Olá,

Visitante

Projeto Dormir e Sonhar Evita Medicar: a Gestão Clínica do Medicamento com Ênfase na Saúde Holística para a Contribuição do Uso Racional e Desprescrição de Benzodiazepínicos.

ObjetivoContribuir para o uso racional de medicamentos, promover a prevenção quaternária em saúde, auxiliar a comunidade a buscar soluções, criar recursos de superação para seus problemas. Além de acolher, escutar sentimentos e dispensar medicamentos.MetodologiaEm 2018, através do acolhimento com dispensação orientativa de medicamentos de controle especial, pela farmacêutica do NASF, nas estratégias de saúde da família (ESF) e Unidade Básica de Saúde (UBS), houve o encaminhamento das pessoas que faziam uso de benzodiazepínicos para o grupo terapêutico. Este grupo foi estruturado com encontros semanais de 2h, sendo 1h de educação em saúde (multiprofissional) e 1h de meditação guiada, por 6 meses. O grupo formou-se com 26 participantes e 10 agentes de saúde (participaram para se capacitar e montar grupos em seus territórios).

No ano de 2018, o município de Vera Cruz que apresenta a população de 23.983 habitantes, institui o Núcleo Ampliado da Saúde da Família (NASF). Nesse período, foram priorizadas algumas linhas de trabalho para o NASF, entre elas a promoção do cuidado, através do acolhimento. Atualmente o uso crônico de benzodiazepínicos é crescente e na maioria das vezes, para medicalizar adversidades da vida, como luto, problemas conjugais, financeiros e outros. A prática do acolhimento na dispensação de medicamentos, contribui para a promoção do uso racional de medicamentos que é uma prática do processo de cuidado de saúde, como um fenômeno social. Portanto o acolhimento e os grupos educativos terapêuticos, são as principais oportunidades para praticar a negociação e a corresponsabilidade, entre os profissionais de saúde e a comunidade, para diminuir o sobredagnóstico e o automatismo do diagnóstico prescritivo que tem promovido, a medicalização social no cotidiano da Rede de Atenção à saúde (RAS).

A medicalização social crescente e a falta de informações da população, são obstáculos difíceis de serem enfrentados pelos gestores, profissionais de saúde e comunidade. O projeto proporciona a reflexão sobre a corresponsabilidade no processo saúde-doença e o início da construção do enfrentamento dos problemas, enquanto a prática de acolhimento no atendimento farmacêutico e nos encontros grupais, auxilia o processo de superação das dificuldades e o promove o uso racional de medicamentos.

Principal

Flávia Brasil Dias

A prática foi aplicada em

Santa Catarina

Sul

Instituição

Vera Cruz

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

22 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Aperfeiçoamento e segurança: impacto do trabalho multiprofissional na farmácia básica de Queimadas/PB
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Creme de Cordia: uma revolução no tratametno da Chikungunya em Montes Claros
Minas Gerais
Práticas
Medicamento não é lixo! Promoção do descarte ideal de medicamentos na Farmácia Básica de Boa Vista-PB
Paraíba
Práticas
A Utilização do Sistema Hórus na Farmácia Básica de Queimadas/Pb
Paraíba
Práticas
Avaliação das Demandas Judiciais e Administrativas de Medicamentos no Município de Tubarão – Sc”‘
Santa Catarina
Práticas
Assistência Farmacêutica – Judicialização
Amazonas
1 / 41234