Olá,

Visitante

Estratégias de Fortalecimento da Imunização no Município de Lagoa Grande-Pe Através de Ações Intersetoriais nos Anos 2022/2023

Categoria não especificada

O município de Lagoa Grande-PE está localizado na mesorregião do São Francisco Pernambucano. Conhecido como a terra da uva e do vinho, tem na produção da fruticultura, especialmente a uva e a vinicultura a sua principal fonte de renda. O município tem um histórico positivo sobre a cobertura vacinal geral, porém desde 2020 tem sofrido uma queda na imunização, acompanhando a problemática nacional, o que em 2022, fez a gestão direcionar várias ações com profissionais da Rede, usuários e as outras Secretarias, a discutir de que modo, o município poderia retomar as Coberturas vacinais que historicamente, conseguia atingir. Diante dos desafios levantados, a coordenação de PNI do município, juntamente com as demais coordenações, organizaram uma série de ações voltadas para vacinação do município, assim como organizaram um Plano de ação para ser executado em 2023, para aumento da cobertura vacinal do município. Dentre as ações estão a intensificação de aplicação de vacinas nas escolas através do PSE, mutirões de saúde em horários noturno e fazendas, busca-ativa nas localidades de difícil acesso, adesão ao Selo Unicef e BAV (Busca ativa vacinal), compra de computadores, capacitação com as ESFs, construção de um instrumento de check-list das vacinas para as crianças no ato de matrícula nas escolas municipais, Qualificação dos profissionais dos dispositivos sociais da Rede (CRAS, Criança feliz, escolas, NUCA, dentre outros) e aquisição de um transporte específico para o setor de PNI. A partir destas ações em 2022, já é possível detectar uma melhora da cobertura vacinal do município, destacando principalmente a partir de setembro do ano passado, em que houve uma intensificação das ações. Exceto as vacinas BCG e Hepatite B (menor que 30 dias), as vacinas do calendário básico estão todas com porcentagens próximas ao que ´é recomendado pelo Ministério da Saúde, o que tem motivado o município a continuar nas atividades e buscar novas soluções para voltar ao patamar de antes. A gestão municipal de saúde entende que este desafio de melhorar as coberturas vacinais de todos os ciclos de vida depende de todos os atores sociais do município. Além de garantir toda a estrutura física, insumos e profissionais nos serviços dispostos a vencer as dificuldades, é necessário que a população possa compreender o seu papel de se vacinar e acreditar nos benefícios da vacina. O município também está muito motivado a avançar nas ações intersetoriais, com a aplicação do check -list nos dispositivos da Rede, em que terá várias oportunidades de acompanhar a situação vacinal do município e planejar outras ações além do PSE para atingir o público-alvo. Estas ações serão efetuadas a partir de junho de 2023 e teremos a apresentação de resultados parciais no mês de agosto na Semana do bebê, prevista como ação intersetorial entre as secretarias de saúde, educação e assistência social. Sendo assim, esperamos que em 2024 teremos excelentes resultados de cobertura vacinal, voltando a ser um dos municípios destaque pelas ações desenvolvidas na nossa região de saúde.

