Olá,

Visitante

Apoio À Saúde da Família: Ampliando a Resolubilidade Através da Lógica do Apoio Matricial em Brasilândia do Tocantins-To.

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: A implantação do NASF III no município foi precedida de uma ampla e detalhada análise de situação de saúde, considerando os principais problemas que atrapalhavam a efetivação do modelo de atenção usuário-centrado. Dessa forma, o principal objetivo dessa intervenção foi aumentar a resolubilidade das Equipes de Saúde da Família e a capacidade de compartilhar e fazer a coordenação do cuidado, mediante o apoio matricial de especialistas, no desenvolvimento de ações básicas de saúde.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:- criação do grupo Vigilantes do Peso formado pelos trabalhadores da saúde, com acompanhamento direto e sistemático da nutricionista do NASF e apoio dos demais membros do NASF

O Município de Brasilândia do Tocantins está localizado na região noroeste central do Estado do Tocantins. Tem o cerrado como cobertura vegetal principal e está distante da capital Palmas 235 km cujo acesso principal se dá pela BR-153. Possui população de 2.166hab e sua economia baseia-se pincipalmente na agricultura e na pecuária.O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) é uma proposta recente do Ministério da Saúde (Portaria GM nº 154, de 24 de janeiro de 2008, republicada em 4 de março de 2008) (Brasil, 2008) que utiliza o conceito de Equipe de Referência e Apoio Matricial e a criação do NASF III é mais recente ainda, sendo instituído em 2012 pela Portaria GM nº 3.124. Trata-se de uma equipe interdisciplinar que tem como função principal apoiar a Equipe de Saúde da Família, para que esta aumente sua resolubilidade. Embora os profissionais do NASF possam fazer atendimento individual, a atividade não é entendida como prioritária. Em Brasilândia, o NASF III foi implantado no segundo semestre de 2013, com formação inicial: Psicóloga, Nutricionista, Fisioterapeuta e Educadora Física. Em 2014, houve uma reformulação em sua composição, entrando uma assistente social em substituição da educadora física. Desde sua implantação, o NASF tem desenvolvido ações do tipo: 1- Atendimento compartilhado, para uma intervenção interdisciplinar, com troca de saberes, capacitação e responsabilidades mútuas, gerando experiência para ambos os profissionais envolvidos. 2- Intervenções específicas com os usuários e/ou famílias, com discussão e negociação a prioricom os profissionais da equipe de Saúde da Família responsáveis pelo caso e 3- Ações comuns desenvolvidas de forma articulada com a equipe de Saúde da Família, como o desenvolvimento do projeto de saúde no território, planejamentos, apoio aos grupos operativos, trabalhos educativos, de inclusão social, enfrentamento da violência, ações junto aos equipamentos públicos, como escolas, creches, conselho tutelar, igrejas, etc. A maioria das ações são desenvolvidas na perspectiva intersetorial, principalmente com o CRAS.

A estratégia do NASF é absolutamente aplicável e replicável, por se tratar de uma proposta inovadora e que contempla a interdisciplinaridade voltada para a garantia da integralidade horizontal da atenção à saúde. O financiamento é realizado por repasse fundo a fundo e pelo fundo municipal de saúde. Ainda não há tempo suficiente, considerando o período de implantação do NASF em Brasilândia, para avaliarmos impactos, mas, empiricamente, podemos perceber avanços e melhoria da assistência individual e coletiva prestada no município, com a institucionalização de ações de promoção da saúde e estímulo ao protagonismo dos sujeitos.O NASF é uma experiência de utilização do conceito de Equipe de Referência e Apoio Matricial. Evidentemente alguns problemas estruturais, como a escassez de serviços especializados, induzem sua utilização equivocada de forma substitutiva, por exemplo: o apoio de um fisioterapeuta a uma equipe de saúde da família não substitui um centro de reabilitação, empobrecendo o atendimento e dificultando a compreensão da sua função. Além disso, na medida em que outros serviços especializados ainda não praticam o Apoio Matricial, o trabalho das equipes do NASF é maior, tanto pelo aprendizado mútuo quanto pelo isolamento que a atenção primária experimenta na relação com a rede assistencial. O grande desafio é portanto, fazer com que essa estratégia inovadora e resolutiva, seja efetivada, conseguindo promover a transformação necessária do modelo de atenção à saúde centrado na produtividade, no hospital, na doença, na cura e na visão medicocêntrica, em um modelo usuário-centrado, baseado nas necessidades do indivíduo e coletividade, voltado para o fortalecimento da educação e promoção da saúde com vistas à melhoria das condições de vida e saúde da população.

Principal

Clésio Alves da Silva

A prática foi aplicada em

Brasilândia do Tocantins

Tocantins

Norte

Instituição

AV. ANTONIO MATEUS Nº 1132

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Clésio Alves da Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba
Práticas
Adote um sorriso: auto estima e saúde, buscar sorrisos felizes é nossa prioridade.
Paraíba
Práticas
Adesão às consultas de puericultura: uma intervenção na estratégia de saúde em Esperança – PB
Paraíba
Práticas
Descentralização do cuidado: levando as práticas de atividade física a população da zona rural
Paraíba
Práticas
Reterritorialização: desafios e avanços no município de Campina Grande-PB
Paraíba