Olá,

Visitante

A Importância das Ações Relacionadas À Saúde da Mulher na Zona Rural de Santana dos Garrotes

O câncer do colo do útero é o segundo tumor mais com comum em mulheres, no Brasil, e quarto na causa de morte por câncer no público feminino. A patologia está relacionada à infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV) e acomete principalmente mulheres em idade de 25 a 64 anos. O controle dos cânceres do colo de útero depende de uma atenção básica qualificada e organizada, integrada com os demais níveis e articulação intersetorial. A estratégia recomendada pelo Ministério da Saúde é o exame citopatológico em mulheres de 25 a 64 anos, que é atualmente considerado um dos 7 indicadores do programa Previne Brasil, o modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde. Reuniões de monitoramento e avaliação da situação do município com relação à saúde da mulher foram realizadas nos mês de julho de 2021 e foi-se verificado que em três microáreas específicas de duas unidades do município a procura para realização do preventivo se encontrava quase zerada. Ao se verificar isso, foi levantado pelos Agentes Comunitários de Saúde responsáveis pelas microáreas que a maior dificuldade para que essas mulheres procurassem o atendimento seria à distância da casa das pacientas para a Unidade Básicas de Saúde, a além da dificuldade de acesso pelas vias vicinais e a falta de transporte. Partindo disso, houve a necessidade de um plano de ação estratégico para resolver esse problema e consequentemente uma melhor cobertura preventiva e de qualidade no município. Elaborar e executar um plano de ação visando aumentar o número de exames de citológicos realizados entre as mulheres de 25 a 64 anos, cadastrada s nas Unidades de Saúde da Família do município de Santana dos Garrotes – PB, residentes em localidades distantes das unidades e em locais de difícil acesso. Partindo do pressuposto da dificuldade de acesso da população chegar até a UBS, foram planejadas ações pontuais nas microáreas que tivessem prédios considerados sedes das comunidades rurais. Com isso, o exame passou a ser ofertado, também, nestas unidades que chamamos de “satélites” (nas microáreas específicas) para facilitar o acesso de populações dispersas, em intervalos de, aproximadamente, uma vez por mês por localidade. Toda a equipe, juntamente com o ACS responsável da área, se planejavam para a realização da ação. O ACS realizava as visitas e já organizava com a equipe como seria a ação. A equipe levava todo o material necessário para a coleta, apesar de todas as dificuldades encontradas. Quando a microárea não tinha um local que pudesse ser um satélite para as Estratégias de Saúde da Família, à equipe se deslocavam às microáreas e, mesmo em condições muito desfavoráveis (infraestrutura precária), realizavam o citopatológico na residência de moradores que cediam cômodos para tal finalidade assistencial.

Dificuldade de acesso das mulheres para realização do preventivo de câncer do colo do útero, principalmente devido à dificuldade de locomoção das mesmas até a unidade ou por questões das estradas de barro

Esta experiência nos permite reafirmar o potencial da reorganização do processo de trabalho como outra orientação para as práticas dos serviços de saúde. Se faz necessário que novas medidas sejam tomadas para que se aumentem a cobertura do rastreamento desta neoplasia. Evidencia-se a necessidade de ampliar as discussões acerca do assunto com os demais profissionais das equipes de saúde da família de todas as localidades que passam pelas mesmas dificuldades que o nosso município.O plano ressaltou a importância de investir na capacidade governativa dos municípios, uma vez que através de uma série de ações, como o levantamento das mulheres que não aderiram ao supracitado exame e as ações de conscientização desenvolvidas de forma que direcione para estas mulheres por faixa etária, pois só por intermédio de um diagnóstico precoce que o controle e o prognóstico do câncer uterino cervical poderão ser promissores. Não só no que se refere à produção dos indicadores exigidas pelo programa Previne Brasil, mas também para a melhoria da qualidade de saúde da população.

Principal

Yuryky Maynyson Ferreira de Medeiros

yurykymedeiros@gmail.com

A prática foi aplicada em

Santana dos Garrotes

Paraíba

Nordeste

Instituição

Santana dos Garrotes

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Yuryky Medeiros

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

08 set 2019

e atualizada em

08 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Estratégias de imunização em município do interior da Paraíba resulta em 1º lugar no estado durante campanha de influenza 2024 : relato de experiência
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba