Olá,

Visitante

Telerregulação e Teleconsultoria: uma Experiência de Sucesso no Município de Curitiba

Curitiba é uma cidade com mais de 1,8 milhão de habitantes, com uma grande demanda de atendimentos médicos na Atenção Primária à Saúde (APS) e consequente necessidade de atendimento em ambulatórios especializados. Até 2017, pacientes eram encaminhados para as especialidades de Psiquiatria, Reumatologia, Cardiologia e Neurologia, através do prontuário eletrônico E-saúde, de maneira indiscriminada e sem critérios específicos. Os agendamentos respeitavam a ordem cronológica de inserção sem considerar a gravidade e peculiaridade de cada caso clínico. A implantação de um processo de regulação e consultoria à distância, com protocolos bem definidos, fazia-se necessário para melhor qualificação dos encaminhamentos e educação continuada dos profissionais atuantes na APS.

Garantir o acesso aos serviços de saúde da Atenção Secundária com equidade qualificar encaminhamentos na perspectiva da Rede de Atenção atendimento em tempo oportuno, diminuindo o tempo de espera para atendimento pelos serviços ambulatoriais especial o paciente é atendido pelo médico da APS e, quando detectada a necessidade de encaminhamento para especialidade, o profissional o faz de acordo com os critérios estabelecidos em Protocolos de Encaminhamento. o médico regulador analisa cada caso clínico criteriosamente, através das informações registradas no prontuário eletrônico. o desfecho poderá ser o encaminhamento do paciente para especialidade e ambulatório mais adequando, solicitação de exames complementares ou a teleconsultoria ao colega da APS indicando o manejo específico para cada condição clínica. Toda troca de informações fica registrada no histórico clínico do paciente, no prontuário eletrônico.

Realizou-se a análise comparativa do tempo de espera em fila para agendamento nas especialidades Psiquiatria, Reumatologia, Cardiologia e Neurologia, no período de julho/ 2017 a agosto/ 2018. Após a implantação do processo de telerregulação/ consultoria (TR/TC), o tempo de permanência em fila reduziu de 9 meses para 5 dias (Psiquiatria), de 3 meses para 16 dias (Reumatologia), de 3 meses para 8 dias (Cardiologia) e de 23 meses para 10 meses (Neurologia). Do total de pacientes encaminhados para telerregulação, 55% foram encaminhados para respectiva especialidade.Reguladores comprometidos, protocolos bem definidos e um sistema informatizado são fundamentais para o sucesso do processo. o prontuário eletrônico permite o registro em plataforma informatizada segura e representa uma solução potencial para otimizar e qualificar os encaminhamentos sem perda de informações. A estrutura do programa de TR/TC tem alcançado sucesso satisfatório nas perspectivas de qualificar o acesso ao nível especializado de atenção e estratificar os riscos dos pacientes.

Principal

Marcelle Fernandes Da Costa Da Silva

marcelsilva@sms.curitiba.pr.gov.br

Coautores

Flávia Celene Quadros, Alexei Volaco, Marcella Loureiro

A prática foi aplicada em

Curitiba

Paraná

Sul

Instituição

Rua Francisco Torres, 830

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Márcia Cecília Huçulak

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal