Olá,

Visitante

Grupo Socialização

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:O GS tem como objetivo instituir um espaço coletivo de informação e de incentivo à cidadania, lazer e cultura. Orientar os usuários sobre os direitos socioassistenciais, buscando o fortalecimento do empoderamento e do protagonismo social.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:O GS é um grupo aberto, participam apenas os usuários do CAPS AD Belas Tardes – Ponta Grossa Paraná, conforme conste no seu PTS, o qual é elaborado a partir das necessidades e desejos dos usuários em conjunto com a mini-equipe de referência territorial.Acontece todas as Segundas – feiras das 13:30h às 15:00h através das atividades: Elaboração de Cartazes com os temas: Cidadania e Direitos, Incentivo à Leitura, Reflexões através de letras de música, Dinâmicas de grupo, Atividades lúdicas e Visitas à Instituições Culturais e de Direitos Sociais.INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS:Utiliza-se o Grupo Socialização como método de coleta de dados.Os relatos acontecem de modo escrito e/ou oral conforme o desenvolvimento das atividades. Buscamos também observar e explorar o conteúdo implícito mas presente nas entrelinhas da comunicação como gestos, olhares e expressões. OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTO:Durante o desenvolvimento de uma determinada dinâmica, os usuários puderam refletir sobre seus sentimentos e relataram: “Eles pensam que eu não tenho força de vontade e que sou muito fraca”. O segundo usuário comenta que: “o morador de rua é considerado lixo do mundo e escória de todos”, O terceiro diz “a droga é mais forte que eu” e o quarto: “vou morrer e não vou resolver meus problemas”.Durante o desenvolvimento do Grupo observou-se através de relatos que o usuário de substância psicoativa possui baixa autoestima, sente-se excluído e frustrado por não conseguir alcançar objetivos propostos por si mesmo, objetivos estes, um tanto quanto difíceis de atingir a curto prazo.

As substâncias psicoativas podem produzir mudanças nas sensações, no grau de consciência, no estado emocional, psicológico e comportamental das pessoas. Essas alterações variam de acordo com as características individuais, psicológicas, físicas e sociais do indivíduo, do tipo da substância utilizada, da quantidade, frequência e da circunstância do uso. O uso abusivo além dos comprometimentos clínicos pode estar associado ao prejuízo na vida social, levando ao abandono e a rupturas dos laços afetivos e conflitos com sua rede de apoio devido ao preconceito e estigma que sofrem.O processo da Reforma Psiquiátrica Brasileira trouxe a criação dos serviços substitutivos ao modelo hospitalocêntrico. A partir daí então originou-se as Leis que garantem os direitos das pessoas com transtorno mental e reorganiza toda a gestão da Saúde Mental do país: Lei nº 10.216 de abril de 2001, a Portaria/ GM nº 336 de 19 de fevereiro de 2002 que define e estabelece diretrizes para os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Os CAPS têm como característica buscar a reabilitação psicossocial de seus usuários no território onde constrói suas vidas. O CAPS AD oferece atendimento para pessoas com transtorno decorrentes do uso abusivo de Crack, Álcool e outras Drogas. Em Ponta Grossa – Paraná, o CAPS AD Belas Tardes, iniciou suas atividades em 02 de abril de 2004 e oferece atendimento individual e em grupo, acolhimento diurno, visita domiciliar, acompanhamento familiar e consulta psiquiátrica conforme avaliação da mini-equipe de referência territorial e conste no Projeto Terapêutico Singular (PTS) construído em conjunto com o usuário.A partir da demanda do serviço surgiu a necessidade de implantar um grupo com informações acerca dos direitos socioassistenciais, refletindo sobre o nosso país através da leitura de jornal e de letras de músicas, dinâmicas, atividades culturais e de lazer buscando elevar a autoestima, a cidadania e o empoderamento dos pacientes, denominou-se então, Grupo Socialização (GS).

Sabe-se que, a terapêutica da dependência química é complexa e conforme a Reforma Psiquiátrica o tratamento a partir do isolamento social, proporcionado pelas internações, e o uso exclusivo de medicações não é satisfatório, não havendo, portanto, intervenções prontas. Acredita-se que, na saúde mental seja essencial trabalhos de Socialização que contribua para que o usuário possa se aceitar como pessoa, como cidadão, que tenha uma visão crítica do uso da substância e que seja empoderado para decidir sobre sua vida, e de práticas que combatam os processos de segregação. Portanto, o GS continuará a desenvolver suas atividades através de dinâmicas, rodas de conversa, jogos, filmes, leituras diversas, discussões sobre os temas autoestima, cidadania, direitos sociais, buscando assim o empoderamento e autonomia dos usuários, contribuindo para a melhoria de sua qualidade de vida.

Principal

Angelita Aparecida Bornancin,Bastos, Elaine Peclat – Cavali, Silvana Cristina –Silva, Joseni Rodrigues

angelbornancin@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Ponta Grossa

Paraná

Sul

Instituição

R. Dr. Colares, 290

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Angelita Aparecida Bornancin,Bastos, Elaine Peclat – Cavali, Silvana Cristina –Silva, Joseni Rodrigues

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
O Enfermeiro Está Apto para Exercer o Cuidado Paliativo Logo Após a Formação , ou Necessita de Especialização?
Minas Gerais
Práticas
“Cuidando de Quem Cuida em Tempos de Covid-19”
Santa Catarina
Práticas
Análise da Situação Alimentar da Comunidade Escolar Durante a Pandemia
Rio de Janeiro
Práticas
Atividades Coletivas no Período da Pandemia da Covid-19.
Rio de Janeiro
Práticas
Desafios da Pandemia: Relato de Experiência na Transformação do Cuidado em Saúde Mental em Carmo, Pequena Cidade do Interior do Rio de Janeiro.
Rio de Janeiro
Práticas
Promoção da Saúde Através do Teatro
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo Dançando Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Vida na medida certa
Minas Gerais
Práticas
A Beleza do Crepúsculo: Um Registro Audiovisual -Curta-Metragem- Que Aborda a Experiência do Envelhecer a Partir da Perspectiva de Cinco Idosos Moradores do Morro do Dendê, uma Tradicional Favela Cari
Rio de Janeiro
Práticas
Integração Providas no Enfrentamento a Covid e na Redução dos Impactos dos Determinantes Sociais da Saúde na Vida de Indivíduos em Situação de Vulnerabilidade na Ilha do Governador – Rj
Minas Gerais