Olá,

Visitante

Carreta da saúde: estratégia para imunização em zonas rurais do município de Tailândia(PA)

Tailândia é um município localizado no estado do Pará, a 260 km da capital Belém, com população estimada pelo IBGE – (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) de 111.554 habitantes em 2021. A História de Tailândia foi marcada por muitos conflitos, desde o início de sua fundação. O nome da cidade por exemplo, foi escolhido em comparação aos conflitos que ocorriam no país asiático Tailândia, que passava por uma guerra civil e de fronteiras. Tailândia era conhecida por ser um município violento, com muita fumaça e índices de desmatamento elevados. A economia da cidade girava em torno da extração de madeira, porém, o município buscou outras formas de economia, como agricultura, pecuária, cultivo e plantio de dendê. Áreas desmatadas passaram por reflorestamento, instalaram-se indústrias, cooperativas, empresas terceirizadas, contribuindo diretamente para criação de empregos para o município. A agricultura familiar se consolidou e está presente em todas as comunidades do município. O município possui somente instituições públicas de saúde. Não dispõe de hospital próprio. A rede municipal é composta por: Ambulatório Médico Especializado- AME, Unidades de Saúde da Família, Equipe CTA/SAE, SAMU, Equipe ‘’Melhor em casa”, Caps e Carreta da Saúde. Todas as unidades de saúde possuem sala de vacinação com funcionamento diário de oito horas, sendo seis unidades de saúde na zona urbana e três unidades na zona rural. Além de um ponto fixo de vacinação no AME que atende as demandas de todas as localidades do Município, tanto Zona Urbana, quanto Zona Rural, sem intervalo para o almoço, porém mesmo com essas estratégias há dificuldades de alcance de grande parte da população. A cobertura de Atenção básica está reduzida, em torno de apenas 33%, a qual dificulta ainda mais o alcance de melhores coberturas vacinais. O alcance de coberturas vacinais é essencial para evitar o adoecimento da população. A vacinação é uma estratégia simples de prevenção que contribui com a diminuição dos gastos, evita gravidade e consequentemente óbitos.

O município de Tailândia possui em torno de 35 comunidades localizadas na Zona Rural e ainda presta assistência de Saúde a outras 42 comunidades, as quais não pertencem ao município, porém devido a localização e por estas situarem mais próximas do município, todas são acolhidas e assistidas na saúde do município, incluindo as ações de imunização. Trata-se de um grande desafio atender esses munícipes, visto que a carreta percorre todo o limite territorial de Tailândia, tornando-se basicamente um dos únicos serviços prestados a essas comunidades pertencentes a municípios vizinhos. Além de problemas como hesitação vacinal, cobertura deficiente, o município possui zonas rurais bem distantes da cidade e das unidades de saúde. Além disso, com o clima amazônico, apresenta meses de chuvas intensas nos meses de janeiro a abril, prejudicando o acesso da população pelos ramais, vicinais e ao longo de estradas que dão acesso ao centro da cidade. Muitos desses locais não possuem acesso a internet, rádio ou TV, situação esta que dificulta a divulgação de informações relativas às ações de saúde.

A Carreta da Saúde iniciou suas ações em 2017 com propósito de levar saúde às populações mais distantes e dar suporte a rede de saúde existente no município, possibilitando a oferta de consultas médicas, atendimentos odontológicos, exames, testes, através de ações itinerantes, prestando assistência tanto nas zonas rurais do município, quanto em diversos bairros da cidade. A carreta garante o acesso à saúde da população e tornou-se também uma importante estratégia de fortalecimento de imunização do município, pois possibilitou a oferta de vacinação de rotina, de campanhas nacionais de vacinação contra Influenza, Sarampo, Poliomielite e principalmente a vacina contra Covid-19, pois durante a pandemia levar esse imunizante até as comunidades mais distante do município permitiu com que essa população não se deslocasse para o centro da cidade, facilitando o recebimento do imunizante pela população da zona rural. Além disso o atendimento ofertado pela Carreta da Saúde ocorre às sextas-feiras, sábados e domingos, o qual tornou-se uma importante estratégia para garantir a imunização as pessoas que não tinham possibilidades de imunizar-se durante a semana, devido trabalho, estudos e/ou questões pessoais. A Carreta da Saúde esteve presente em mais de 140 localidades no ano de 2022, entre pontos estratégicos na cidade, como em feiras do agricultor, nos bairros mais distantes do Município e na Zona Rural. Entre as localidades da zona rural beneficiadas com atendimento foram: Distrito de Palmares, Vilas Olho D´Água, Nazaré, Águas Claras, Turí-Açú, Auí-Açú, Vila Nova Israel, Bom Remédio, Rajada, Boa Esperança, Santa Maria, Santa Luzia, Deus Proverá, Casa de Tábua, Borba Gato, Urucuré. Estas Vilas possuem acesso a diversos ramais e vicinais do Município, facilitando o acesso da população. Como a comunicação na maioria desses locais é deficiente, mesmo as pessoas que não possuem acesso à informação relativo ao cronograma da carreta, tem a oportunidade de usufruir dos serviços e de imunizar-se, pois a Carreta permanece no local de acordo com a necessidade de atendimento da população. Durante o ano de 2022 foram realizadas um total de 6.488 vacinas contra a Covid-19, sendo 658 vacinas de primeiras doses, 1.160 segundas doses, 2.329 reforços, divididos entre primeiro, segundo e terceiro reforço. Foram realizadas 1.708 primeiras doses de vacinas pediátricas contra Covid-19 e 561 segundas doses. Houve a oferta de 1.385 vacinas contra Influenza e 469 vacinas de rotina. Totalizando 8.342 vacinas aplicadas pela equipe itinerante.

Todas as ações relacionadas a imunização são válidas para ampliar a cobertura vacinal nos municípios do território brasileiro. Precisamos utilizar os serviços existentes no Município estabelecer parcerias e fortalecer a intersetorialidade, assim podemos ampliar a oferta da vacinação em outros locais que não seja somente a unidade Básica de Saúde. É importante que seja facilitado o acesso para o recebimento dos imunizantes, possibilitando a oferta em horário de intervalos, em locais estratégicos, nas zonas rurais, de acordo com a realidade de cada Município, através da identificação das principais dificuldades encontradas e suas particularidades, traçando objetivos, enfrentando desafios, com vistas a melhoria da cobertura vacinal.

Principal

Flavieli Francischeti Ramos

A prática foi aplicada em

Todos os Estados (Norte)

Norte

Esta prática está vinculada a

Projeto ImunizaSUS

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

29 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba