Olá,

Visitante

Melhoria da Cobertura Vacinal no Município de Contagem Através do Ponto Extra de Vacinação em um Shopping do Município

Categoria não especificada

A Atenção Básica é a principal porta de entrada e o centro articulador do acesso dos usuários ao Sistema Único de Saúde (SUS) e às Redes de Atenção à Saúde, orientada pelos princípios da acessibilidade, coordenação do cuidado, vínculo, continuidade e integralidade. Para atender esses princípios, a Atenção Básica desenvolve programas e ações, considerando a diversidade das necessidades de saúde dos usuários, e uma das principais ações de prevenção a doenças é a Imunização. As Unidades Básicas de Saúde, que são as principais estruturas físicas da Atenção Básica, são instaladas próximas da vida dos usuários, desempenhando um papel central na garantia de acesso a uma saúde de qualidade. Mas percebemos que atualmente a população não tem procurado tanto as salas de vacina, muitas vezes devido ao horário de atendimento, que sempre é em horário comercial, o que dificulta a vacinação dos filhos. Introduzimos com isso uma sala de vacinação em horário estendido em um Shopping de Contagem, em uma localização Central, que funciona até as 22:00horas. No início estavamos vacinando apenas vacina de COVID-19, mais no mês de novembro de 2022 com as baixas coberturas introduzimos as vacinas de rotina do caléndario do PNI e as coberturas vacinais do município vem aumentando a cada dia e a procura também, levando ao município a intenção de abrir outra sala em outro shopping.

Após as apresentarmos as organização dos processos identificamos os problemas abaixo que prejudicam as coberturas vacinais: -Salas de vacinas com horários comerciais que não atendem a população; -Relatórios no Si-PNi complicados. -Não migração dos dados do e-SUS AB para o SIPNI; -Dificuldade dos profissionais com o e-SUS AB -Falta de profissionais técnicos capacitados e com interesse em se capacitar e treinar imunização; -Muitos calendários vacinais que acabam sobrecarregando os vacinadores. -Falta de profissionais técnicos.

Após as apresentarmos as organização dos processos identificamos os problemas abaixo que prejudicam as coberturas vacinais: -Salas de vacinas com horários comerciais que não atendem a população; -Relatórios no Si-PNi complicados. -Não migração dos dados do e-SUS AB para o SIPNI; -Dificuldade dos profissionais com o e-SUS AB -Falta de profissionais técnicos capacitados e com interesse em se capacitar e treinar imunização; -Muitos calendários vacinais que acabam sobrecarregando os vacinadores. -Falta de profissionais técnicos.

Hoje a Vigilância em Saúde – Imunização encontra muitas fragilidades e desafios, o maior deles é a não integração da Imunização com a Atenção Básica. A disputa de quem detém o poder de organizar o serviço deixa a ponta totalmente fragilizada. Quando a Imunização tem em sua coordenação pessoa com capacidade técnica de controlar todo o processo de logistica e parte técnica sem o envolvimento externo da política e de outras aréas o serviço rende, a equipe se sente acolhida, treinada e confiante. Os processos de melhorar o acesso ao paciente, informar sobre as doenças que as vacinas protegem, o trabalho do ACS voltando, com conferência de cartão, informar ao paciente a importância de se imunizar, a comunicação municipal, Estadual e Federal fazendo seu papel de divulgar as vacinas e desfazendo as fake news retornaremos com as coberturas vacinais. Eventos para os profissionais, treinamento contanste dos profissionais isso ajudará bastante também

Principal

CLARISSA DOMINDOS DE CASTRO

Coautores

Valeria Teixeira de Araujo Moreira

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba