Olá,

Visitante

Gerenciamento e Logistica da Cadeia de Suprimentos Médicos para Unidades de Saúde

O objetivo do trabalho é a aplicação de uma metodologia prática para a otimização do gerenciamento das etapas do Planejamento e da Distribuição de Insumos da Cadeia de Suprimentos Médicos – metodologia que associa conceitos do MRP (Material Requirements Planning – Requisitos para Planejamento de Materiais/Insumos) com o SCM (Supply Chain Management – Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos).A metodologia desenvolveu uma ferramenta denominada PESQUISA DE INSUMOS para a implantação do processo de planejamento dos materiais/insumos necessários aos setores produtivos das unidades de saúde. A pesquisa visa mapear todos os procedimentos executados pelas equipes de profissionais de saúde, bem como a especificidade dos insumos necessários e a produção mensal de cada procedimento de cada setor/área da unidade de saúde.

Os atuais sistemas de saúde em nosso país – públicos e privados – apresentam uma realidade que reflete, na grande maioria dos casos, uma ausência de competência técnica e conhecimentos gerenciais na área da Gestão de Operações, e, mais especificamente, nas atividades ligadas às várias etapas da cadeia de suprimentos médicos. Esta ausência de capacitação gerencial perpassa todas as áreas que compreendem a gestão e a logística de suprimentos nas unidades de saúde: desde um incipiente – ou até inexistente – processo de planejamento específico para a área de suprimentos até as atividades burocráticas e morosas nas áreas de compra, na área de acompanhamento e controle de estoques e na área de distribuição de insumos – insumos esses, muitas vezes descolados das reais necessidades do sistema produtivo das unidades de saúde.

A participação dos custos dos materiais médicos hospitalares nos hospitais varia entre 13 a 25% de todos os custos do hospital e tem crescido significativamente nos últimos anos. A quantidade de insumos e a qualidade das especificações que compõem um cadastro qualificado de materiais/insumos tem repercussões nos custos de estocagem, na dinâmica das compras e na complexidade da logística do suprimento das unidades de saúde.Em função dessas razões, recomenda-se:- a necessária integração entre o sistema produtivo da unidade de saúde (área assistencial) com os setores da Cadeia de Suprimentos.Como? – Com a identificação de todos os insumos (material médico-hospitalar) necessários para o Sistema Produtivo

Principal

Maria Infante

minfante@ensp.fiocruz.br

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Hospital Raphael Paula e Souza (Curicica), Hospital Federal de Bonsucesso, Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras, Hospital Universitário Antonio Pedro/UFF

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Maria Infante

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

06 fev 2022

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Teste: verificando o recurso de emissão de certificados
Todos os Estados (Sudeste)
Práticas
Gestão de saúde em Queimadas – PB: uso estratégico da informação no planejamento das ações
Paraíba
Práticas
Implantação e ampliação de Serviço Especializado em município do sertão da Paraíba
Paraíba
Práticas
Gestão de saúde de Cabedelo na implantação da nova lei de licitações: desafios e conquistas
Paraíba
Práticas
Processo de elaboração do Plano Municipal de Saúde 2022-2025- relato de experiência.
Paraíba
Práticas
INFORMATIZAÇÃO DA REGULAÇÃO MUNICIPAL COM A ATENÇÃO PRIMÁRIA COMO COORDENADORA DO CUIDADO
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da implantação de sistema de regulação de exames no Município de mendes.
Rio de Janeiro