Olá,

Visitante

Situação Vacinal do Adulto – Como a Busca Ativa Pode Auxiliar na Cobertura Vacinal e Conscientização da População. Relato de Experiência da Esf Sossego do Município de Schroeder/Sc

ObjetivoOrientar o adulto sobre a atualização do esquema vacinal. Questionar a situação vacinal dos pais na sala de vacinas. Regularizar a situação vacinal de adultos da área de abrangência através da busca ativa no acolhimento e conferência de carteirinhas.MetodologiaEm 2018 iniciou-se a abordagem dos pacientes que passavam no acolhimento da ESF Sossego e pais que traziam os filhos para vacinar. Para aqueles que já tinham carteirinha realizava-se a conferência e atualização das vacinas atrasadas. Para os que não tinham carteirinha, iniciava-se os esquemas vacinais disponíveis para o adulto. E para aqueles que não queriam realizar vacinas, foi orientado sobre a importância da vacinação, e mesmo assim, continuasse recusando, a negativa era registrada em prontuário. Simultaneamente, as Agentes Comunitárias de Saúde solicitavam as carteirinhas de vacinas durante as visitas domiciliares, fotografando-as com seu tablet de trabalho e levando-as até a vacinadora para revisar e receber as orientações necessárias.

A vacinação é uma das formas mais importantes de prevenir doenças infecciosas, evitar possíveis surtos e impedir que doenças já esquecidas voltem a adoecer a população. No Brasil, o calendário de Imunizações para as crianças é obrigatório e protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente Lei 8.069/90. O grande desafio da ESF Sossego, é manter atualizada a situação vacinal do adulto, utilizando da conscientização como principal ferramenta, pois não existe amparo legal que obrigue o adulto à vacinação. A partir destas informações, a ESF fez o questionamento: Como está a situação vacinal do adulto e quais estratégias adotar para melhorar esta situação? Em 2017 a ESF Sossego, localizada no Município de Schroeder, ao norte do Estado de Santa Catarina, iniciou uma análise dos dados e percebeu que a situação vacinal do adulto em geral era irregular ou desconhecida e havia pouca procura de vacinas por parte dessa população.

Para análise selecionou-se as vacinas DT, Hepatite B, Febre Amarela e Tríplice Viral, realizando o levantamento das doses aplicadas (DA) nos anos de 2016 a 2018. Após comparava-se os mesmos anos sobre o total de DA. DT: 2016: 475DA. 2017: 524DA. 2018: 949DA. Em 2018, o aumento em relação à 2016 foi de 99,7%. Hepatite B: 2016: 377DA. 2017: 393DA. 2018: 1071DA. Nesse caso, o aumento em 2018 em relação à 2016, foi de 184%. Tríplice Viral: 2016: 115DA. 2017: 189DA. 2018: 704DA. O aumento em 2018, em relação à 2016, foi de 512,1%. Febre Amarela : 2016: 0DA. 2017: 17DA. 2018: 1943DA. Total de Doses Aplicadas: 2016: 4405DA. 2017: 4867DA. 2018: 8906DA. O número total de vacinas no adulto dobrou entre os de 2016 e 2018 sendo de 102,1%.

Principal

Carina Aparecida Byczkovski Girardi

A prática foi aplicada em

Santa Catarina

Sul

Instituição

Schroeder

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jul 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Ampliação da captação de mulheres para cobertura de exame citopatológico no município de Ingá.
Paraíba
Práticas
A potência do microplanejamento no fortalecimento das ações de imunização em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Grupo de trabalho Proteja: estratégias de combate à obesidade infantil no município de Alagoinhas – PB
Paraíba
Práticas
Expansão do teste do pezinho no município de Umbuzeiro – PB : garantindo triagem neonatal nas comunidades rurais.
Paraíba
Práticas
Odontologia de mínima intervenção e Programa Saúde na Escola: a saúde bucal além do consultório
Paraíba
Práticas
Saúde com o agente : uma formação sem ponto final.
Paraíba