Olá,

Visitante

A potência do microplanejamento no fortalecimento das ações de imunização em Esperança – PB.

O Brasil conta com vacinas para medida de controle de doenças desde 1804, no entanto, o Programa Nacional de Imunização foi criado pelo Ministério da Saúde apenas em 1973. Considerado um dos principais programas do SUS e referência mundial, o PNI contribui para a diminuição da morbimortalidade de doenças imunupreviníveis e norteia as ações de imunização em todo país, estimula a horizontalização para garantir e ampliar o acesso à vacinação, sendo a APS a porta de entrada, com objetivo de controlar, eliminar e erradicar doenças. O microplanejamento é o conjunto de ações voltadas para garantir atividades de vacinação de alta qualidade a partir da aplicação de estratégias que considerem eficácia, homogeneidade, oportunidade, simultaneidade e eficiência. As ações de MP realizadas no município de Esperança-PB se incorporam ao conjunto de medidas adotadas pela retomada das altas coberturas vacinais, considerando a realidade e os aspectos locais. O município de Esperança fica localizado no Estado da Paraíba, sua população é de 31.231 habitantes, que contam com o serviço de 14 unidades básicas de saúde e 10 âncoras, com 100% de cobertura da APS com oferta de vacinas. De acordo com o e-SUS/PEC a população de 0 a 14 anos é de 6.436, público alvo nas ações intra e extramuros. Mediante exposto, objetiva-se fortalecer a descentralização e a territorialização, através da sistematização das ações, intersetorial, a fim de garantir o amplo acesso da vacinação e alcançar as metas preconizadas.

A partir da aplicação da metodologia orientada pelo manual norteador do microplanejamento para atividades de vacinação de alta qualidade, observou-se que o principal gargalo do município diante aos desafios enfrentados para o alcance das altas coberturas vacinais, envolve fatores, os quais necessitam de intensificação no treinamento das equipes, apoio focal e de monitoramento frequente, à saber: Falha na atualização de cadastros no eSUS-PEC e falta de sincronização do eSUS-AB junto ao CadSUS e/ou falta do CPF, com SUS desatualizado, sem possibilidade correção deste e/ou duplicidade; Erros de digitação em doses aplicadas, especialmente no módulo CDS; Dificuldade dos vacinadores em manusear os sistemas de informação; Alta demanda, em unidades numerosas, dificultando a equipe de realizar vacinação extramuro e ações de intensificação; Dificuldade de transporte exclusivo para as ações de imunização e hesitação vacinal devido a desinformação ou emprego de facke news. Mediante exposto, enfrentando os desafios, o munícipio utilizou de estratégias, como montar uma equipe de digitadores para atualização dos cadastros no eSUS-PEC de todas as crianças menores de 15 anos, junto ao ACS e CadSUS, estendendo a prática a ser atualizada na unidade, rotineiramente, sob supervisão da coordenação e enfermeira, realizou-se, também, treinamento e atualização com os profissionais das salas de vacinas para o registro correto de doses aplicadas e correção de erros de digitação, através da coordenação in-loco, elaborou, junto a gestão e setor de transportes, cronograma de transportes para as ações extramuro, bem como, realizou entrevistas, divulgação de informações a cerca da vacinação em redes sociais oficiais e aplicativos de mensagens, além de realizar uma ação, “Fato ou Fake”, com a divulgação de uma série de vídeos gravados com os médicos do município desmistificando os mitos e verdades a cerca da vacinação, a fim de diminuir os impactos negativos desses efeitos na cobertura vacinal.

As ações aconteceram entre o período de 27 de setembro a 14 de outubro de 2023 e, a partir da metodologia do MP, organizou-se o treinamento das equipes e formação do Comitê intersetorial para apoio das ações, composto pelas representações da gestão municipal, saúde, educação, assistência social, conselho tutelar, CMDCA, comunicação, câmara municipal, entidades religiosas, mídia local, representantes comunitários e foi apresentado ao Conselho Municipal de Saúde para publicação após apreciação. Após, iniciou-se a programação de vacinação intra e extramuro, a qual foi amplamente divulgada. O cronograma abrangeu: Atualização dos cadastros no eSUS-PEC e CadSUS da população de 0 a 14 anos; Treinamento dos vacinadores para registro no sistema de informação; Cronograma de vacinação na rede escolar e setrviços da SEMAS; Intensificação da busca ativa, com cronograma exclusivo para vacinação com salas de espera com educação em saúde, orientação e monitoramento de ESAVI; Realização de Dia D com evento dispondo de parque de diversão, além de fornecer colete de identificação para os profissionais da APS e pintura da família zé gotinha para acolhimento das salas de vacinas. Durante o período da ação, foram aplicadas 1.097 doses na população alvo, sendo: 279 em menor de 01 ano, 301 de 01 à 04 anos, 114 de 05 à 09 anos, 244 de 10 à 14 anos e 126 doses contra COVID-19, atualizados 6.436 cadastros e corrigido erros de digitação informados entre o período de janeiro a outubro de 2023, dentro da faixa etária. As atividades resultaram na melhora da cobertura vacinal local, com atualização de vacinas em atraso e evidenciou a importância da intersetorialidade na busca ativa vacinal, fazendo necessária a continuidade das medidas de monitoramento e intensificação para alcançar e manter as coberturas preconizadas pelo PNI.

Considera-se que as atividades realizadas a partir da metodologia contida no manual do microplanejamento, potencializaram as ações de imunização no município e permitiu que as equipes desenvolvessem o trabalho de forma sistemática e ordenada, tanto nas ações de imunização intra quanto extramuro, por admitir que, através do MP, as atividades sejam realizadas de forma coordenada com espaço para programação e avaliação após a execução de acordo com a realidade de cada área de abrangência. Observou-se a necessidade de intensificar o monitoramento da atualização dos cadastros no eSUS-PEC junto aos ACS’s e dos registros de doses aplicadas nos sistemas de informação junto aos vacinadores, a fim de identificar em tempo hábil erros de digitação, divergências e duplicidades para que o dado suba com qualidade e haja impacto positivo nas coberturas. Busca-se meios para fortalecer as equipes das salas de vacinas, especialmente em unidades numerosas, com vacinadores de apoio e transporte para atividades de vacinação extramuros. Conclui-se, também, que a intersetorialidade evidenciou a importância da corresponsabilidade da busca ativa vacinal entre os serviços, não se limitando apenas a saúde, mostrando que a potência do microplanejamento nas ações de imunização no município de Esperança-PB, teve e tem efeito positivo por estender-se até os dias atuais na programação das atividades de vacinação.

Principal

PRISCILA GEOVANA CÂMARA RODRÍGUES CABRAL

pgcrc12@gmail.com

Coordenador de Imunização

Coautores

PRISCILA GEOVANA CÂMARA RODRÍGUES CABRAL. CECILIA ALEXANDRE DE OLIVEIRA ALMEIDA. JOSICLEIDE DA SILVA SANTOS. LANÍSIA BIANCA PASSOS DE OLIVEIRA.

A prática foi aplicada em

Esperança

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Rua Antenor Navarro, nº 837, Centro Administrativo - Esperança - PB

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Priscila Geovana Câmara Rodrígues Cabral

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

15 abr 2024

e atualizada em

15 abr 2024

Início da Execução

27/09/2023

Fim da Execução

14/10/2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba