamente para os pacientes hipertensos e diabéticos, eram feitas palestras e ações pontuais, como tenda de verificação de HGT e aferição de pressão arterial e orientações nutricionais, em dias como 26 de abril, dia nacional de combate a hipertensão arterial e 14 de novembro, dia mundial do diabetes. Foram realizadas também palestras com nutricionistas durante o ano, orientando sobre alimentação e obesidade, grupo de tabagismo, dentre outras ações. Mas a necessidade dos nossos usuários Hiperdia iam além dessas ações.

O Diabetes Mellitus e a Hipertensão Arterial Sistêmica são responsáveis pela primeira causa de hospitalizações e de mortalidade no Sistema Único de Saúde. O Grupo Hiperdia vem estimulando a transformação tanto dos profissionais em sua atuação, com ações educativas, quanto dos usuários que procuravam o serviço de saúde somente para prescrição de receita ou em crises hipertensivas e hiperglicêmicas.
A partir da prática compartilhada em uma perspectiva interdisciplinar, houve redução do trabalho fragmentado, maior adesão dos usuários ao tratamento, compreensão da importância da mudança de hábitos para além do acompanhamento medicamentoso, com adoção do estilo de vida mais saudável, incluindo alimentação e atividade física.

O Grupo Hiperdia tem contribuído para o acompanhamento periódico dos usuários diabéticos e hipertensos, colocando-os como protagonistas, reconhecendo a autonomia e singularidade de cada um na produção social de sua saúde, favorecendo o aumento da capacidade de resposta às suas necessidades, sendo observada menor demanda de crises na USF.

Principal

Rodrigo Leal da Silva

enf.rodrigoleal@gmail.com

enfermeiro

Coautores

Rodrigo Leal da Silva Veronica Alves Martins Michelle Viana Couto Cristina Camôes Sampaio Neves Marcia Cristina Cardoso Monteiro Ferraz Rayana Oliveira Lima Batista

A prática foi aplicada em

Resende

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua das Samambaias, S/N, Cidade Alegria, Resende - RJ

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Rodrigo Leal da Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

01 abr 2024

e atualizada em

01 abr 2024

Início da Execução

10/12/2018

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba