Olá,

Visitante

Imuniza Glória: Trabalhando em rede fortalecendo e rescrevendo um novo capítulo na história da imunização do município de Nossa Senhora da Glória- SE

No Brasil a vacinação é a prática de maior impacto contra as doenças imunopreviníveis resultando na redução da morbimortalida de infantil. O Programa Nacional de Imunização está conectado a atenção primária de saúde (APS), assim, as etapas de armazenamento, distribuição, aplicação e monitoramento das coberturas vacinais fazem da APS a principal responsável pela execução desse programa, através de um processo articulado, descentralizado e integrado, facilitando e estreitando o acesso dos usuários aos imunobiológicos. O Brasil mesmo sendo referência mundial em vacinação vem apresentando nos últimos 5 anos uma redução nas coberturas vacinais. Essa tendência de redução nas coberturas vacinais também foi observado no estado de Sergipe, inclusive no município de Nossa Senhora da Glória. Diante deste cenário foi estabelecida uma parceira em rede das coordenações de Imunização, Atenção Primária à Saúde e e-SUS e apoiada pela gestão municipal através da Secretária Municipal de Saúde tendo como objetivo principal fortalecer e reestruturar a rede municipal de imunização e aumentar as coberturas vacinais do município. É importante ressaltar que Nossa Senhora da Glória encontra-se em vasto crescimento populacional e econômico sendo atualmente conhecida como a capital do “Ouro Branco” devido ao grande processamento de leite na região. Esse avanço econômico reflete diretamente no setor saúde pois, o crescimento econômico atrai novas famílias com o perfil SUS dependente e, com isso, novos desafios para a Estratégia de Saúde da Família para cumprir as diretrizes e princípios do SUS. Conhecer nossa realidade e traçar nosso perfil foi importante para enxergar nossas dificuldades e buscar novas estratégias a fim de aumentar gradativamente as coberturas vacinas até chegar aos níveis considerados ideais pelo Ministério da Saúde. Conhecer a realidade na qual o processo de vacinação está inserido, levantar os fatores limitantes, solucionar os problemas encontrados e buscar novas estratégias vacinais para atrair e reconquistar a confiança de pais e crianças não é uma tarefa fácil, mas é possível. Após a execução do projeto “Imuniza Glória” no ano de 2022 às coberturas vacinais voltaram a crescer acima dos 90 %. Com isso, pode-se afirmar que as estratégias traçadas e as ações executadas tiveram impactos positivos no crescimento das taxas de coberturas vacinais.

Trabalhando em rede: Dialogando sobre o nosso perfil e identicando nossas problemáticas diante do acelerado crescimento populacional do município de Nossa Senhora da Glória foi possível observar a dificuldade das equipes de saúde da família em acompanhar este crescimento e prestar uma assistência que abrangesse a população SUS dependente. Ao verificar tais dificuldades principalmente no tocante a imunização foi estabelecida uma parceira em rede das coordenações de Imunização, Atenção Primária a Saúde e E-SUS e apoiada pela gestão municipal através da Secretária de Saúde com objetivo de aumentar as coberturas baseando-se no perfil traçado, sanando e intervindo nos problemas encontrados. Conhecer nossa realidade e traçar nosso perfil foi importante para enxergar nossas dificuldades e buscar novas estratégias a fim de aumentar gradativamente as coberturas vacinas até chegar aos níveis considerados ideais pelo Ministério da Saúde. Assim, foi possível tabelar nossa série histórica vacinal dos últimos 5 anos inclusive da Campanha Nacional contra poliomielite e observar nosso declínio no decorrer dos anos conforme expresso na tabela abaixo.

CRIANÇAS MENORES DE 1 ANO CRIANÇAS DE 1 ANO Ano Pop BCG Rotavirus Pneumo 10 Mening. Conj.c Penta Polio Hepatite A Tríplice viral D1 Tríplice viral D2 Varicela 2017 929 165,60% 83,60% 91,09% 91,09% 86,45% 85,92% 79,32% 86,67% 79,69% 133,23% 2018 539 59,55% 97,22% 97,96% 96,66% 95,73% 95,73% 91,84% 96,66% 86,46% 90,35% 2019 597 52,4% 95,5% 98,0% 96,8% 84,6% 94,6% 95,1% 96,7% 91,3% 93,6% 2020 597 74,5% 82,45% 85,4% 83,8% 86,4% 83,4% 88,9% 93,6% 82,2% 87,3% 2021 621 115,9% 58,3% 59,7% 61,4% 62,5% 61,2% 56,8% 62,6% 54,6% 55,6%
TABELA 6-Série Histórica das coberturas vacinais do município de Nossa Senhora da Glória
Fonte: Centralizador do Estadual.

