Olá,

Visitante

Ferramentas Implementadas para Ações Assertivas no Aumento Das Coberturas Vacinais da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo

Categoria não especificada

Desde a década de 1990, as coberturas vacinais infantis atingiam percentuais acima de 95%, o que indicava boa adesão da população à vacinação. No entanto, a partir de 2016, essas coberturas têm declinado cerca de 10 a 20 pontos percentuais. Para o atendimento dos 11.960.216 habitantes, o Município de São Paulo conta com uma rede assistencial de 470 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 150 hospitais (incluindo públicos e privados). As ações de Vigilância em Saúde, incluindo as ações de imunização são coordenadas pela Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA) e executadas no território pelas Unidades de Vigilância em Saúde (UVIS), subordinadas administrativamente as Supervisões Técnicas de Saúde e tecnicamente à COVISA. O Programa Municipal de Imunizações (PMI), da COVISA tem suas ações consolidadas e mantêm o fornecimento regular de insumos e imunobiológicos, de modo a assegurar a vacinação de rotina e campanhas, realizada pelas unidades de saúde de nível local. O PMI tem realizado diversas ações para a recuperação de altas e homogêneas coberturas vacinais no MSP. Pautadas em todos os elementos componentes da vacinação, as atividades visam aprimorar os processos, por meio do levantamento de problemas, diagnóstico e intervenções através do planejamento situacional estratégico. O acesso aos serviços de saúde tem sido objeto de análise na literatura internacional, principalmente no contexto de crise econômica que se instala na última década, demarcando a existência de barreiras aos usuários como filas para marcação de consulta e atendimento, bem como estratégias para sua superação. Em junho de 2021, foi lançada uma ferramenta para evitar as filas em postos de vacinação contra a covid-19. A plataforma “De Olho na Fila”, chamada também de “Filômetro”, apresenta a situação de espera em todos os postos da cidade. Nesta plataforma, é possível acompanhar, de forma on-line, o movimento nos postos de vacinação e os imunizantes covid-19 disponíveis, além da Influenza. Para fazer a consulta on-line, basta acessar o site: www.deolhonafila.prefeitura.sp.gov.br. Outros eixos de atuação foram implantados pelo PMI: aquisição de equipamentos para a rede de frio, criação do grupo de trabalho, declaração de vacinação atualizada (DVA), busca ativa de faltosos por meio de procedimento operacional padrão (POP), além da dupla checagem das carteirinhas. As intervenções observadas foram capazes de atenuar e por vezes eliminar barreiras e facilitar o acesso e a utilização dos serviços pelos usuários. Ao longo dos anos 2021 e 2022 desafios foram superados durante a operacionalização da campanha contra a Covid-19, onde a capital recebeu reconhecimento internacional como a “Capital Mundial da Vacina”, junto à ampla adesão da população paulistana. Nesse momento, as estratégias principais visam o esclarecimento da população acerca da necessidade de doses de reforço para a covid-19, e os esforços para atingir a meta vacinal das coberturas em crianças menores de 1 ano.

