Olá,

Visitante

O DenaSUS no Controle Interno dos Laboratórios de Citopatologia no Âmbito do SUS, Brasil, 2011 e a Efetividade Desta Ação

A gestão da qualidade dos exames de citopatologia é um aspecto essencial dos programas de rastreamento no mundo, recomendado internacionalmente por todos os órgãos de referência no tema. Segundo o Manual de Monitoramento de Qualidade de Laboratório de Citopatologia (INCA, 2012) a gestão da qualidade está baseada em um conjunto de medidas destinadas a detectar, reduzir e corrigir deficiências do processo de produção dentro do laboratório. Para fazer um diagnóstico situacional dos laboratórios de citopatologia que prestam serviços ao Sistema Único de Saúde e recomendações para a melhoria da qualidade do exame, o Ministro da Saúde instituiu o Grupo Coordenador Nacional da Força-Tarefa para a Avaliação dos Laboratórios de Citopatologia no âmbito do SUS, por meio da Portaria GM/MS n. 1.682 de 21 de julho de 2011. Realizou ação de visita técnica com auditores do Sistema Nacional de Auditoria, com entrevista ao responsável dos laboratórios de citopatologia que realizam exames citológicos de Papanicolau em 2010 de cada UF. Visitados 1.472 laboratórios em 696 municípios. Destes, 1.356 atende ao SUS e 116 não. Dos laboratórios que atendem ao SUS, 989 não terceirizam as ações, 359 terceirizam. Da natureza, 234 são públicos, e 755 privados. Dos 939 informou que registram no SISCOLO e 40 não utilizam este Sistema. Dos que registram 146 não tem produção em 2010. A produção dos 989 laboratórios, os que apresentaram produção igual ou acima de 15 mil exames/ano em 2010, no SISCOLO-186 laboratórios SIA-158 laboratórios, 37 públicos e 121 privados. Verificou-se: 755 laboratórios da rede privada, 677 possuem alvará, 72 não. Do total de 2.704 profissionais que atuam nos laboratórios, 1.505 cadastrados no SCNES e 1.199 não. Constatou-se: 728 profissionais participam de educação continuada. O Monitoramento Interno é realizado em 692, comprovaram em 425. Os achados mostram aos gestores subsídios na tomada de decisão, e busca de controle do câncer de colo do útero, contexto da ação integral à saúde da mulher. A efetividade desta ação permitiu o desdobramento no fortalecimento da gestão regionalizada do Programa Nacional de controle do Câncer do Colo do Útero para acompanhamento e monitoramento das ações Qualificação de equipes da Atenção Primária à Saúde para o rastreamento Gestão da Qualidade dos Exames de Citopatologia Implantação gestão de qualidade dos laboratórios citopatologicos por meio do Monitoramento Interno e Externo de Qualidade e estabelecer uma política de certificação dos laboratórios.

No mundo, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais comum nas mulheres com aproximadamente 530 mil casos novos e 274 mil óbitos por ano (WHO, 2008a). No Brasil a estimativa de incidência de câncer do colo do útero para 2012, publicada pelo INCA/MS, a região Norte aparece com a maior incidência, com uma taxa bruta de 24 casos por cada 100 mil mulheres. As regiões Centro-Oeste e Nordeste ocupam a segunda e terceira posição, com taxas de 28 e 18/100 mil, respectivamente. A taxa da região Sudeste é 15/100 mil e região Sul, 14/100 mil.

Principal

Marly Galdino de Almeida

A prática foi aplicada em

Brasília

Distrito Federal

Centro-Oeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Marly Galdino de Almeida

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

08 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro