Olá,

Visitante

Capacitação dos Profissionais de Saúde para a Melhora da Qualidade de Vida do Paciente.

Atender com uma melhor técnica e eficiência refletindo qualidade de saúde de cada indivíduo. O processo de educação permanente pode facilitar o envolvimento de todos os profissionais e proporcionar uma troca de saberes, uma reflexão das práticas de serviço, consequentemente, ocorre uma interação maior de toda a equipe e uma melhoria no processo de trabalho. É importante que todos os profissionais conheçam as práticas educativas para que sintam motivados em participar do processo de EPS e utilizar ferramentas que buscam a reflexão crítica sobre as práticas de serviço, sendo, por si só, uma prática educativa aplicada ao trabalho que possibilita transformações nas relações, nos processos de trabalho, nas condutas, nas atitudes, nos profissionais e até mesmo na equipe (CAROTTA et al, 2009). Diante de toda essa vivência prática, tomei a iniciativa de fornecer igualitariamente a mesma capacitação não apenas aos profissionais do nosso Município (São Pedro da Aldeia), mas a todos os profissionais do nosso país que fazem a Atenção Domiciliar acontecer. Creio que a capacitação de todos os profissionais do SUS desse nosso Brasil refletirá diretamente em nosso município também. Em algum momento esse usuário que se encontra adoecido em algum Estado numa hora ou outra, ele voltará para o seu município de residência, a questão é, e se for morador do meu? Será que os profissionais de saúde atenderão tão bem quanto os meus que são capacitados? E por que não capacitá-los? Diante de tais fatos, o start foi gerado e as capacitações nacionais aconteceram.

Capacitar os profissionais do país, quanto a melhora do atendimento domiciliar. Diante de uma pandemia onde a frase que ecoava da boca de todos nós, foi: Fique em casa! O cenário favoreceu aos pacientes debilitados para o atendimento em casa, com esse olhar de humanização no tratamento, será que os profissionais do SUS foram capacitados para essa missão? Eles levam um trabalho com toda a segurança no conforto do lar? O processo de educação permanente em saúde implica a reflexão sobre a conjuntura e as contingências institucionais, sob o ponto de vista ético e político. Deve estar centrado no processo de promoção, desenvolvimento integral e no contexto da equipe, baseando-se nos problemas do processo de trabalho, levando a reflexão e autocrítica. Para Davini (2009) a educação permanente no trabalho se transforma em um instrumento dinamizador da mudança institucional, facilitando o entendimento, a apreciação e a aceitação do modelo de atenção indicados pelos novos programas, priorizando a busca de opções contextualizadas e integradas para o cuidado da população assistida. Dessa forma, “saberes, habilidades e valores deverão ser apropriados pela equipe no contexto do trabalho, para que ela possa desempenhar suas atividades de forma satisfatória para todos – profissionais e comunidade” (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000, p.11). O nivelamento dos profissionais que desempenham o serviço de atendimento domiciliar no Brasil para a melhora da qualidade dos atendimentos domiciliares, descentralizando o ambiente hospitalocêntrico.

Após a proposta de um Sistema Único de Saúde (SUS) capaz de romper com antigos conceitos de saúde e doença, voltados somente para a cura. Essa estratégia surgiu para o fortalecimento de toda a Rede, sugerindo uma nova dinâmica na forma de organização dos serviços e ações de saúde e possibilitando maior racionalidade na utilização dos níveis de maior complexidade assistencial, bem como o resgate da relação de compromisso e de co-responsabilidade entre os profissionais de saúde e usuários dos serviços.A Educação Continuada ou Permanente têm como finalidade melhorar o estado de saúde da população mediante a construção de um modelo assistencial baseado em promoção, proteção, diagnóstico precoce, tratamento e recuperação da saúde em conformidade com os princípios e diretrizes do SUS.De acordo com Lima (2005) o PSF é uma estratégia de assistência à saúde que surgiu em substituição ao antigo modelo adotado pelo Sistema Nacional de Saúde. Em sua prática, procura implementar novas práticas de atenção a saúde, inovando os conceitos sobre saúde e doença e voltando-se para a permanente luta pela saúde e qualidade de vida da população.A Capacitação através de palestras em âmbito estadual visa uma padronização no atendimento prestado ao usuário pelas equipes multiprofissionais para atender a todas as necessidades da população nas diferentes áreas da saúde e, assim, colocar o profissional frente aos reais problemas do indivíduo, família e comunidade capacidando-os para sanar essas dificuldades.

Principal

Hélio Ricardo Pereira

helio.ric.pereira@gmail.com

A prática foi aplicada em

São Pedro da Aldeia

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Av Getúlio Vargas 354

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Hélio Ricardo Pereira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar de escolares com necessidades especiais
Paraíba
Práticas
A educação permanente dos profissionais de enfermagem como estratégia no enfrentamento à dengue
Paraíba
Práticas
Oficina de atualizacao dos cadastros para melhoria da cobertura vacinal em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Educação em gênero no SUS e a proteção integral à mulher em situação de violência na atenção primária
Paraíba
Práticas
Era uma vez, apresentando uma história de cuidado e amor – a importância da educação vacinal desde o berço
Paraíba
Práticas
Estratégia de comunicação pública voltada à saúde no ambiente digital em Campina Grande
Paraíba