Olá,

Visitante

Práticas Integrativas e Complementares em Saúde: Divulgação de Evidências Científicas para a População

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) foram contempladas em uma política nacional, proposta pelo Ministério da Saúde, a partir de 2006. Os objetivos da política incluem a ampliação da assistência no Sistema Único de Saúde (SUS), assim como a expansão de ações de ensino, pesquisa, extensão e gestão. Atualmente a política contempla vinte e nove práticas, entre elas: homeopatia, medicina tradicional chinesa, ayurveda, yoga, meditação e reiki. Uma das principais questões relacionada a tais práticas deve-se à visão equivocada da ausência de evidências científicas na área, além de informações errôneas difundidas pela mídia, que visam trazer uma imagem negativa das práticas, sem valorizar os benefícios diretos aos pacientes. Esses são apenas dois aspectos que impactam negativamente na credibilidade e na oferta das PICS para a população, através do SUS.Entretanto, o que se observa na atenção básica em saúde é justamente o contrário: os pacientes apresentam melhor qualidade de vida após a abordagem terapêutica com PICS.Portanto, esse projeto visa realizar um importante movimento de difusão de informação científica correta, incluindo a busca de artigos científicos, e a tradução para uma linguagem acessível à população, informando o que tem sido realizado no âmbito da pesquisa. Essa divulgação está sendo realizada através de ambientes virtuais e redes sociais, incluindo blog, instagram, facebook e twitter.O projeto visa contribuir com o esclarecimento da população, demonstrando a possibilidade de utilizar outras racionalidades médicas e recursos terapêuticos no cuidado à saúde e autocuidado, além da medicina hegemônica alopática.

O principal problema abordado está relacionado a divulgação escassa de evidências científicas em PICS. Portanto, este projeto de extensão da UFF realiza um movimento de divulgação científica, destinado tanto à comunidade interna da universidade, quanto a comunidade externa.

Principal

Gleyce Moreno Barbosa

gleycemorenobarbosa@id.uff.br

A prática foi aplicada em

Niterói

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Gleyce Moreno Barbosa

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

01 jul 2018

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Terapia de Purificação okada
Ceará
Práticas
Meditação Como Pratica Integrativa e Complementar em Saúde Aos Estudantes da Ufj. Projeto de Pesquisa e Extensão
Goiás
Práticas
Protocolo de Retirada Gradual dos Inibidores da Bomba de Prótons (Omeprazol) Através do Uso de Maytenus Ilicifolia M. Ex R. (Espinheira-Santa)
Santa Catarina
Práticas
Registro de Espécies Medicinais do Horto Medicinal do Programa Farmácia Viva no Site Splink.Org Como Garantia de Qualidade e Rastreabilidade, São Bento do Sul, Sc.
Santa Catarina
Práticas
Processo de Instituição da Lei Nº4064 de 08 de Maio de 2019 Que Cria o Programa de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde no Município de São Bento do Sul, Sc.
Santa Catarina
Práticas
Centro Municipal de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Cempics): Referência em Práticas Integrativas no SUS de São Bento do Sul, Sc.
Amazonas
Práticas
Estruturação do Laboratório de Produção de Droga Vegetal do Programa Farmácia Viva de São Bento do Sul, Sc.
Santa Catarina
Práticas
Impacto da Lei Municipal de Práticas Integrativas e Complementares no Número de Atendimentos com Pics em São Bento do Sul, Sc.
Santa Catarina
Práticas
A Terapia Comunitária Integrativa no Enfrentamento À Pandemia: uma Rede on-Line de Apoio Solidário.
Rio de Janeiro
Práticas
Fortalecimento das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde no Municipio de Guarulhos: Danças Circulares Como Estrátegia de Promoção À Saude.