Desde a década de 1990, as coberturas vacinais infantis atingiam percentuais acima de 95%, o que indicava boa adesão da população à vacinação. No entanto, a partir de 2016, essas coberturas têm declinado cerca de 10 a 20 pontos percentuais. O retorno do sarampo em 2018 e 2019 traduz essas consequências imediatas da diminuição das coberturas vacinais. Em 2020, com a circulação de um novo coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia de covid-19, o comparecimento presencial nos serviços de saúde caiu drasticamente, acentuando as quedas de coberturas vacinais. Nos Estados Unidos da América (EUA), um declínio considerável das coberturas vacinais infantis foi observado, com início na semana após a declaração de emergência nacional (13/03/20), sendo maior entre crianças menores de dois anos de idade. Em Michigan, EUA, a completude vacinal de crianças aos 5 meses de idade caiu de 67,0% para 49,7% em maio de 2020. Aos 16 meses, verificou-se que essa cobertura também caiu e a cobertura da vacina de sarampo caiu de 76,1% para 70,9%. Na Inglaterra, após três semanas da introdução do distanciamento social (20/03/20), houve queda de 19,8% das doses aplicadas de vacina de sarampo caxumba rubéola, comparando-se com o mesmo período em 2019.Os esforços para mitigar a transmissão do SARS-CoV-2, que envolvem práticas de telemedicina e continuidade do cuidado no domicílio, afetaram as ações de vacinação que necessitam do deslocamento para o serviço de saúde. A preocupação dos pais em expor as crianças ao SARS-CoV-2 ao levá-las aos serviços de saúde para vacinação também contribuiu no declínio das coberturas vacinais. A OMS reconhecendo essa fragilidade, recomendou esforços para se garantir altas coberturas vacinais buscando a proteção de rebanho para doenças imunopreveníveis como o sarampo, de forma que os programas de imunizações deveriam adotar medidas inovadoras. Estratégias de vacinação nos veículos, vacinação em casa ou em salas específicas e bem separadas dos locais dos demais atendimentos clínicos poderiam ser utilizados para a vacinação, além da identificação de faltosos e recrutamento para a vacinação. O PMI tem realizado diversas ações para a recuperação de altas e homogêneas coberturas vacinais no MSP. Pautadas em todos os elementos componentes da vacinação, as atividades visam aprimorar os processos, por meio do levantamento de problemas, diagnóstico e intervenções através do planejamento situacional estratégico.

O acesso aos serviços de saúde tem sido objeto de análise na literatura internacional, principalmente no contexto de crise econômica que se instala na última década, demarcando a existência de barreiras aos usuários como filas para marcação de consulta e atendimento, bem como estratégias para sua superação. Observa-se o acesso aberto ou avançado em relação à organização da marcação de consultas para o mesmo dia em que o usuário procura o atendimento, buscando intervir para a redução do agendamento em longo prazo e diminuir o tempo de espera para a consulta médica. Este sistema procura equilibrar a oferta em relação à demanda, adequando às práticas desenvolvidas na Atenção Primária à Saúde (APS), além de planos de contingência para circunstâncias incomuns que são apresentadas no cotidiano dos serviços de saúde. No que se refere à vacinação, o acesso pode ser relacionado com as diversas possibilidades de adentrar aos serviços de saúde, as quais estariam implicados com a localização da unidade de saúde, a disponibilidade de horários e os dias em que a unidade atende, bem como a percepção que a população tem em relação a estes aspectos do acesso (se são adequados ou não). Um dos desafios do MSP durante a campanha contra a covid-19 era facilitar o acesso dos usuários aos serviços de vacinação da cidade, além da transparência e comunicação em tempo real com a população sobre a disponibilidade dos imunobiológicos fornecidos pelo Ministério da Saúde. Diante disso, em junho de 2021, foi lançada uma ferramenta para evitar as filas em postos de vacinação contra a covid-19. A plataforma “De Olho na Fila”, chamada também de “Filômetro”, apresenta a situação de espera em todos os postos da cidade. Nesta plataforma, é possível acompanhar, de forma on-line, o movimento nos postos de vacinação e os imunizantes disponíveis. Para fazer a consulta on-line, o primeiro passo é acessar o site: www.deolhonafila.prefeitura.sp.gov.br. Em seguida, deve-se escolher uma das opções entre: Posto Volante, Drive-thru, Mega posto, Centro, Leste, Norte, Oeste e Sul. Depois de escolher entre um dos itens anteriores, é apresentada uma lista com endereços, situação das filas (de “sem fila” a “fila grande”) e horário da última atualização. Postos Fixos, Posto Volante, Drive-Thru e Mega Posto : Dentro de cada Coordenadoria Regional de Saúde (Centro, Leste, Norte, Oeste e Sul), aparecerão as Supervisões Técnicas de Saúde (STS) da cidade. Ao clicar na STS desejada, todos os postos de vacinação localizados na região aparecerão, acompanhados de endereço, situação da fila, horário da última atualização e situação da unidade de saúde. Para saber a situação basta clicar na de sua preferência e verificar a situação em que se encontram as filas no local, o último horário em que a informação foi atualizada e uma classificação por cores. Postos de Vacinação com a cor verde, são locais sem fila para vacinação. A cor amarela aponta para uma fila pequena, laranja para uma fila média, e a cor vermelha uma fila grande para a vacinação. A cor lilás indica que a sala de vacina não está funcionando no momento. A atualização da situação da sala de vacina é realizada pela própria unidade durante o período de funcionamento da mesma. Os Postos Volantes, Drive-Thru e Mega Postos vigentes também podem ser visualizados pelo usuário. Além das informações sobre a sala de vacina, o usuário tem acesso as vacinas covid-19 disponíveis e para o ano de 2023 a de influenza também, com perspectiva para ampliação a outras vacinas do calendário. Outros eixos de atuação foram implantados pelo PMI: aquisição de equipamentos para a rede de frio, criação do grupo de trabalho do PMI (GTPMI), composto por técnicos do PMI e representantes das CRS, com o objetivo de discutir, qualificar e padronizar processos e ações desempenhados por gestores e equipes de vacinação; parceria entre as secretarias da saúde e educação, utilizando a Declaração de Vacinação Atualizada (DVA), documento comprobatório de vacinação emitido pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS), que visa controlar a situação vacinal da comunidade escolar; busca ativa de faltosos por meio de procedimento operacional padrão (POP), implantado de forma sistemática em todas as salas de vacinação públicas, além da dupla checagem, que consiste em verificação das carteirinhas de vacinas dos usuários, por outro profissional que não seja o mesmo que o atendeu na sala de vacinas (dois profissionais checam se todas as vacinas registradas na caderneta de vacinação, também constam no sistema de vacinação, e na ausência realiza o registro).

A ferramenta De Olho na Fila ultrapassou, até 24/04/2023, mais de 58 milhões de acessos desde o seu lançamento em 15 de junho de 2021. Até o momento, 5.602.641 visitantes únicos, número que se refere aos diferentes IPs (sigla em inglês para Protocolo de Rede), acessaram o site. As intervenções observadas foram capazes de atenuar e por vezes eliminar barreiras e facilitar o acesso e a utilização dos serviços pelos usuários. A ferramenta ajudou a agilizar em até 90% o tempo de atendimento e a evitar aglomerações. Passado o período pandêmico, o filômetro segue sendo um grande aliado na operacionalização das ações de vacinação na capital. Ao longo dos anos 2021 e 2022 desafios foram superados durante a operacionalização da campanha, onde a capital recebeu reconhecimento internacional como a “Capital Mundial da Vacina”, junto à ampla adesão da população paulistana. Além das vacinas covid-19, a plataforma também informa a disponibilidade da vacina Influenza para a população. O município de São Paulo atingiu a marca de 37 milhões de doses aplicadas da vacina covid-19 em 2022. A cobertura vacinal de adultos que se imunizaram com as duas doses ou com a dose única é de 108,1% (dados até o dia 18/04/2023). Por ter sido direcionada inicialmente em adultos, a vacinação foi extremamente exitosa, pois o histórico de sucesso nas campanhas é muito maior em crianças, comprovando a condução da campanha de forma assertiva, sempre respeitando as normativas e orientações do Ministério da Saúde no escalonamento de doses. Em relação as vacinas do calendário básico, o MSP tem avançado no aumento das coberturas vacinais. No 1º trimestre de 2023, atingiu a cobertura de 98,5% na 1ª dose de SCR, além de 93,79% de cobertura da vacina hepatite A. Nesse momento, as estratégias principais visam o esclarecimento da população acerca da necessidade de doses de reforço para a covid-19, e os esforços para atingir a meta vacinal das coberturas em crianças menores de 1 ano.

Principal

Mariana de Souza Araujo

Coautores

Luiz Artur Vieira Caldeira, Melissa Palmieri

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba