Olá,

Visitante

Produtos Vida Doce – oficina de geração de trabalho, renda e integração à sociedade para portadores de transtorno mental, familiares e comunidade em geral

Objetivo- Promover a autonomia, participação e inserção social do usuário de saúde mental na comunidade, redução de crises e/ou sintomatologia dos pacientes diagnosticados com algum transtorno mental, motivar para o trabalho e geração da própria renda.MetodologiaPara o desenvolvimento do projeto, é realizado mapeamento dos usuários com algum tipo de transtorno mental que são encaminhados ao centro de convivência. As oficinas escolhidas são baseadas no estudo do perfil do público alvo e também no território. A escolha da oficina de doces é baseada no projeto de distribuição de leite já existente no município e na riqueza de frutas da região, o que gera um menor custo tanto para gestão quanto para usuários que produzem em suas casas. São utilizadas duas oficineiras que acompanham e orientam os usuários.

Produtos Vida Doce é o nome dado aos produtos que resultam de oficinas de artesanato e culinária, que acontecem no Centro de Convivência e Cultura de Caparaó, MG. Estas oficinas acontecem desde 2013, tem como público alvo, pacientes em sofrimento mental , seus familiares , população em vulnerabilidade, sendo aberta também a comunidade em geral. Este projeto resultou da observação dos profissionais de saúde, sobre o alto índice populacional diagnosticado com transtorno mental e sua dificuldade de inserção na sociedade. As atividades realizadas são produção de doces típicos da região ( visando o menor custo) e de artesanato, que são comercializados também pelos próprios usuários. Além da produção e comercialização de doces, são criados durante as oficinas, momentos de discussões de temáticas que propiciam além da participação na comunidade, a autonomia e o empoderamento dos usuários.

O projeto vida doce vem transformando vidas. A saúde mental tem uma história triste de exclusão e segregação. Hoje nosso município vem ajudando cada usuário junto a seus familiares a construir e protagonizar sua própria história. Estamos por meio deste projeto, desinstitucionalizando, promovendo a equidade e garantindo o acesso a saúde de grupos que anteriormente não tinham voz. Hoje cada usuário ocupa um lugar em seu território, seja vendendo seu produto na praça ou reivindicando seus direitos.

Principal

Fernanda Carlos Donádio

A prática foi aplicada em

Caparaó

Minas Gerais

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Caparaó

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

22 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba
Práticas
Estruturação do cuidado em saúde mental de crianças e adolescentes vítimas de violência
Rio de Janeiro
Práticas
Estruturação da Rede de Cuidado para a Atenção às Crianças e Adolescentes com TEA e suas famílias
Rio de Janeiro