Olá,

Visitante

Acesso Certo

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: A finalidade do projeto Acesso Certo tem como direcionamento prioritário a reorganização da Atenção Básica, após a Implantação do novo Sistema de Informação da Atenção Básica – ESUS as equipes/UBS perderam suas referências em relação ao seus controle de monitoramento mensal do que tinha em suas áreas de abrangências para fazerem suas discussões e planejamentos. Pensando nessa dificuldades criamos as Agendas da Unidade Básica de Saúde e seus Instrumentos de Cadastro e Rastreamento da AB, com a finalidade de poderem planejar mensalmente suas demandas. A primeira problemática encontrada era a ausência de agenda, com isso o acesso era limitado ou seja o usuário deveria semanalmente “tentar” vagas, fazendo com que esse usuários fosse ao ponto de Atenção em Saúde mais fácil ou seja a “Unidade Hospitalar”, no sentido de que por mais que ele esperasse o mesmo seria tendido e tendo suas queixas parcialmente ou totalmente atendidas. DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: Com a finalidade definida, iniciamos o processo de Implantação dos instrumentos para que o projeto desse andamento, através de treinamentos, capacitações e orientações por UBS com equipe, aderimos os instrumentos de informação e planejamento para que as equipes implantassem suas agendas ofertando assim diariamente acesso nos quatros níveis preconizados: PROGRAMA/AGENDADA/ESPONTÂNE/ URGENCIA, com isso os usuários receberia assistência ou resolutiva de suas queixas diariamente. Durante a dinâmica da implantação dos instrumentos fortalecemos vários meios de identificar por Micro área os usuários, a rede de atenção que o mesmo usa, o acesso ao qual ele teve para início de sua assistência na UBS e o cadastro dele enquanto população adscrita com classificação de risco a nível de prevenção que faz parte dos instrumentos para identificação dos mesmos. INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS: Criamos indicadores a nível de monitoramento através das informações obtidas nos instrumentos de planejamentos, voltados a acompanhamento, registro e rastreamento dos usuários. Um exemplo e Saúde da Mulher os instrumentos voltado a esse programa podemos identificar por micro – área a Mulher, controle de prevenção do câncer de colo de útero e mama, estado de saúde no mês, programação de imunização, integração de assistência coletiva e sua classificação de risco para agravos de saúde. Os instrumentos implantados foram destinados a registros, monitoramento e rastreamento, uma vez que o Sistema da Atenção Básica – E-SUS atua somente no quantitativo e informação de produtividades. (VIDEARQUIVO ANEXO)Período analisado do dia 20 a 24 de Março de 2017, utilizamos uma semana após a efetivação dos instrumentos e a capacitação das Equipes em prol a agenda aberta e o acesso ofertado aos usuários. OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTO: O monitoramento ocorre após a mulher ter acesso a UBS ser identificada, atendida e classificada por linha de cuidado e risco.

No âmbito a Atenção Básica em Saúde o que se encontra hoje são sistemas fragmentados, caracterizados por atenção descontinua, com forte polarização entre Hospital e Atenção Básica, sob a hegemonia da Atenção Hospitalar, e pela a ausência de uma coordenação dos pontos de apoio de atenção à saúde. Vários problemas são decorrentes dessa fragmentação, sãos as demandas de um sistema ineficaz porque estão dirigidos a atender pessoas doentes, já que não tem ênfase em medidas promocionais e preventivas, nem tem uma responsabilização por lima população escrita corretamente. Mediante o cenário apresentado a Gestão de Saúde de Humaitá através da área técnica de gestão elaborou inúmeros conceitos e direcionamento para uma resolutiva em relação aos pontos de acesso e a desfragmentação do Sistema de Saúde Municipal. Através de integração de serviços e organização da Atenção Básica demostraremos a experiência que em tão pouco tempo vivenciada e implantada mais com um elenco de resultados de alta pontuação no para melhoria do acesso. Chamamos o Projeto de Acesso Certo, uma vez que identificamos que a Atenção Básica estava desorganizada a ponto de não poder ser o acesso certo da população a nível de Atenção Básica.

Concluímos a importância de ofertar acesso com qualidade e acolhimento aos usuários para que possamos adequar a assistência integral aos mesmos. Identificamos antes do projeto um cenário de serviços com demandas altas na Unidade Hospitalar e índices baixos nas Unidades Básica de Saúde, concluindo assim a identificação do acesso desqualificado que as unidades ofertavam no momento. Pensando assim concluímos com a experiência que atualmente continua com as demandas reduzidas nas Unidades Básicas que ofertando o acesso certo com qualidade e acolhimento podemos mudar o cenários de serviços e satisfação do usuário.

Principal

Laura Patricia Santos do Nascimento Souza

arca.2712patricia@gmail.com

A prática foi aplicada em

Humaitá

Amazonas

Norte

Instituição

Travessa do Hospital, S/N, Antigo Hospital, Bairro: São José.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Laura Patricia Santos do Nascimento Souza

Conta vinculada

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Organização do Processo de Trabalho na Atenção Primária em Saúde Utilizando Ferramentas Analisadoras e Estratégicas.
Maranhão
Práticas
Planejamento Local e Participativo na Estratégia Saúde da Família no Município de Cachoeirinha/Tocantins.
Tocantins
Práticas
Mudança de Dinâmica na Marcação de Consulta em São Luis e Seus Impactos Positivos para a População.
Maranhão
Práticas
Plano Municipal de Saúde de Juazeiro do Norte – Ceará, 2018-2021: uma Construção Participativa.
Ceará
Práticas
Fluxograma para Rede de Urgência e Emergência:
Ceará
Práticas
Modelo de Atenção Às Condições Crônicas em Um Serviço de Referência À Mulher e À Criança de Caxias/Ma: uma Proposta de organização da Atenção Especializada À Saúde.
Maranhão
Práticas
Implantação do Ambulatório de Seguimento do Recém-Nascido de Alto Risco: Um Projeto de Fortalecimento da Rede de Atenção À Saúde da Criança
Alagoas
Práticas
O Apoio Institucional do Cosems-Ba Como Estratégia para o Fortalecimento das Comissões Intergestores Regionais-Cir nas Regiões Norte e Nordeste.
Bahia
Práticas
Atenção À Saúde Materno-Infantil: Um Relato de Implantação de Ambulatório de Atenção ao Risco Gestacional, Puerperal e Infantil no Município de Teotônio Vilela –Al
Alagoas
Práticas
Segurança do Paciente Como Prioridade de Gestão: Implementação do Protocolo de Medicação Segura.
Ceará