O município de Lagoa Grande tem uma extensão territorial e uma população na zona rural maior que a zona urbana, tendo várias localidades de difícil acesso, em que impede que os usuários possam ir até as Unidades Básicas de Saúde. Além disso, o município faz fronteira com os municípios como Santa Maria da Boa Vista e Petrolina, em que boa parte da população têm dois endereços, ou nestas localidades o acesso a UBS é mais fácil no município vizinho do que em Lagoa Grande, em relação a distância, acesso a transporte, dentre outros. Além disso, uma grande quantidade de crianças nasce nas Unidades de referência como a maternidade municipal de Juazeiro-BA e o Hospital Dom Malan em Petrolina, que como possuem salas de vacina, já são contabilizadas nestes municípios de nascimento. Outro ponto bastante relevante é a rotatividade de profissionais, em que constantemente a gestão municipal necessita capacitar e ajustar a rotina de trabalho, orientar sobre manejo e fluxo de atendimento, o que dificulta os processos de trabalho. Na maioria das equipes, a vacina é monitorada apenas pelo técnico da vacina (vacinador), o que fragiliza o processo de planejamento das ações, a nível do território, havendo a necessidade de sensibilizar sempre os demais membros da equipe sobre a importância de monitorar os dados referente a vacina e a realização do monitoramento das cadernetas, cartão espelho, e sistema no momento de atendimentos destes usuários. O município também tem a característica de ter várias fazendas agrícolas, com uma parcela grande de trabalhadores que têm dificuldade de acesso as UBS pelo horário de trabalho. Esta situação afeta diretamente a cobertura de todos os ciclos de vida, porque a maioria destas pessoas não conseguem se vacinar nem levar seus idosos e crianças no horário convencional dos serviços de saúde. Um complicador importante para contribuir na queda da cobertura vacinal do município foi a Pandemia da COVID-19 em que todos os serviços voltaram seus atendimentos para os usuários com sintomas respiratórios, muitos pacientes deixarem de frequentar as UBS devido o isolamento e em 2021 com a chegada da vacina COVID, todos os esforços da gestão municipal e dos profissionais foram para avançar na cobertura vacinal específica da COVID. Esta situação, foi um dos fatores que comprometeu o município na sua cobertura, por não ter mais profissionais e logística de transporte para garantir as duas ações como rotina nos serviços. Por último, do ponto de vista de infraestrutura, as UBS do município tiveram vários problemas com a informatização das salas da vacina, com a quebra de alguns computadores, falta de manutenção das máquinas existentes, o que contribuiu para dificuldade no registro das doses aplicadas pelas equipes de saúde durante este período. Diante dos desafios levantados acima, a coordenação de PNI do município, juntamente com as demais coordenações, organizaram uma série de ações voltadas para vacinação do município, assim como organizaram um Plano de ação para ser executado em 2023, para aumento da cobertura vacinal do município. Dentre as ações estão a intensificação de aplicação de vacinas nas escolas através do PSE, mutirões de saúde em horários noturno e fazendas, busca-ativa nas localidades de difícil acesso, adesão ao Selo Unicef e BAV (Busca ativa vacinal), compra de computadores, capacitação com as ESFs, construção de um instrumento de check-list das vacinas para as crianças no ato de matrícula nas escolas municipais, Qualificação dos profissionais dos dispositivos sociais da Rede (CRAS, Criança feliz, escolas, NUCA, dentre outros) e aquisição de um transporte específico para o setor de PNI.

