Olá,

Visitante

A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.

No município de Petrópolis, a população de pessoas na chamada terceira idade contempla cerca de 44 mil pessoas. Dentre esse total, mais da metade é usuário do SUS.
Após uma formação oferecida pelo município aos funcionários da atenção básica, vimos a necessidade de implantar a Terapia Comunitária Integrativa para este público-alvo.
Tudo começou na Igreja Nossa Senhora de Fátima situada no bairro Madame Machado, um local fortemente atingido pelo desastre natural que provocou deslizamentos e enchentes no ano de 2011. Pelos frutos colhidos nesse local após 2 anos de trabalho, iniciamos a Terapia Comunitária Integrativa na Igreja Sagrada Família, no bairro Sargento Boening, igualmente atingido pelas chuvas de 2022. Ambos os locais, afora a distância geográfica, apresentavam um rastro de tristezas e traumas emocionais causados pelos desastres naturais.

Foi ofertado um espaço de promoção de encontros interpessoais e intercomunitários, em periodicidade mensal, a um grupo regular de convivência e bem-estar, constituído prioritariamente por pessoas idosas, adscritos ao Posto de Saúde da Família correspondente, onde, em média, trinta pessoas por mês vêm participando ativamente, de forma periódica e ininterrupta.
Nosso objetivo é acolher e incluir os idosos, trazendo para as conversas temas comuns ao conjunto como luto, ansiedade, solidão, tristeza, raiva e medo através da troca de experiências, ampliando a compreensão de sua aflição, mostrando novos caminhos e valorizando conhecimentos, substituindo, dessa forma, carência por competência em busca do bem-estar emocional e físico.
Nosso objetivo é acolher e incluir os idosos, trazendo para as conversas temas comuns ao conjunto como luto, ansiedade, solidão, tristeza, raiva e medo através da troca de experiências, ampliando a compreensão de sua aflição, mostrando novos caminhos e valorizando conhecimentos, substituindo, dessa forma, carência por competência em busca do bem-estar emocional e físico. A roda de terapia comunitária tem uma metodologia aberta que inicia na celebração das importâncias do cotidiano, uma prática lúdica para trazer a emoção. Em seguida vem a partilha das inquietações no qual o grupo se identifica, escolhe o que mais lhe toca por uma votação e tem como trazer seu olhar pessoal e seu recurso do assunto escolhido, com a finalização da leitura de tudo que é dito, possibilitando que cada um carregue o que lhe for mais precioso daquele momento, formando uma rede de apoio como grupo.

Ao observarmos os grupos, concluímos que a rede afetiva criada pela convivência durante as sessões de Terapia Comunitária Integrativa, ao convidar esses indivíduos a partilhar seus sentimentos buscando compreender a causa de sua aflição, gera autonomia na resolução das questões cotidianas, reforça os vínculos entre as pessoas e constrói uma rede social de proteção e inserção. A partir da escuta das histórias de vida ali apresentadas, sobrevêm a identificação dos sentimentos e o entendimento que possibilita a tomada de consciência do problema, ensejando a busca por soluções e superação dos desafios.

A cada sessão novas pessoas são convidadas por esse grupo de sujeitos a participar das rodas de Terapia Comunitária Integrativa e, aumentam os relatos de melhoria da qualidade de vida gerada pela diminuição da sensação da ansiedade que anteriormente motivou dores e insônia, assim como da angústia gerada pela solidão imposta pela ausência dos entes queridos, além de ser importante instrumento para o autoconhecimento, o amor próprio e fortalecimento pessoal, condições que libertam os sujeitos de suas próprias prisões mentais, emocionais e comportamentais, buscando soluções e superação das dificuldades conhecidas desse coletivo, colaborando para a conquista do almejado bem-estar físico e emocional.

Principal

Vanessa Esch Neves Norberto

nesca2207@gmail.com

terapeuta comunitario

Coautores

Debora Aparecida Gouvea, Denise Raymundo

A prática foi aplicada em

Petrópolis

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Figueira de Melo 106 centro Petrópolis/Rj

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Vanessa Esch Neves Norberto

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

01 abr 2024

e atualizada em

01 abr 2024

Início da Execução

17/11/2022

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso
Práticas
A Ozonioterapia no tratamento de dores crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
Práticas integrativas e complementares no cuidado aos trabalhadores de saúde mental de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto quilombos: o cuidado realizando práticas integrativas e complementares em quilombolas da Amazônia
Pará