Olá,

Visitante

Situação Vacinal do Adulto – Como a Busca Ativa Pode Auxiliar na Cobertura Vacinal e Conscientização da População. Relato de Experiência da Esf Sossego do Município de Schroeder/Sc

ObjetivoOrientar o adulto sobre a atualização do esquema vacinal. Questionar a situação vacinal dos pais na sala de vacinas. Regularizar a situação vacinal de adultos da área de abrangência através da busca ativa no acolhimento e conferência de carteirinhas.MetodologiaEm 2018 iniciou-se a abordagem dos pacientes que passavam no acolhimento da ESF Sossego e pais que traziam os filhos para vacinar. Para aqueles que já tinham carteirinha realizava-se a conferência e atualização das vacinas atrasadas. Para os que não tinham carteirinha, iniciava-se os esquemas vacinais disponíveis para o adulto. E para aqueles que não queriam realizar vacinas, foi orientado sobre a importância da vacinação, e mesmo assim, continuasse recusando, a negativa era registrada em prontuário. Simultaneamente, as Agentes Comunitárias de Saúde solicitavam as carteirinhas de vacinas durante as visitas domiciliares, fotografando-as com seu tablet de trabalho e levando-as até a vacinadora para revisar e receber as orientações necessárias.

A vacinação é uma das formas mais importantes de prevenir doenças infecciosas, evitar possíveis surtos e impedir que doenças já esquecidas voltem a adoecer a população. No Brasil, o calendário de Imunizações para as crianças é obrigatório e protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente Lei 8.069/90. O grande desafio da ESF Sossego, é manter atualizada a situação vacinal do adulto, utilizando da conscientização como principal ferramenta, pois não existe amparo legal que obrigue o adulto à vacinação. A partir destas informações, a ESF fez o questionamento: Como está a situação vacinal do adulto e quais estratégias adotar para melhorar esta situação? Em 2017 a ESF Sossego, localizada no Município de Schroeder, ao norte do Estado de Santa Catarina, iniciou uma análise dos dados e percebeu que a situação vacinal do adulto em geral era irregular ou desconhecida e havia pouca procura de vacinas por parte dessa população.

Para análise selecionou-se as vacinas DT, Hepatite B, Febre Amarela e Tríplice Viral, realizando o levantamento das doses aplicadas (DA) nos anos de 2016 a 2018. Após comparava-se os mesmos anos sobre o total de DA. DT: 2016: 475DA. 2017: 524DA. 2018: 949DA. Em 2018, o aumento em relação à 2016 foi de 99,7%. Hepatite B: 2016: 377DA. 2017: 393DA. 2018: 1071DA. Nesse caso, o aumento em 2018 em relação à 2016, foi de 184%. Tríplice Viral: 2016: 115DA. 2017: 189DA. 2018: 704DA. O aumento em 2018, em relação à 2016, foi de 512,1%. Febre Amarela : 2016: 0DA. 2017: 17DA. 2018: 1943DA. Total de Doses Aplicadas: 2016: 4405DA. 2017: 4867DA. 2018: 8906DA. O número total de vacinas no adulto dobrou entre os de 2016 e 2018 sendo de 102,1%.

Principal

Carina Aparecida Byczkovski Girardi

A prática foi aplicada em

Santa Catarina

Sul

Instituição

Schroeder

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jul 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba