Olá,

Visitante

Implementação do Protocolo do “Ponto G da Gestação”/Dia da Semana Escolhido para a Realização do Pré Natal Através do Cuidado em Rede/ Ampliação do Acesso

Avaliando os indicadores municipais a epidemiologia identificou um aumento nos casos de sífilis congênita e número inferior ao preconizado de consultas de pré- natal. Formou-se uma equipe para a implantação do protocolo, onde o enfermeiro ganhou autonomia e as gestantes acesso facilitado, através do “Ponto G da Gestação” ( Dia de atendimento integral as gestantes). A Equipe de pré-natal é composta por obstetra, enfermeiras, nutricionista e dentista. A primeira consulta é com a enfermeira, que é de demanda espontânea. Neste mesmo dia a paciente realiza os testes rápidos para HIV, Sífilis, Hep B e C, passa pela nutricionista, avalia o cartão de vacina e é imunizada caso haja necessidade. Agendam-se todos os exames necessários, participam de palestras de educação em saúde e recebem repelente, orientações e também agendamento para a consulta do próximo mês. Em um mesmo dia e ponto ( unidade de saúde) passam por todos os profissionais acima citados, caracterizando o “Ponto G da Gestação”, otimizando o tempo e garantindo o acesso integral.

•

Para a replicação da prática em outras unidades de saúde de outros municípios sugerimos o atendimento em rede das pacientes do pré-natal em um mesmo dia e em uma mesma unidade, pois muitas pacientes deixam de realizar um pré-natal completo por conta da falta de tempo, dificuldade de deslocamento, além de muitas citarem não ter disponibilidade de comparecer devido estarem em horário laboral ou impedimentos familiares. Desta forma, o atendimento em um único dia facilita e amplia o acesso. Acreditamos nas ações que trazem prazer e comodidade às pacientes e, neste sentido, o “Ponto G da Gestação” atende a estes requisitos. Aos gestores recomendamos um olhar diferenciado aos profissionais enfermeiros. Que a estes seja dada autonomia para que desenvolvam seus trabalhos de acordo com uma maior comodidade para os pacientes. Desta forma, nossa recomendação enfatiza a valorização deste profissional, peça chave e reconhecidamente fundamental na engrenagem da Saúde Pública.

Principal

Marlise Quintana Cerbino Julianomaura Barria Huguenin

smsmacucorj@gmail.com

A prática foi aplicada em

RJ

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Macuco

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Marlise Quintana Cerbino Juliano

Conta vinculada

tabagismomacucorj@gmail.com

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Trabalho intersetorial no combate a dengue no município de Volta Redonda (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação extramuro: estratégia de ampliação de cobertura vacinal contra covid 19 no município de Volta Redonda(RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto saúde do trabalhador rural: integração intersetorial e avaliação da situação de saúde de trabalhadores
Rio de Janeiro
Práticas
Adesão à plataforma Salus 2.0 como ferramenta para monitoramento dos casos e qualificação da assistência prestada ao usuários com sífilis no município de Rio das Ostras
Rio de Janeiro
Práticas
O Sarampo “Navegou” Pelo Rio Madeira e “Parou” em Porto Velho: Relatando A Experiência da Vigilância em Saúde do Município
Rondônia
Práticas
Enfrentamento do Surto de Sarampo no Município de Boa Vista: uma Experiência que Demonstrou o Quanto É Possível A Integração Entre Atenção Básica e Vigilância em Saúde
Roraima
Práticas
Cuidando de Quem Cuida: Um olhar Terapêutico Aos Profissionais de Saúde na Pandemia de Covid-19.
Paraíba
Práticas
Expresso Chagas 21
Práticas
Qualificação do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (Sim) – uma Questão de Estratégia
Pará