Ao analisar os dados acima criamos o projeto Imuniza Glória: Trabalhando em rede e reescrevendo um novo capítulo na história da imunização do município de Nossa Senhora da Glória- se, com objetivo de reestruturar e fortalecer a rede de vacinação do município e aumentar as coberturas vacinais. Dentre as problemáticas encontradas verificou-se que as Clínicas de Saúde da Família funcionavam em horários comercias assim, dificultando o acesso dos pais em levar as crianças, pois são usuários economicamente ativos e que no horário de funcionamento da sala estão em seus trabalhos não tendo como opção um horário alternativo. Do mesmo modo, nas campanhas de vacinação as ações eram pontuais com estratégias que não atingia todos os públicos. Outro ponto encontrado foi a desatualização dos profissionais de saúde inclusive dos vacinadores em relação ao tema de imunização, com isso, observou-se uma insegurança no processo de trabalho dos mesmos em relação a temática vacinação. Além disso, foi possível verificar uma diminuição na informação por parte dos profissionais da importância da vacinação e na busca ativa das crianças com esquema vacinal atrasado. Além disso, o sistema de informação relacionado à vacinação era um fator limitante para o alcance das coberturas vacinais, pois era utilizado no modo Coleta de Dados Simplificada- CDS com isso necessitava que os dados fossem compilados em uma mídia externa (pen drive) e depois essa mídia era plugada em um computador com acesso à internet para o envio dos dados. Observou-se que essa era uma ação difícil, limitante e que prejudicava as coberturas vacinais visto que, alguns dados eram perdidos durante o processo. A falta de acolhimento e humanização por parte dos profissionais de saúde inclusive dos vacinadores durante o processo de vacinação foi uma das problemáticas encontradas que dificultavam o acesso das crianças as salas de vacinação, pois os pais alegavam que não se sentiam segurados nem acolhidos para levarem os filhos para vacinação. Observou-se que algumas salas de vacina cotavam com número inapropriado de vacinadoras mediante ao fluxo diário assim gerando uma sobrecarga de trabalho. Com chegada da pandemia, com a alta das fake news e a desinformação verificaram-se um movimento de recusa vacinal e uma insegurança por parte dos pais no tocante a eficácia das vacinas ofertadas pelo Programa Nacional de Imunização. Esse processo de contaminação desinformativa agravou uma situação que já se anunciava no decorrer dos anos e a consequência foi uma queda nas coberturas vacinas. Diante deste cenário foi traçado algumas estratégias com objetivo de solucionar os problemas encontrados, fortalecer a rede de imunização e aumentar as coberturas vacinais.

Traçando/ executando estatrégias e fortalecendo executando e fortalecendo a rede de imunização municipal : É fundamental conhecer o perfil e a realidade na qual o processo de vacinação está inserido, pois isso ajuda a planejar e traças estratégias reais para atingir as metas e objetivos estabelecidos. Partindo desta premissa o município de Nossa Senhora da Glória através da coordenação de imunização em parceira com as coordenações da Atenção Primária a Saúde e E-SUS início um processo de busca ativa vacinal e aumento das coberturas vacinais. A desatualização profissional foi uma das problemáticas levantadas quando se traçou o perfil municipal. De acordo com PASCHOAL et al (2007) a educação é um fenômeno necessário para o funcionamento de uma sociedade já em relação a educação permanente e continuada em serviço uma ferramenta fundamental para o transformar o ser profissional e o indivíduo além de proporcionar alternativas que possam minimizar as dificuldades. Baseando-se na literatura o município proporcionou capacitações envolvendo temas relacionados ao processo de imunização sendo eles: Boas práticas no processo de vacinação; Acolhimento da criança e família no ato da vacinação; Atualização do calendário vacinal e Sistema de Informação e tecnologias aplicadas ao processo de vacinação. As capacitações foram direcionadas aos enfermeiros, médicos, técnicos de enfermagem, vacinadores, Agentes comunitários de saúde e gestores . No Brasil, há uma grande produção de informações em saúde e a sua utilização aperfeiçoa o planejamento estratégico das ações em saúde nos municípios. Nas salas de vacinas os dados gerados (registro da dose aplicada) são base para a leitura da cobertura vacinal daquele local – Unidade de Saúde e será base também, para cobertura vacinal do município e, num contexto maior, será contabilizado na cobertura vacinal do país (BRASIL, 2005). O município modificou a rede de informação das salas de vacinas saindo do modo CDS e migrando para o Prontuário Eletrônico- PEC tendo como vantagens os registros seguros, dados qualificados e facilidade na restauração dos dados perdidos, otimização de tempo e acompanhamento do processo de trabalho dos vacinadores, além das às coberturas vacinais. As equipes foram treinadas para trabalhar com a nova ferramenta. Além disso, as coordenações de Imunização, Atenção Básica e E-SUS utilizam para o monitoramento diário, busca ativa das crianças faltosas e correções de dados inconsistentes. O acolhimento é uma diretriz da Política Nacional de Humanização -PNH ele é construído de forma coletiva, a partir da análise dos processos de trabalho e tem como objetivo a construção de relações de confiança, compromisso e vínculo entre as equipes/serviços, trabalhador/equipes e usuário com sua rede sócio afetiva (BRASIL, 2013). Neste contexto percebeu-se que o processo de vacinação era feito de forma mais robótica sem criação de vínculo com os autores envolvidos. Diante deste cenário foram utilizadas algumas ferramentas da PNH com objetivo de melhorar a qualidade do serviço prestado nas salas de vacina dentre elas podemos citar a ambiência das salas, pois todas foram decoradas de forma lúdica e acolhedora , as vacinadoras foram treinadas sobre o processo de acolhimento da criança e de toda a família durante o processo de vacinação tais mudanças também acorreram nas campanhas nacionais de vacinação. Além disso, foi corrigida a sobrecarga de trabalho e realizado o dimensionando profissional de forma adequada e a mudança nos horários de funcionamento das salas de vacina atualmente com horários alternativos como mostra a tabela abaixo.

TABELA 7: Horários de funcionamento das salas de vacina. SALAS DE VACINA DA ZONA URBANA Local Horário de funcionamento Quantidade de vacinadoras Clínica de Saúde da Família Maria Conceição Das 7h ás 18h 3 vacinadoras Clínica de Saúde da Família Rosa Maria Sobrinho Das 7h ás 13h Das 17h ás 17h 2 vacinadoras Clínica de Saúde da Família Sebastião Monteiro Das 7h ás 12h Das 14h ás 17h 1 vacinadora SALAS DE VACINA DA ZONA RURAL SÃO EQUIPES VOLANTES QUE TEM HORÁRIOS DIFERENCIADOS ADAPTADOS PARA REALIDADE LOCAL Local Horário de funcionamento Quantidade de vacinadoras Clínica de Saúde da Família Aningas Às terças de 7h as 16:30h. Nos outros dias da semana de 7h ás 13h. 1 vacinador Clínica de Saúde da Família Angico Às terças de 7h as 16:30h. Nos outros dias da semana de 7h ás 13h. 1 vacinadora Clínica de Saúde da Família Lagoa Bonita Às terças de 7h as 16:30h. Nos outros dias da semana de 7h ás 13h. 1 vacinadora Clínica de Saúde da Família Tanque de Pedra Às terças de 7h as 16:30h. Nos outros dias da semana de 7h ás 13h. 1 vacinadora Fonte Coordenação de Imunização É de extrema importância que as equipes de vacinação criem o elo de confiança e compromisso com os pais e as crianças tornando o processo mais harmônico, afetivo e seguro através do fortalecimento de vínculos. Por fim, o mais desafiador é combater as Fake News, pois ela tem o poder de propagar através das redes sociais conteúdos falsos que geram dúvidas e incertezas a população indo de encontro com o que diz a ciência no tocante vacinação. De acordo com OMS este fenômeno de desinformação disseminada prejudica de forma direta o processo de vacinação, pois descredibiliza e influência negativamente nas coberturas vacinais. As redes sociais fazem parte do cotidiano de boa parte da população. Sendo assim, diante da problemática das Fake News o município utilizou da ferramenta “redes sociais” para “bombardear” a população de informações verídicas e com fundamentação científica adaptando a linguagem utilizada por estas redes. Além disso, utilizaram-se as figuras dos digitais influences (adultos e crianças) do município para fazer uma campanha em favor do Imuniza Glória (FOTOS E LINKS EM ANEXO).

Diante do panorama mundial com redução das coberturas vacinais, com o avanço das Fake News disseminando através das redes sociais, a insegurança dos pais em relação à credibilidade e eficácia das vacinas tornaram o cenário caótico e desafiador para os municípios buscarem altas coberturas vacinais para manter sua população imunizada e protegida das doenças imunopreviníveis. Assim, conhecer a realidade na qual o processo de vacinação está inserido, levantar os fatores limitantes, solucionar os problemas encontrados e buscar novas estratégias vacinais para atrair e reconquistar a confiança de pais e crianças não é uma tarefa fácil, mas é possível conforme mostrar os gráficos abaixo:

GRÁFICO 1: Cobertura vacinal série histórica No gráfico 1 observamos a série histórica das vacinas penta, pólio e tríplice viral de 2019 a 2022 é possível verificar que no 2019 o município tinha coberturas entre 90% a 100% já nos anos seguintes 2020 e 2021 há uma redução significativa destas coberturas chegando aos 60% após a execução do projeto “Imuniza Glória” no ano de 2022 as coberturas vacinais voltar a crescer acima dos 90 %. Com isso, é possível afirmar que as estratégias traçadas e as ações executadas tiveram impactos positivos no crescimento das taxas de coberturas vacinais. Outro dado que corrobora com os citados acima é o gráfico 2 que descreve sobre as coberturas vacinais da penta e pólio que são imunizantes pactuados pelo programa Previne Brasil os dados abaixo estão divididos por quadrimestre entre anos de 2021 a 2022 é possível observar uma elevação significativa confirmando assim o sucesso do “Imuniza Glória”.

GRÁFICO 2: Imunizantes pactuados pelo programa Previne Brasil. As estratégias do “Imuniza Glória” também foram aplicadas nas campanhas de grande repercussão nacional como a Campanha Nacional Contra Poliomielite no ano de 2022 na série histórica o município sempre teve ótimas coberturas durante as campanhas conforme mostra o gráfico abaixo, porém nos anos de 2020 e 2021 houve uma importante redução. Com objetivo de retomar as coberturas no ano de 2022 durante a campanha foi utilizada táticas e ações do projeto “Imuniza Glória” o resultado disto foi uma cobertura de 119,72% ocupado o primeiro lugar dentre os municípios sergipanos.

GRÁFICO 3: Coberturas da vacina pólio durante as campanhas entre os anos de 2019 a 2022. Por fim é importante ressaltar que o sucesso do projeto Imuniza Glória: Trabalhando em rede fortalecendo e rescrevendo um Novo capítulo na história da imunização do município de Nossa Senhora da Glória foi possível devido ao esforço coletivo de todos os envolvidos desde gestão e coordenações trabalhando em rede, dos profissionais que fazem a Estratégia de Saúde da Família e da sociedade que acreditou e foi participativa neste projeto. Sabemos que há sempre o que melhorar, pois o processo de vacinação e alcance de coberturas é dinâmico e constante não podemos baixar a guarda, mas o primeiro passo foi dado e com resultados significativamente positivos.

Principal

RAIANNE FREITAS SOUZA

Coautores

Samara Aragão Andrade, Stella Juliana Feitosa de Oliveira, Carla Muriele Andrade Santos

A prática foi aplicada em

Nossa Senhora da Glória

Sergipe

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

28 fev 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Prova de função pulmonar: intervenção precoce na saúde dos trabalhadores do campo em Queimadas (PB)
Paraíba
Práticas
Impactos da intersetorialidade na cobertura de citopatológico no Previne Brasil em Queimadas (PB)
Paraíba
Práticas
O Programa de Educação para o Trabalho no contexto do Consultório na Rua de Campina Grande (PB)
Paraíba
Práticas
Cuidado compartilhado à pessoa idosa no município de Queimadas (PB)
Paraíba
Práticas
Cuité vacina: desenvolvimento de atividades de vacinação de alta qualidade.
Paraíba
Práticas
O curso de atualização em APS e a produção de uma cartilha para o enfrentamento do tabagismo
Paraíba
Práticas
Acesso ao disposivo intrauterino na atenção primária: garantia dos direitos sexuais e reprodutivos
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas: a experiência da mediação em um curso de atualização em APS
Paraíba