Olá,

Visitante

Implementação de Equipe Volante de Imunização para Realização de Buscas Ativas nas Zonas Rurais

Categoria não especificada

O município de Antônio Almeida está localizado no Estado do Piauí, foi fundado em 1964. Os habitantes são chamados de antonio-almeidense. Possui uma área territorial de 645,78 km e sua população foi estimada em 3.114 habitantes (IBGE, 2018) O atual prefeito é MARCELO TOLEDO LAURINI. A Atenção Básica é composta por duas equipes da Estratégia Saúde da Família – ESF. As consultas de especialista em cardiologista são realizadas uma vez por mês, assim como exames de ultrassom mensais por um clínico geral. O município não possui Unidade Hospitalar. O horário de funcionamento é das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30. Ainda existe uma parcela da população que não é visada com as informações necessárias ou acredita em fake news. A composição do NASF conta com quatro profissionais, sendo uma fisioterapeuta, uma nutricionista, uma fonoaudióloga e uma psicóloga. Em muitas áreas rurais, falta informação e conscientização sobre a importância da vacinação. As ações de vacinação ocorreram por meio da divulgação de cartões nas redes sociais (whatsapp e instagram) e busca de desaparecidos por agentes comunitários de saúde (ACS) A imunização ocorreu em dias fixos na zona rural, sendo o dia escolhido a sexta-feira férias. A escolha do dia se deu pelo fato de o fluxo na unidade básica de saúde ser menor. As regiões de saúde devem trabalhar de forma vinculada e articulada para identificar os territórios que fazem fronteira com os municípios e que se localizam na zona rural. Levando em conta a baixa cobertura vacinal que o país vem enfrentando, é importante destacar a necessidade de priorizar a população com dificuldade de locomoção.

Torna-se necessário abordar os motivos para as atuais baixas de cobertura vacinal e para a não adesão da vacinação por parte dos pais, motivos estes que muitas vezes estão relacionados ao desconhecimento em relação à importância das campanhas vacinais, mesmo nos dias atuais onde se veiculam diversas estratégias de divulgação. O fato é que ainda têm uma parcela da população que não é alvejada com as informações necessárias ou acreditam nas fake News. Existiram outros problemas e desafios para que conseguíssemos alcançar nosso objetivo. Dificuldade na locomoção devido as condições das estradas, principalmente em períodos chuvosos em que algumas estradas são cortadas por riachos e os mesmos ficavam cheios impedindo a passagem de carros. Sem contar do difícil acessos a algumas casas, sendo necessário a locomoção a pé. Outra dificuldade encontrada foi a questão dos horários, pois algumas vezes aconteciam imprevistos e não tinha como chegar na localidade no horário marcado. Em muitas áreas rurais, há uma falta de informação e conscientização sobre a importância da vacinação. As pessoas muitas vezes não sabem quando devem receber uma vacina, ou acreditam em mitos e rumores sobre os perigos da vacinação.

As ações de vacinação ocorreram através de divulgações de cards em redes sociais (whatsapp e Instagram) assim como a busca dos faltosos pelos agentes comunitários de saúdes (ACS), onde identificamos através do prontuário eletrônico do cidadão (PEC), as crianças que estavam em atraso com a vacinação. A imunização acontecia em dias fixos nas zonas rural, no qual o dia escolhido foi as sextas férias, foram contemplados três ACS das seguintes localidades: o assentamento beleza e suas regiões circunvizinhas, sendo 10km o local mais distante dessa área; a formiga e suas regiões circunvizinhas, sendo a região mais distante com 23 km de distância da cidade; e o brejão e as regiões circunvizinhas, sendo a mais distante com 25 km da cidade. Essas localidades tem uma população de aproximadamente 950 habitantes. A escolha do dia, se deu por conta do fluxo na unidade básica de saúde ser menor e não ter prejuízo com a vacina do pessoal da cidade, e por nesse dia não haver atendimento medico nas localidades. Assim ficaria uma sexta-feira fixa no mês para cada localidade. Em algumas situações a vacinação acontecia no domicilio devido as dificuldades de locomoção dos pacientes ou devido o distanciamento dos centros de apoio. Para mantes as vacinas armazenadas em temperaturas específicas utilizamos duas caixas térmicas, onde uma ficava com os fracos das vacinas que estavam em uso e a outra ficava com os frascos fechados para não perder a eficácia das mesmas.

Levando em consideração a baixa cobertura vacinal que o país vem enfrentando e os efeitos econômicos pós-pandemia, é importante destacar a necessidade de priorizar a população com dificuldades de locomoção e que vivem em locais distantes dos centros, levando vacinas até essas pessoas, e mais que isso, realizando educação em saúde, enfatizando a relevância das vacinas.

Principal

Francelyne Guimarães Pimentel

Coautores

Jamilla Martins da Rocha, Tulipa Oliveira Rocha de Carvalho , Frederico Nunes da Silva, Guiane Lima Marques dos Reis , Witoria Coelho de Oliveira Alves

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
REGULAÇÃO EM URGÊNCIA CARDIOVASCULAR FRENTE A REDUÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE EM CAJAZEIRAS – PB
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba