Olá,

Visitante

Redescobrindo a Fala: Intervenção Teatral com Pacientes Afásicos Atendidos no Município de São Vicente.

A afasia é definida por MURDOCH (1997), como uma perda da função de linguagem, manifestada por dificuldade de produção de fala, leitura e escrita, envolvendo uma redução da capacidade de interpretar e formular elementos linguísticos com significado. Nesses sujeitos, ocorre uma alteração da linguagem em que a mesma reduz-se a significantes aparentemente não interpretados, podemos compreender que o sujeito desloca-se da posição de falante para uma posição contrária, devido à desorganização do discurso. Diante das limitações lesionais, o fonoaudiólogo encontra-se habilitado a promover uma adequação da linguagem alterada, abrindo novas possibilidades no processo de reabilitação. Diante disso, vimos a possibilidade de associar recursos da técnica teatral para potencializar a capacidade expressiva dos pacientes atendidos na reabilitação de fala e linguagem.O desenvolvimento do teatro com afásicos iniciou-se no ano de 2009 e teve seu término em 2013 com a participação de duas fonoaudiólogas de Centro Especializado à Saúde da Pessoa com Deficiência – “Reabilitar” do Município de São Vicente e do professor de teatro.O presente trabalho foi desenvolvido com um grupo de dez pacientes, em processo de reabilitação de fala/linguagem, através de encontros semanais com a participação das fonoaudiólogas e do professor de teatro, tendo duração de duas horas em cada encontro. Durante todo o decorrer da oficina foram trabalhadas: formas expressivas (verbais, gestuais, expressões faciais, emoções…), relaxamento corporal, importância do desenvolvimento corporal no processo de encenação, trabalho com resgate da memória, evocação, abstração, capacidade de elaboração, improvisação e exteriorização de sentimentos. As atividades propostas envolviam a interação dos pacientes com a utilização de músicas, danças, jogos cênicos e construção de atividades dentro de espaços imaginários ( mímica e adivinhação ). O trabalho em questão, foi desenvolvido com pacientes de ambos os sexos, com alteração de fala/linguagem pós AVC (Acidente Vascular Cerebral), tendo como critério de seleção, a preservação (no mínimo razoável) da capacidade de compreensão. Com relação às condições comunicativas presentes nos pacientes, as dificuldades variaram, existindo a presença de fala estereotipada, agramatismos, presenças de jargões, parafasias fonêmicas e anomias. Os aspectos motores também apresentaram variáveis, com a presença de pacientes hemiplégicos, hemiparéticos, cadeirante e sem sequela motora (apenas déficit sensorial).A cada três meses, as fonoaudiólogas realizaram processo de monitoramento do comportamento comunicativo e avaliação de aspectos relacionados às habilidades expressivas e comunicativas dos pacientes. Em todo o processo de reavaliação, constatava-se, que a possibilidade de colocar corpo/fala em movimento, repercutiram positivamente no comportamento geral dos pacientes, com maior incentivo para o tratamento fonoaudiológico. Sendo assim, aspectos específicos de

Necessidade da criação de estratégias diversificadas, a fim de desenvolver as ações comunicativas e interativas principalmente através do uso funcional da linguagem, onde a construção da mesma se faz através do próprio discurso dos pacientes/atores, permitindo a reorganização de seus próprios conteúdos verbais e tendo como agente facilitador, a interação discursiva de todo o grupo.

Concluiu-se que a arte dramática permite desenvolver a socialização dos pacientes e aumentar sua confiança e autoestima. Tal efeito positivo decorre da possibilidade de compartilhar experiências diferentes em um clima de aceitação e reasseguramento.

Principal

Aline Rodrigues Malachias E Luciana Gushiken

reabilitar@saudesaovicente.sp.gov.br

A prática foi aplicada em

São Vicente

São Paulo

Sudeste

Instituição

Rua Padre Anchieta, 462 - Centro

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Aline Rodrigues Malachias e Luciana Gushiken

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Balneoterapia – Lian Gong e Hidroginástica na Praia Central de Balneário Piçarras/Sc
Santa Catarina
Práticas
Terapia Comunitária : Espaço de Partilha e Enfrentamento de Pequenos Conflitos
Rio de Janeiro
Práticas
Experiencia Exitosa no Uso da Acupuntura na Atenção Básica
Rio de Janeiro
Práticas
Amigos da Água#
Tocantins
Práticas
Farmácia Viva no SUS – Maurilandia do Tocantins
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Produtos e Serviços de Fitoterapia e Plantas Medicinais no Sistema Único de Saúde no Município de Pato Bragado
Paraná
Práticas
Acupuntura, Automassagem e Auriculoterapia no Município de Mogi das Cruzes : Implantação das Práticas Integrativas e Complementares na Rede Básica Municipal.
São Paulo
Práticas
Inserção da Acupuntura na Atenção Básica Como Tratamento Terapêutico Complementar das Doenças Crônicas
São Paulo
Práticas
Estruturação, Fortalecimento e Implantação dos Serviços de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Pics) no Município de Patos na Promoção da Saúde Integral
Paraíba
Práticas
Parar de Fumar – em Que o SUS Pode Ajudar? Relato do Programa Municipal de Controle do Tabagismo em Quissamã/Rj
Minas Gerais