Olá,

Visitante

Uma estratégia inovadora na oferta do cuidado tratamento de estabilização de coluna equipe Nasf/AB

Doenças da coluna vertebral são consideradas um problema de saúde pública: alta prevalência, alto custo no tratamento e impacto negativo na qualidade de vida dos indivíduos. 80% a 90% dos adultos sentirão ao menos um episódio de lombalgia ao longo da vida. Destes, 40% tendem a se tornar uma condição crônica.Tendo em vista a grande demanda deste tipo de atendimento no setor de Fisioterapia Ambulatorial, viu-se a necessidade de implantar uma estratégia eficaz de tratamento e prevenção dos agravos e recidivas, visando melhorar a qualidade de vida dos pacientes, devolvendo-os FUNCIONALIDADE. Foi criado então, em abril de 2015, o Tratamento de Estabilização de Coluna, desenvolvido pela equipe de Fisioterapia do NASF/AB.

Reduzir a demanda de pacientes com dor crônica na coluna vertebral ao serviço de Fisioterapia ambulatorial. Reduzir recidivas. Proporcionar qualidade de vida e funcionalidade aos portadores de problemas na coluna. Promover a sensibilização da neces FORMAÇÃo / MOBILIZAÇÃo TÉCNICA/ METODOLOGIA o Tratamento foi planejado e alicerçado em técnicas fisioterapêuticas de fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna vertebral. A TRIAGEM COMo MOMENTo DE EQUIDADE No SUS 1- triagem: norteia e qualifica o encaminhamento de pacientes. Paciente agudo e sem funcionalidade: direcionado ao tratamento ambulatorial individualizado. Paciente crônico e com bom nível de funcionalidade: direcionado para o tratamento coletivo (estabilização), liberando a vaga para pacientes agudos. 2- por ser um tratamento dinâmico e de demanda espontânea foi estruturado com exercícios específicos para cada fase do tratamento para acolher o usuário iniciante, o intermediário e o usuário avançado.

o Grupo de Estabilização de Coluna é um serviço público que procura fazer a diferença para a população que sofre com problemas de coluna, buscando sempre melhorar a qualidade de vida de seus participantes minimizando a intensidade dos quadros de dor relacionados às patologias vertebrais e melhorando o desempenho funcional dos indivíduos. A grande maioria dos participantes do programa tiveram seus sintomas estabilizados e em muitos casos abolidos, fazendo com que não necessitassem mais do tratamento fisioterapêutico ambulatorial, liberando a vaga para o paciente agudo, redução do uso constante de medicamentos (analgésicos e anti-inflamatórios) e de consultas frequentes ao ortopedista.Entendemos que a integração e articulação das ações entre os pontos de atenção Ambulatório Municipal de Fisioterapia e equipe NASF/AB foi essencial para garantir a integralidade e universalização do cuidado promovendo desde a promoção e prevenção da saúde até a reabilitação, repercutindo positivamente na saúde e qualidade de vida dos indivíduos.

Principal

Suzana Marinzek

suzana.marinzek@gmail.com

Coautores

Flaviana Vilela Diogo, Gustavo Silva Oliveira, Márcia Silva Teófilo Pimenta, Márcio Roberto De Oliveira, Danilo Simoni Soares

A prática foi aplicada em

São Sebastião do Paraíso

Minas Gerais

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Sassafrás 271. São Sebastião Do Paraiso. Mg

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Wandilson Aparecido Bícego

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

04 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal