Olá,

Visitante

Descentralização do Teste Rápido e do Aconselhamento de Hiv, Sífilis e Hepatites para a Rede Básica de Atenção À Saúde de Campos dos Goytacazes /Rj

O município de Campos dos Goytacazes possui população estimada de um pouco mais que 503.000 habitantes (IBGE, 2018) com área territorial de 4.032,435 km². São 72 Unidades de Atenção Básica equalizadas nessa dimensão territorial. O processo de trabalho em saúde do Programa Municipal DST/AIDS e Hepatites Virais sustenta atividade especializada com participação ativa na Rede de Atenção à Saúde e intersetorialidade. Acompanhando o movimento da política de descentralização do aconselhamento e teste rápido de HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), sífilis e hepatites (BRASIL, 2003) a Unidade de Saúde em destaque treina e supervisiona profissionais da Atenção Básica e outros Centros de Referência do município e municípios vizinhos, inovando nas soluções desse campo de atuação, visando à garantia do direito à saúde.

A experiência de descentralização do aconselhamento e teste rápido de HIV, sífilis e hepatites para a rede básica de atenção à saúde de Campos dos Goytacazes / RJ e as possibilidades de avanço dessa práxis na dialogicidade entre os níveis de atenção à saúde e intersetorialidade.

Reconhece-se a potencialidade de alcance do aconselhamento e teste rápido de HIV, sífilis e hepatites quando há descentralização da abordagem às Unidades de Atenção Básica do município, porta de entrada do Sistema Único de Saúde – SUS, garantindo o acesso universal e igualitário à tecnologia de cuidado para triagem e diagnóstico de doenças infecciosas pelo usuário. O tempo reduzido, quando se pensa no percurso de uma Rede de Assistência à Saúde e o aceleramento do tratamento pôde-se verificar, diminuindo a ansiedade de quem necessita do serviço. A programação descentralizada e o desenvolvimento de ações setoriais e intersetoriais, com foco em um território específico, foi instituída na regionalização do cuidado em saúde. A operacionalização das visitas às Unidades Básicas, com avaliação e monitoramento, será avanço no processo de matriciamento para a construção de lógicas de trabalho mais horizontais entre as equipes especializadas e as equipes de Atenção Básica (ROCHA et. al., 2016).

Principal

Paula Alvarenga de Figueiredorodrigo Rodrigues de Azevedoleonardo Marques Pessanha Constância do Socorro Leal Prestes Hélia Vargas Simões de Carvalhomarcelly Tiffany Pereira Silva

paula01alvarenga@gmail.com

A prática foi aplicada em

Bahia

Nordeste

Instituição

Campos dos Goytacazes

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Paula Alvarenga de Figueiredo

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Teste: verificando o recurso de emissão de certificados
Todos os Estados (Sudeste)
Práticas
Gestão de saúde em Queimadas – PB: uso estratégico da informação no planejamento das ações
Paraíba
Práticas
Implantação e ampliação de Serviço Especializado em município do sertão da Paraíba
Paraíba
Práticas
Gestão de saúde de Cabedelo na implantação da nova lei de licitações: desafios e conquistas
Paraíba
Práticas
Processo de elaboração do Plano Municipal de Saúde 2022-2025- relato de experiência.
Paraíba
Práticas
INFORMATIZAÇÃO DA REGULAÇÃO MUNICIPAL COM A ATENÇÃO PRIMÁRIA COMO COORDENADORA DO CUIDADO
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da implantação de sistema de regulação de exames no Município de mendes.
Rio de Janeiro