A fim de garantir que os pais pudessem ter acesso aos serviços de saúde, para poder vacinar seus filhos, o município começou a planejar atendimentos noturnos nas UBS para que os trabalhadores do comércio e das fazendas pudessem levar suas crianças nos horários pós-trabalho, acontecendo estes atendimentos uma vez por mês em cada Unidade, com datas divulgadas com antecedência para garantia da presença dos usuários neste dia. Aos profissionais que trabalham nestes horários, é pactuado um dia de folga a ser decidido em comum acordo entre eles e a Coordenação de Atenção Primária. Além disso, nas ações de PSE (Programa Saúde na Escola), foi inserido em todas as programações, a vacinação, e a antropometria como procedimentos sempre disponibilizados nas atividades, para garantir a atualização das cadernetas vacinais e dados de peso e altura para alimentação do SISNAN e do PROTEJA. Estas atividades têm sido realizadas em todas as escolas municipais, em parceria do setor de PNI, coordenação do PSE, Equipes de saúde da família e equipe do NASF. Para os adultos, o município tem organizado mutirões nas zonas rurais, para garantir acesso aos serviços de saúde que os trabalhadores não conseguem, devido o horário de trabalho nas fazendas, então em cada mês, é realizado um conjunto de ações voltadas para os trabalhadores, incluindo a vacinação. Estas ações acontecem nas Fazendas do distrito de Vermelhos, em que priorizamos as vacinas da saúde do adulto, como tétano, Hepatite B, COVID-19, tríplice viral e dentre outros. É uma das atividades mais procuradas nos mutirões. Em busca de qualificar os serviços de saúde e melhor a assistência aos usuários, a prefeitura tem buscado a certificação do selo Unicef, com a mobilização das secretarias municipais de saúde, educação e assistência social. Conjuntamente, os gestores têm avançado em cada etapa. A última conquistada neste ciclo, foi a adesão a plataforma BAV (Busca ativa vacinal) em que o município se compromete em promover ações e monitoramento das crianças até 6 anos que precisam ser vacinadas. Além disso, o município tem um Plano municipal de primeira infância, em que propõe várias atividades para este público, sendo a vacinação, uma das prioridades, como: Capacitação de todos os serviços do município que tenham contato com famílias, como CRAS, CREAS, Criança feliz, CAPS, escolas, para que os trabalhadores saibam quais as vacinas as crianças devem tomar de acordo com cada faixa etária e preencher o checklist das vacinas apresentadas na caderneta da criança e as doses atrasadas. Este checklist vai ser recolhido mensalmente pela Coordenação de PNI do município e estas crianças serão localizadas por busca-ativa pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Além disto está previsto para o ano de 2024, que as crianças em período de matrícula escolar, as cadernetas de vacinação possam ser conferidas pelo setor da educação, e as vacinas atrasadas, possam ser primeiramente atualizadas para em seguida, as matrículas serem realizadas. A Coordenação de PNI desenvolveu um check-list próprio para divulgar nas escolas e associarmos a caderneta de vacinação atualizada com a matrícula regular do aluno (ANEXO A). Além das campanhas de vacinação do calendário do Ministério da Saúde, foram feitas Campanhas de vacinação local nos sábados na Feira livre, descentralização da vacina BCG para a área de Vermelhos uma vez por semana. Também entrou na rotina das UBS a busca ativa com vacinação nos territórios de acamados e localidades de difícil acesso e compra de computadores para suprir o déficit de equipamentos nas salas de vacina. Sobre as qualificações para os profissionais da Rede foram trabalhados os seguintes temas: Organização da sala de vacina, Administração de imunobiológico, Registros de vacinação em Sistemas de Informação, Movimentação de imunobiológico em Sistema de Informação, Calendário vacinal e busca ativa. A partir destas ações em 2022, já é possível detectar uma melhora da cobertura vacinal do município, destacando principalmente a partir de setembro do ano passado, em que houve uma intensificação das ações. Exceto as vacinas BCG e Hepatite B (menor que 30 dias), as vacinas do calendário básico estão todas com porcentagens próximas ao que ´é recomendado pelo Ministério da Saúde, o que tem motivado o município a continuar nas atividades e buscar novas soluções para voltar o patamar de antes. Para melhorar a situação do registro das vacinas BCG e Hepatite B, foi centralizado a garantia do registro das doses na própria secretaria de saúde, já que estava vendo a dificuldade de registro no Hospital Municipal local. Infelizmente, historicamente temos dificuldade de ter uma cobertura maior devido o volume de nascimentos em Petrolina e Juazeiro, problemática já apontada em parágrafos acima.

A gestão municipal de saúde entende que este desafio de melhorar as coberturas vacinais de todos os ciclos de vida depende de todos os atores sociais do município. Além de garantir toda a estrutura física, insumos e profissionais nos serviços dispostos a vencer as dificuldades, é necessário que a população possa compreender o seu papel de se vacinar e acreditar nos benefícios da vacina. O Conselho Municipal de saúde tem uma importância grande nesta questão, em que a coordenação do PNI compartilhará as informações de cobertura vacinal nas reuniões de conselho para sensibilizar os conselheiros a contribuir nesta tarefa. O município também está muito motivado a avançar nas ações intersetoriais, com a aplicação do check -list nos dispositivos da Rede, em que terá várias oportunidades de acompanhar a situação vacinal do município e planejar outras ações além do PSE para atingir o público-alvo. Estas ações serão efetuadas a partir de junho de 2023 e teremos a apresentação de resultados parciais no mês de agosto na Semana do bebê, prevista como ação intersetorial entre saúde, educação e assistência social. Sendo assim, esperamos que em 2024 teremos excelentes resultados de cobertura vacinal, voltando a ser um dos municípios destaque pelas ações desenvolvidas na nossa região de saúde.

Principal

MICHELLY BEZERRA DOS SANTOS RABELO

Coautores

George Luis do Nascimento Barboza, Italo Ferreira dos Santos, Bergson Almeida Ferreira

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro