Olá,

Visitante

Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde

A Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) tem na Saúde da Família a estratégia prioritária de expansão e consolidação da Atenção Básica (AB), constituída por profissionais de saúde de medicina, além de enfermagem e odontologia, de nível técnico e superior, responsáveis por uma área territorial distribuídas por microáreas, conforme distribuição quantitativa populacional. Os profissionais de educação física e fisioterapia são inseridos no contexto da APS através dos Programas “Academia da Saúde” e “Equipes Multiprofissionais” (E-Multi), prevendo uma atuação de forma integrada à Rede de Atenção à Saúde (RAS) a partir das demandas e necessidades identificadas no trabalho conjunto com demais equipes (Ministério da Saúde, 2017; Santos e Benedetti, 2012).
Foi desenvolvido um programa de exercícios físicos para os pacientes que apresentavam menor gravidade e para indivíduos que recebem alta de seu acompanhamento fisioterapêutico individual, mas que ainda necessitavam cuidado. Recebendo o nome “Grupo de reabilitação funcional”, está em execução com o acompanhamento de um profissional de educação física e uma fisioterapeuta.
Realizado uma vez por semana na quadra poliesportiva José de Assis Pimenta, no turno da manhã. O treinamento utiliza exercícios de fortalecimento muscular localizados e geral, de condicionamento aeróbico e dinâmicas de grupo.
A estrutura da aula é composta por: aquecimento, alongamento, treinamento resistido, condicionamento aeróbico e relaxamento. Com duração de sessenta minutos, são utilizados halteres, faixas elásticas, steps, bolas, cones, escada de agilidade e colchonetes.
Iniciou-se com uma avaliação, e por se tratar de um público com limitações físicas, foram escolhidos alguns exercícios da bateria de Fullerton – que avalia a os componentes inerentes a independência funcional do indivíduo -, são eles: força e flexibilidade de membros inferiores e superiores e antropometria, com reavaliação semestral

Tendo em vista a necessidade de aliviar a lista de espera para o setor de fisioterapia do município de TAPEROÁ/PB, que possui uma demanda aquém da oferta, mesmo após a contratação de mais profissionais, fez-se necessário um estudo para entender a realidade local e buscar uma solução viável para a situação.

Comparada a avaliação inicial, e usando o mesmo protocolo na reavaliação, observou-se uma evolução positiva dos usuários. Sendo observadas tanto na parte antropométrica, como no condicionamento físico, força e flexibilidade dos membros superiores e inferiores.
Para fins de resultados, foi levada em consideração também os relatos dos usuários, que citaram melhora na parte psicológica, no que tange a convivência e criação de laços entre os participantes do programa.
Por ser um projeto recente, mais dados precisam ser colhidos, mas devidos aos resultados já observados, há uma possibilidade de ampliação dos dias de atendimentos, passando de um, para três dias semanalmente.

A proposta da gestão em conjunto com a equipe multiprofissional foi adequada às necessidades locais após conhecimento das redes instituídas de referência para a fase de reabilitação em saúde, considerando-se como prioritária no cenário saúde-doença do município de Taperoá/PB.
A estrutura operacional e física ainda é limitada, considerando a dependência de horário fixo na Quadra Poliesportiva Municipal da Secretaria de Educação, revelando fragilidade na rede intersetorial e a necessidade de elaboração de um protocolo referente às atividades desenvolvidas.
A execução desse trabalho tem como premissa o entendimento da organização dos serviços de saúde, além das especificidades da categoria profissional.
Do ponto de vista técnico podemos perceber também a necessidade de promover a educação permanente por meio de alinhamentos com demais profissionais de saúde e criação de protocolos para evitar o processo de adoecimento da população.

Principal

Clarissa Maria Cardoso Guimarães

clarissaguimara@gmail.com

Coordenadora

Coautores

Carmem Lúcia Bezerra Marinho; Janaina Melo de Oliveira; Clauber Francisco Cardoso Guimarães

A prática foi aplicada em

Taperoá

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Rua Antônio Mariano Ferreira, s/n, Centro

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Clarissa Maria Cardoso Guimarães

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

24 abr 2024

e atualizada em

24 abr 2024

Início da Execução

04/10/2023

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba
Práticas
Projeto Hidrovida: a utilização de terapia aquática como forma de tratamento para idosos com doenças osteomusculares.
Paraíba