Olá,

Visitante

Jardim Terapêutico – na Busca pela Interação de Saberes para Integralidade do Cuidado.

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera as plantas medicinais como importantes instrumentos da assistência farmacêutica, e por meio de vários comunicados e resoluções, vêm demonstrando sua posição a respeito da necessidade de valorizar a sua utilização. Observa-se que, nos paises em vias de desenvolvimento, 70% a 90% da população depende do uso de plantas medicinais para seu próprio cuidado em saúde (WHO, 1993

Atualmente, existem instrumentos norteadores para o desenvolvimento de programas com plantas medicinais no SUS, como a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) com diretrizes e linhas de ação para Plantas Medicinais e Fitoterapia e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos.A necessidade de inclusão do serviço e comunidade no universo fitoterápico, em consonância com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e a PNPIC, motivou o desenvolvimento de um projeto que pudesse envolver a comunidade e os profissionais de saúde nas suas diversas etapas de implantação: a realização de oficinas temáticas, a definição e plantio de mudas e a manutenção do Jardim Terapêutico. A meta principal deste trabalho é descrever o projeto de intervenção da implantação do Jardim Terapêutico na Unidade Básica de Saúde de São Cristóvão (UBSSC) e o envolvimento de diversos atores da equipe da UBSSC e da comunidade.

A implantação de espaços como o Jardim Terapêutico, com diversas espécies de plantas medicinais pode ser uma excelente ferramenta para trabalhar a utilização de recursos naturais e sustentáveis em busca da qualidade de vida e saúde. Também contribui na divulgação e informação aos profissionais de saúde, gestores e usuários sobre os conhecimentos básicos a respeito das plantas medicinais e fitoterápicos. Além disto, os Jardins podem ser utilizados como locais de aglutinação cultural e educação popular além de possibilitar ações terapêuticas com diversos grupos como pacientes hipertensos e em acompanhamento de saúde mental.O desenvolvimento de projetos com plantas medicinais depende de articulação e parceria entre a Secretaria de Meio Ambiente, a Secretaria de Saúde e outros órgãos ligados ao cultivo de plantas. Observamos que houve grande aceitação, tanto dos funcionários da USSC quanto da comunidade, para o desenvolvimento do “Jardim Terapêutico”, a resposta da comunidade ao projeto vem se ampliando positivamente, com maior participação de usuários. A adesão e identificação da comunidade com o tema é mais uma garantia de que os esforços empenhados até o momento podem produzir cada vez mais sucesso a aplicação das ações propostas pela PNPIC. No entanto, atualmente a demanda por solicitação mudas de plantas é superior a capacidade de produção das mesmas no viveiro municipal. Em continuidade aos esforços de implantação das diretrizes descritas na PNPIC, fica o desafio de fortalecer o apoio institucional aos equipamentos que desenvolvem projetos locais na área temática, a alocação de recursos específicos para o desenvolvimento e sustentação dessas ações, a ampliação da formação de profissionais de saúde e áreas afins e a ampliação do uso de medicamentos fitoterápicos na rede do SUS.

Principal

Patricia Hulle

usscristovão@correio1.vitoria.es.gov.br

A prática foi aplicada em

Vitória

Espírito Santo

Sudeste

Instituição

Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1185, Forte São João

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Patricia Hulle

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Mindfulness, uma estratégia para redução da ansiedade e manejo de peso
Rio Grande do Sul
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba
Práticas
Auriculoterapia uma práticas integrativas: como alternativa complementar no tratamento da ansiedade
Paraíba
Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso