Olá,

Visitante

A Experiência do Município de Janaúba para Eficiente Cobertura Vacinal da Campanha Poliomielite no Ano de 2022

Categoria não especificada

Segundo a Organização Mundial da Saúde, as vacinas estão entre os investimentos em saúde mais custo-efetivo para as nações, garantindo que dois a três milhões de mortes sejam evitadas por ano em todo o mundo. O Programa Nacional de Imunização da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde é um dos mais completos do mundo é conhecido por manter altas coberturas vacinais para diversos agravos e pela execução de campanhas e estratégias e logísticas de alcance de imunização para toda a população brasileira. As campanhas de vacinação são realizadas pelos profissionais da Atenção Primária em Saúde (APS) embora teve aumento da cobertura da APS no país, identifica-se redução nacional das taxas de cobertura vacinal nos últimos anos6. Essa redução sinaliza um problema para a imunidade coletiva e risco de ressurgimento de doenças até então controladas ou até erradicadas a exemplo da Poliomielite. Com o intuito de reduzir a disseminação do vírus e o medo pela exposição ao coronavírus ao sair de casa, medidas como o isolamento social impactaram a busca pela vacinação. Apesar dos efeitos diretos da COVID-19 terem sido considerados pequenos na população infantil, os indiretos se manifestaram pela redução da procura pela vacinação de crianças, fazendo com que milhares de pais e/ou responsáveis não procurassem os serviços de saúde para iniciar ou dar sequência ao esquema vacinal. Esse estudo é o relato da experiência no enfrentamento da cobertura vacinal das crianças entre 01 a 05 anos na campanha contra a poliomielite no município de Janaúba, Minas Gerais em 2022. Tem como objetivo aumentar a cobertura vacinal das crianças entre 01 a 05 anos na campanha contra a poliomielite no ano de 2022. E como objeticos especificos identificar o número exato de crianças entre 01 a 05 anos residentes no município; recapacitar os profissionais da Atenção Primaria a Saúde em Imunização e realizar busca ativa das crianças não vacinadas e se necessário vacina-las in loco.

Durante a campanha nacional de poliomielite iniciada no mês de agosto de 2022, o município de Janaúba, próximo ao termino da campanha verificou baixa cobertura vacinal para a campanha. Apenas 43,5% das crianças estavam imunizadas. Diante do cenário foram realizadas algumas ações para o aumento da cobertura, estas foram: Recapacitação de todos os profissionais de saúde componentes das equipes de saúde da APS. Essa capacitação ocorreu em parceria com a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, através de referências técnicas para capacitar e orientar a equipe junto com a equipe da vigilância epidemiológica. Foi também a atualização das vacinadoras sobre o registro das vacinas no sistema do prontuário eletrônico. A APS através do Agentes Comunitários em Saúde, realizou um levantamento quantitativo e nominal de todas as crianças de 1 ano a menores de 5 anos com status de vacinados e não vacinados do município, o que possibilitou traçar a estratégia de busca ativa de todas as crianças não vacinadas, e a vacinação in loco. Foram verificados no Sistema SIPNI campanha, consolidação de doses aplicadas por UBS no período de agosto a outubro de 2022, conferido com as listas nominais, para que todos estivessem registrados e assim termos certeza da imunização de todas as crianças.

Foram utilizados alguns métodos para o sucesso da campanha, tal como contagem de todas as crianças de 01 a 05 anos do município, analise dos cartões de vacinas e administração dos imunobiologicos. Foi criado uma planilha para análise dos dados obtidos, nesta planilha continha as colunas de nome da UBS, nome do enfermeiro responsável pela equipe, quantidade de crianças em cada equipe, uma aba com a quantidade de crianças vacinadas e outra com a quantidade de crianças faltosas. O que facilitava a análise e identificação de onde estava a criança para realizar a busca ativa da mesma e vacina-la. Durante toda campanha foi realizado a mobilização da população através de campanha nas rádios, mídias sociais como facebook, instagran e Whatsapp e carro de som volante.

Ao final da ação a cobertura vacinal que era 40% atingiu a percentual de 92% segundo dados de quantitativo de crianças preconizados pela superintendência estadual de saúde, que tem como fonte de dados o SINASC. Entretanto a contagem do município o percentual atingido foi de 99% de cobertura para a poliomielite Contudo foi trabalhado o quantitativo real e não o estimado, (como é feito através dos dados no SINASC), atingimos a 99% da cobertura real, sendo que não foi 100% porque 1% dos pais se negaram a administração do imunobiologico. Conclui-se que a busca ativa das crianças não vacinadas e a vacinação in loco foi crucial para o avanço da cobertura vacinal no município. Além de garantira que 99% das nossas crianças dentro da faixa etária de 01 a 5 anos fossem imunizadas.

Principal

THAÍS EMANUELY DE FREITAS TEIXEIRA

Coautores

Rosania Katiane Matos

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro