Olá,

Visitante

Parceria Entre Vigilância Epidemiológica e Vigilância Sanitária – Ações de Imunização

ObjetivoMelhorar a cobertura vacinal durante a rotina e campanhas nacionais de vacinação, bem como identificar situações problema nas salas de vacina e reduzir o número de casos de doenças imunopreveníveis no município.MetodologiaInicialmente foi realizada uma reunião entre os gerentes das seções de vigilância epidemiológica (SEVEP) e sanitária (VISA) e a diretora do DEVS para liberação do fiscal sanitário e da Referência Técnica em Imunização realizarem as inspeções conjuntamente nos estabelecimentos de vacinação públicos e privados. Durante as visitas foram entregues ofícios orientando sobre o repasse de informações dos imunobiológicos aplicados à SEVEP para transmissão via sistema, bem como sobre as condições técnicas e estruturais da sala de vacinação. Também foram distribuídos materiais informativos, palestras com diretores das escolas municipais e treinamento em 2019 sobre o lançamento dos dados no SIPNI aos estabelecimentos de vacinação.

Após a verificação da queda na cobertura vacinal do município e o surto de Febre Amarela no estado, fez-se necessárias ações a fim de melhorar os índices e alcançar as metas pactuadas. O Departamento de Vigilância em Saúde (DEVS), através da parceria entre as vigilâncias epidemiológica e sanitária, traçou estratégias para o acompanhamento dos serviços de vacinação públicos e privados, com o intuito de coletar informações sobre doses aplicadas nestes locais e atualizar o Sistema de Informação do Programa Nacional de imunização (SIPNI) sobre a cobertura real de cada imunobiológico. Também foram observadas durante as visitas de inspeção a estrutura da sala de vacina, conservação e técnicas de administração dos imunobiológicos para garantir a qualidade do produto ofertado e evitar a ocorrência de Eventos Adversos Pós Vacinal (EAPV) e/ou complicações à população. Essas ações tiveram início em fevereiro de 2018 e permanecem em atividade, visto que foi detectada melhoria na cobertura vacinal.

cobertura vacinal dos imunobiológicos de rotina apresentou grande melhora se comparado os anos de 2017 e 2018, comprovando a efetividade e eficácia das ações conjuntas entre as seções SEVEP e VISA, bem como a implantação da RDC 197/2017 durante as ações. O acesso e uso adequado das informações e a soma dos esforços gera consequentemente o alcance das metas, além de garantir um serviço de qualidade à população, independente do público atendido nas instituições públicas e privadas.

Principal

Karoline de Castro Moraes

A prática foi aplicada em

MG

Minas Gerais

Sudeste

Instituição

Ipatinga

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

09 maio 2016

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Incidência de Casos de Leishmaniose Tegumentar Americana no Município de Pilões
Paraíba
Práticas
O Combate As Subnotificações Relacionados Aos Agravos a Saúde do Trabalhador Através da Educação Permanente dos Profissionais de Saúde no Município de São João da Barra-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Vigilância Itinerante
Rio de Janeiro
Práticas
A Implantação dos Serviços Especializados no Diagnóstico da Infecção pelo Hiv e a Descentralização do Testagem Rápida do Hiv/Sifilis/Hvb e Hvc no Município de Maricá
Rio de Janeiro
Práticas
Comitê Intersetorial de Combate À Dengue (Cicd) uma Estratégia de Promoção À Saúde de uma Unidade de Saúde de Niterói/Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Curso em Sexualidade para Professores do Ensino Fundamental Ii
Rio de Janeiro
Práticas
Sinergia da Vigilância em Saúde (Vs) no Processo de Monitoramento da Qualidade da Água para Consumo Humano
Rio de Janeiro
Práticas
Um Modelo de Assistencia Diagnóstica e Tratamento para As Ist/Hiv/Aids e Hepatites Virais em Cta – Centro de Testagem e Aconselhamento 24 Horas – Clínica Periférica
Rio de Janeiro
Práticas
Exercícios Simulados Aprimorando Planos de Contingencia para Desastres
Rio de Janeiro
Práticas
Plano de Contingencia para Desastres Tecnológicos: Estratégia de Construção no Município de Angra dos Reis
Rio de Janeiro