Olá,

Visitante

Projeto ‘‘Caminhando com Saúde’’. Promoção da Atividade Física na Terceira Idade para Melhorar a Qualidade de Vida Física e Mental. Equipe de Saúde Familiar Atafona.2015-2017

Este projeto consiste em implantar um grupo de atividade física com os idosos da área com vistas a auxilia-los a romperem com o sedentarismo, usufruindo os benefícios que a atividade física proporciona àqueles que a praticam e melhorando sua vinculação social. O envelhecimento e um processo natural e o projeto Caminhando com Saúde é uma proposta para poder enfrentá-lo com funcionalidade, independência e qualidade de vida.No Brasil, com o aumento da perspectiva de vida, os idosos passam a representar uma parcela cada vez maior em nossa população, em sua maioria apresentam alterações do processo de envelhecimento agravadas pelo sedentarismo. Frente a esta situação fez-se necessário a realização de um projeto de intervenção que proporcione um programa de atividades físicas e educativas para os idosos moradores na comunidade da ESF de Atafona, visando a melhoria da autoestima, da socialização e dos benefícios psico-fisiológicos, afim de promover a saúde e a qualidade de vida desta população.Para começar o projeto Caminhando com Saúde, se realizou uma palestra educativa sobre a atividade física nos idosos e os benefícios desta. Realizamos uma pesquisa ativa de aqueles pacientes que cumprem com os critérios de inclusão tanto durante as consultas como durante as visitas domiciliais. Se criaram duas turmas de 30 pacientes cada uma, todos previamente avaliados medicamente e com atestado de saúde e consentimento para participar no projeto.Utilizamos para coleta de dados questionários, prontuários médicos e exame físico de cada paciente. Aproveitando o trabalho em grupo onde temos a pacientes com os mesmos interesses e dúvidas se realizam encontros mensais para avaliar indicadores de saúde, estimular a adesão ao grupo e realizar atividades de promoção de saúde de interesse comum. Em cada encontro se realizam palestras educativas. Realizam atividades físicas duas vezes por semana com exercícios acorde a faixa etária em vistas a melhorar estado físico, mental e propriocepção.A coleta de dados foi realizada mediante questionários previamente elaborados que foram aplicados antes de iniciar o projeto e evolutivamente a cada 6 meses avaliando não só a evolução física do paciente como também o estado psicológico depois de formar parte do projeto. Realizamos uma avaliação física individual a cada integrante do projeto antes de começar as atividades físicas e de forma evolutiva. Realizamos coleta de dados nos prontuários médicos de cada paciente. Utilizamos indicadores de avaliação nutricional como peso altura e IMC e dados como hábitos tóxicos do paciente, tratamentos, estado psicológico segundo avaliação pessoal e capacidade de realizar atividade física por critério de exame médico e critério do paciente. Todos os dados coletados foram colocados em tabelas previamente conformadas segundo as variáveis a utilizar, podendo assim realizar uma comparação evolutiva dos pacientes e definir a melhora nos indicadores de saúde. Utilizamos variáveis quantitativas com

Projeções apontam que em 2050 no Brasil, 22,71% da totalidade populacional do país será composta por idosos. Esta situação representa um desafio tanto do ponto de vista econômico, quanto social no sentido de atender as crescentes demandas nas áreas da saúde, previdência e assistência social a fim de melhorar a qualidade de vida daqueles que envelhecem. Embora a prática de atividade física se constitua em uma medida eficaz para minimizar os efeitos das alterações decorrentes do processo de envelhecimento, a frequência de sua prática no tempo livre dos idosos é ainda insuficiente. Nesse sentido, é de fundamental importância analisar e propor programas de promoção de atividades físicas voltados aos idosos, incentivando-os à aderência a um estilo de vida fisicamente ativo. Em nossa população da área de abrangência da ESF Atafona em São Joao da Barra, Rio de Janeiro, o 32,55% da população se encontra representada pela terceira idade, a maioria deles sofrem de doenças crônicas não transmissíveis, transtornos psicológicos como depressão e baixa autoestima com elevado consumo de medicamentos.

Depois de realizar este Projeto a principal aprendizagem é que se enfrentamos o processo de envelhecimento como uma etapa natural da vida, e mostramos aos idosos o caminho para manter sua independência e funcionalidade. É sabido que mudar hábitos é tarefa árdua, mas com a sensibilização dos profissionais da saúde e demais setores da administração pública sabemos que é possível realizar grandes mudanças. A preparação do profissional de saúde e de Educação física para indicar de forma adequada a prática de atividade física para uma pessoa idosa é a via para melhorar a adesão desta faixa etária, criar espaços para um atendimento diferenciado e mostrar para eles a acessibilidade pode aumentar a aderência a estes tipos de programas. O projeto também mostra o papel fundamental da socialização obtida em qualquer trabalho em grupo, o que por si só, pode representar novas perspectivas para a pessoa idosa, além de maior aceitação na sociedade.

Principal

Arleny Valdés Arias

Roberta Ribeiro Machado

A prática foi aplicada em

SP

São Paulo

Sudeste

Instituição

5

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Sms São João da Barra - Rj

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Primeira Mostra de Experiência da Linha de Cuidado Sobrepeso e Obesidade, Os Resultados Alcançados Pelo Município de Parapuã Sp
São Paulo
Práticas
Compulsão Decisória na Judicialização da Saúde, des estruturando e des afiando o Financiamento Finito do Sistema Único de Saúde
São Paulo
Práticas
Regulação do Acesso À Atenção Especializada: des coberta de um Iceberg e des afios A Serem Superados
São Paulo
Práticas
Fórum Permanente de Embu Guacu: uma Possibilidade de Organização do Cuidado Intersetorial
São Paulo
Práticas
Consultório na Rua: uma Ampliação da Abordagem das Pessoas Vivendo com Hiv/Aids Focando A Adesão
São Paulo
Práticas
Processo Formativo de Apoio em Saúde Mental no Município de Franco da Rocha – Sp
São Paulo
Práticas
Estruturação da Rede de Saúde de Franco da Rocha: Análise do Financiamento das Ações, Por Meio da Transferência de Recursos Obrigatórios e Voluntários ao Município
São Paulo
Práticas
Participação Social na Construção do Planejamento Estratégico em Saúde e do Plano de Educação Permanente no Território de Ermelino Matarazzo/Sp
São Paulo
Práticas
Impactos da Formação de Trabalhadores Sobre Práticas Relativas ao Uso Racional de Medicamentos: Experiência no Contexto do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps)
São Paulo
Práticas
A Assistência Farmacêutica como Veículo de Educação e Economia
São Paulo