Olá,

Visitante

Programa Estadual de Financiamento da Atenção Primária À Saúde: Estratégias de Monitoramento

Maricá é um município de médio porte do Estado do Rio do janeiro, localizado na região metropolitana II. Segundo as estimativas do IBGE para 2021, o município possui 167.668 habitantes, sendo 155.323 habitantes cadastradas no e-SUS. No município a Estratégia Saúde da Família (ESF) é a porta de entrada preferencial para a rede de serviços de saúde. Em 2020, o município passou por um processo de reestruturação da Atenção Primária à Saúde (APS), com o objetivo de fortalecer a APS e ampliar o acesso da população. Desde então foram implantadas e credenciadas 19 novas equipes de Saúde da Família (eSF), 01 equipe de Núcleo Ampliado de Saúde da Família (eNASF) e 03 equipes de Saúde Bucal (eSB). Atualmente o município dispõem de 05 eNASF, 19 eSB, 01 equipe de Consultório na Rua (eCR) e 54 eSF. Concomitantemente ao aumento da cobertura de ESF, realizou-se processo seletivo para a contratação de gerente para cada Unidade de Saúde da Família (USF), com o objetivo de que esse profissional trabalhe em regime de dedicação exclusiva na administração e planejamento do dia a dia das unidades de saúde, garantindo a gestão e organização de todo o processo de trabalho das equipes. Desde abril de 2021, a Coordenação de Atenção Primária passou a fazer reuniões mensais de planejamento e monitoramento dos indicadores do Programa Estadual de Financiamento da Atenção Primária à Saúde (PREFAPS) com os gerentes, médicos e enfermeiros Responsáveis Técnicos das USF.

Com o objetivo de organizar e fomentar a discussão sobre as potencialidades e dificuldades encontradas pelas equipes no cotidiano do trabalho, a Coordenação da APS instituiu um calendário fixo de reuniões com os gerentes das USF, enfermeiros e médicos RT. As reuniões com os gerentes ocorrem toda primeira quarta-feira do mês

Este relato de experiência evidenciou que a potencialidade e contribuições das reuniões entre gestão e profissionais de saúde da ESF para o planejamento local em saúde. Recomenda-se que os gestores realizem reuniões periódicas e sistemáticas para avaliação e monitoramento dos processos de trabalho. A gestão participativa das rotinas que interferem diretamente no acesso é fundamental para haver espírito de equipe, participação ativa e consciente e maior cooperação mútua entre profissionais. Observou-se que o alcance dos resultados está diretamente ligado ao entendimento pelos profissionais de que o número reflete o processo de trabalho estruturado e coeso, não refletindo apenas no recebimento do incentivo financeiro, mas na garantia do acesso aos serviços de saúde.

Principal

Shirley Ribeiro dos Santos Linhares

marica.aps@gmail.com

A prática foi aplicada em

Maricá

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Avenida Roberto Silveira, 46 - Centro

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Shirley Ribeiro dos Santos Linhares

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

08 out 2019

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba