Olá,

Visitante

Implementação de Estratégia de Educação Permanente em Imunização nas Estratégias de Saúde da Família no Município de Tanque Novo-Bahia

Categoria não especificada

Este projeto de intervenção surge através da observação do processo de imunização ocorrido nas Estratégias de Saúde da Família do município de Tanque Novo-Bahia, onde pudemos perceber: a fragilidade do processo de educação permanente na rotina dos profissionais das unidades de saúde, a falta de Procedimento Operacional Padrão (POP) em sala de vacina, subnotificações de reações adversas, conhecimento limitado dos profissionais de saúde sobre calendário vacinal e suas notas técnicas de atualizações, grande número de faltosos, o aumento das fakes news e a carência de educação em saúde à população, essas particularidades podem interferir nas coberturas vacinais. Pensando nessa problemática que é a carência de educação permanente destinada aos médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde das ESFs, faz- se necessário inserir no planejamento municipal ações que proporcionem a implementação de atividades de educação permanente que visem a melhoria da qualidade do atendimento dos profissionais a população em geral, garantindo um atendimento integral.

A baixa cobertura vacinal aumenta em muito as chances de retorno de várias doenças, como por exemplo a doença da poliomielite que é transmitida por vírus, considerada erradicada no Brasil desde 1994, com certificação de Organização Pan-Americana. Caso volte a circular o vírus da polio no país, haja a importação da doença, o sistema de saúde talvez não consiga agir com a rapidez necessária para reprimir a sua disseminação (FIOCRUZ, 2022). A influência negativa das fake news na confiança da população é direta, visto que depende fortemente da compreensão da segurança e eficácia das vacinas. A baixa crença no adoecimento por doenças imunopreviníveis e o risco de eventos adversos podem interferir nas decisões a não-vacinação, a desinformação e a propagação de notícias falsas são causa primária da hesitação vacinal, a qual constitui uma das principais ameaças à saúde global, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Um exemplo de divulgação e circulação de notícias falsas, que relaciona a vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) a casos de autismo. Perante a queda constatada nos últimos anos no Brasil nas taxas de cobertura vacinal contra diferentes patologias, a OPAS, Conselho Nacional de Saúde (CNS), Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) se juntaram para promover uma grande campanha de conscientização e incentivo à vacinação para fortalecer a prevenção de várias doenças, potencialmente mortais e proteger a população ao longo de todo o curso de vida (OPAS, 2022). Dessa forma, a educação permanente realizada pela Vigilância Epidemiológica para atualização dos conhecimentos sobre imunização aos profissionais das ESFs faz-se necessária, principalmente devido às várias mudanças que vem acontecendo no decorrer dos anos no esquema vacinal sempre com a inserção de novos imunobiológicos, com a necessidade de conhecimentos técnicos para os profissionais de saúde que atuam nestas unidades. Reforça a necessidade de vigilância ativa das notificações de reações adversas, buscando diminuir os erros de imunização e otimizar estratégias de vacinação e evitar oportunidades perdidas. Esse processo será um importante momento de integração entre equipe, reforçando a necessidade da existência da interprofissionalidade, dispertando a rotina de educação em saúde.

Esse projeto ocorre nas oito ESFs do município de Tanque Novo-Bahia, realizado pela coordenadora da vigilância epidemiológica através da construção e divulgação do processo de implementação de estratégias de educação permanente aos profissionais de saúde sobre a temática imunização, através de reuniões de equipe, capacitações, oficinas, implantação do dia D de educação permanente em imunização nas unidades de saúde da família, criação do Manual de Normas e Rotinas disponibilizado em todas as oito unidades de saúde do município. A observação e discussão das coberturas vacinais com os profissionais de saúde e gestores, após a execução dessas ações de educação permanente devem ser inseridas na rotina do serviço de saúde.

Observa-se como potencialidades a viabilidade política, devido o apoio da gestão, social e técnica para implementação do presente projeto de intervenção, pois retrata ações vistas como necessárias diante da percepção da necessidade de aumento das coberturas vacinais no município. Segundo a Ministra da Saúde, Nísia Trindade Lima, em seu discurso durante a cerimônia de posse em janeiro de 2023, reforça a importância da vacinação: Aproveito para dizer que deixamos a máscara como alternativa e recomendação por espaço ser tão concentrado e mais que temos muita convicção na proteção das vacinas e aproveito para lembrar a todos os brasileiros e brasileiras para completarem seu esquema vacinal contra a covid-19. Trata-se de um tema de urgência na saúde pública, sendo enfatizada a necessidade de atenção e aprimoramento dos profissionais de saúde, os mesmos demonstram a necessidade e o interrese de aperfeiçoamento e de atualização através da educação permanente devido à busca de mudanças e melhorias nos processos de trabalho das equipes de estratégias de saúde da família e de priorização no modelo de saúde centrada no sujeito e nas suas necessidades, com uma visão holística. Entretanto, são desafios e limitações para execução das ações de Educação Permanente a viabilidade financeira e disponibilidade de recursos financeiros quanto à sua operacionalidade. A mensuração da educação permanente as equipes das unidades serão através de simulados teóricos, práticos e estudo de casos dos conteúdos apresentados, com intuito de obter interação entre mediadores e receptores, na construção do saber, através de práticas de metodologias ativas. Diante disso, os profissionais serão capacitados através de educação permanente, promoverá mudanças no cenário atual das coberturas vacinais, na melhoria do atendimento e, sobretudo no empenho à busca dos faltosos, elevando a proteção dos indivíduos tornando-os sujeitos ativos na construção de uma sociedade imunizada. Com as ações de educação permanente sobre melhoria da qualidade do processo de imunização, espera-se: • 100% das Equipes de Saúde da Família treinadas e participativas no processo de educação permanente; • Padronização do fluxo de atendimento entre outras condutas perante as orientações do Manual de normas e rotinas sobre processo de imunização, implantado nas 8 (oito) ESFs do município; • Fortalecimento do vínculo entre população e a equipe da Estratégia de Saúde da Família, com adesão de forma positiva a vacinação, com aumento da demanda nas unidades de saúde, através da busca ativa dos faltosos, para atualização de caderneta vacinal; • Construção de trabalho em rede entre profissionais para facilitar o acesso dos usuários aos serviços de saúde, os quais possam ser atendidos de forma integral, como o sistema único de saúde preconiza; • Melhoria nos indicadores de cobertura de imunização e alcance das metas preconizadas pelo Ministério da saúde, HPV e Meningocócica ACWY (80%), BCG e Rotavírus(90%) e as demais vacinas (95%). A importância de treinamento e capacitação dos profissionais de saúde são fatores que justificam a criação, implantação e implementação de projetos de intervenção referente as estratégias de educação permanente em imunização nas unidades de saúde da família, com o intuito de melhorar o desempenho do trabalho diário nas unidades básicas de saúde.

Principal

Ana Paula Lima Pinto

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba