Olá,

Visitante

A Importância do Vínculo da Equipe do Consultório na Rua de Taguatinga no Resgate À Saúde de Idoso com Transtorno Mental em Situação de Rua na Atenção Básica.

No decorrer de 2014, fortalecemos os vínculos com o ele e verificamos que era poli queixoso e sem vínculos familiares. Como estratégia de adesão ao tratamento psiquiátrico, utilizamos o desejo de conseguir o laudo médico. Em abril de 2014 marcamos a consulta psiquiátrica. Pactuamos o comprometimento do tratamento, em contrapartida, receberia o laudo. Crendo que essa motivação seria decisiva na adesão ao tratamento, o que ocorreu. Essa estratégia foi discutida e avaliada pela equipe multiprofissional tendo em vista o perfil dele.A eCR acompanhava-o nas consultas, em função da falta de familiares e sua vulnerabilidade, pois ele tinha vínculo e confiança na equipe e, aprendemos que o vínculo fortalecia e favorecia o desenvolvimento do trabalho. Isso auxiliou o diagnóstico, uma vez que a equipe pode contribuir com informações e fortalecer a rede. Notou-se que o tratamento alcançou êxito. Diante disso o médico pode fazer o relatório com diagnóstico para o BPC.Iniciamos a elaboração de um projeto de vida no qual trabalhamos como seria a sua vida após o inicio do recebimento do benefício, em relação: a moradia, o mobiliário, o desligamento da UNAI, o cuidado da alimentação, cuidados pessoais e orientação quanto à organização financeira para não ser ludibriado por terceiros.Após, muitas idas e vindas, a perícia do INSS deferiu o seu pedido de BPC em agosto/15. Ele foi desligado da UNAI e optou ir morar com conhecidos no estado de GO, o que nos preocupou. Contudo, vinha ao serviço para as consultas com o psiquiatra e retirar as medicações. Em outubro/15 apareceu abatido, com baixo peso, e deprimido. Suspeitamos de maus tratos, e em reunião de equipe, resolvemos investigar a fim de empoderá-lo. Em abril /16 ele chegou ao serviço assustado, dizendo que não voltaria para o GO. Após o acolhimento, tentamos abrigo nas unidades disponíveis, mas sem sucesso. Diante do relato que tinha um sobrinho no RS, fizemos contato com a rádio da região e, ao vivo, fizemos um apelo, no intuito de localizar algum parente. Após 03 dias, Conseguimos abrigo e na semana seguinte, localizamos a família em São Leopoldo/RS. Em seguida, o auxiliamos na compra de roupas, passagens e o acompanhamos na última consulta ao psiquiatra para o encaminhamento do tratamento no RS. No dia 27/04/16, após 25 anos em situação de rua ele voltou para os braços da família.A eCR é uma equipe da atenção básica que atende pessoas em situação de rua, lidando com diferentes problemas e necessidades de saúde e buscam desenvolver ações compartilhadas e integradas com outros serviços da rede de saúde. Segundo a PNAB caracteriza-se como atenção básica diversas ações de promoção e proteção à saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos e a manutenção à saúde, a fim de desenvolver a integralidade do cuidado ao indivíduo e sua autonomia. Portanto, o papel do eCR é ampliar o acesso destes usuários à rede de atenção e ofertar de maneira oportuna e humanizada

O paciente A.C.M foi atendido pela equipe do Consultório na Rua-eCR de Taguatinga/DF em 08/13, acolhido, queixou-se de cefaleia, relatou trabalho no campo e alcoolismo durante anos, e internações em hospitais psiquiátricos. Não realizava acompanhamento psiquiátrico e tinha o discurso bastante desconexo. Desde o primeiro contato com a eCR tinha como principal demanda o laudo médico para Benefício de Prestação Continuada-BPC.

Principal

Ana Rosa Pessoa Peixoto Barreto

consultorionaruatag@gmail.com

A prática foi aplicada em

Todo o Brasil

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ana Rosa Pessoa Peixoto Barreto

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Oficina de jogos e desenho
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Economia Solidária
Rio de Janeiro
Práticas
Terapia Comunitária Integrativa: um relato de experiência no município de Resende (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo terapêutico: um espaço de acolhimento e de suporte para o final de semana, através da musica, violão e técnica da auriculoterapia
Rio de Janeiro
Práticas
Equipe multidisciplinar – um olhar psicossocial na atenção à infância e adolescência
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Adoles-SER- a clínica em movimento. Cuidado e promoção de saúde mental de adolescentes
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Avaliação diagnóstica do TEA no SUS e capacitação dos pais como forma primordial de intervenção
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Estimulação Cognitiva como estratégia de cuidado ampliado para indivíduos com dependência de álcool
Rio de Janeiro
Práticas
Os dados do CAPS1 Minha Vida como indicador avaliativo do serviço na supervisão clínico-institucional
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo de familias em um CAPS infanto-juvenil
Rio de Janeiro