Olá,

Visitante

Da Busca-Ativa às Altas Coberturas Vacinais: Fortalecendo as Ações de Imunização da Região Serrana Fluminense

Categoria não especificada

A Região Serrana possui 16 municípios, com 976.775 habitantes, correspondendo a 5,62% da população do Estado do Rio de Janeiro, sendo a segunda maior região em extensão territorial e a mais populosa do interior do estado. Método: Relato de experiências exitosas das Estratégias de Fortalecimento das Ações de Imunização desenvolvidas por cinco municípios distintos, que representam a diversidade regional: Cachoeiras de Macacu (59.652), Petrópolis (307.144), Santa Maria Madalena (10.380), São José do Vale do Rio Preto (22.032) e São Sebastião do Alto (9.416). Desafio: Reverter à queda na cobertura vacinal na região, motivada principalmente pelas poucas salas de vacinação distribuídas nos territórios, horário de funcionamento restrito destas salas, rotatividade dos profissionais de saúde, UBS sem estruturas físicas adequadas para oferta de imunobiológicos, fake news e o vazio sanitário de extensas áreas rurais de difícil acesso. Estratégias: Promover a ampliação da cobertura vacinal, através de ações de imunização articuladas com outras secretárias municipais, prioritariamente as secretarias de educação e de comunicação; visando atingir as metas em crianças e adolescentes, além de divulgar ações educativas de combate as Fake News. Destaca-se como estratégia dos 05 municípios em tela, a ampliação do horário de atendimento a população para o período noturno e aos sábados; ações em espaços comunitários como associações, escolas, igrejas e festas municipais; a ampliação das estratégias de comunicação com a divulgação do calendário de ações itinerantes de imunização nas áreas rurais, veiculadas nas redes sociais, rádios, lembretes por WhatsApp dos profissionais de saúde e usuários, panfletagem nos transportes públicos e fixação de cartazes no comércio local; contratação de profissionais para registros das doses aplicadas; aquisição de equipamentos de informática; realização de ciclos de vacinação itinerante/volantes em áreas com vazio sanitário; capacitação e aquisição de motocicletas para os ACS; assim como a adoção de procedimentos para realização de busca ativa. Resultados: Foi identificado aumento nas coberturas vacinais destes cinco municípios: Cachoeiras de Macacu (44,68% para 62,27% no segundo semestre do ano de 2022); Petrópolis (76,12% em 2021 para 80,37% 2022, havendo melhora em 8 das 9 vacinas avaliadas) Santa Maria Madalena: (43,64% em 2021 para 76,79% em 2022); São José do Vale do Rio Preto (68,21% em 2021 para 100,53% na campanha de sarampo em 2022); e São Sebastião do Alto (43,75% para 83,99% no segundo semestre do ano de 2022). Conclusões: Através do SUS, os municípios investiram e aprimoraram as iniciativas voltadas para garantia da cobertura vacinal em contextos muito diferentes, desde as regiões urbanas até as regiões com vazios sanitários e com baixa densidade populacional, permitindo o fortalecimento do vínculo com o usuário e colocando as cadernetas de vacinação em dia. Portanto é vital pensar em toda a cadeia que garante a “vacina no braço” de cada munícipe, o que envolve compromisso e atuação incisivos e vigilantes da atenção primária.

Reverter à queda na cobertura vacinal na região, motivada principalmente pelas poucas salas de vacinação distribuídas nos territórios, horário de funcionamento restrito destas salas, rotatividade dos profissionais de saúde, UBS sem estruturas físicas adequadas para oferta de imunobiológicos, fake news e o vazio sanitário de extensas áreas rurais de difícil acesso.

Promover a ampliação da cobertura vacinal, através de ações de imunização articuladas com outras secretárias municipais, prioritariamente as secretarias de educação e de comunicação; visando atingir as metas em crianças e adolescentes, além de divulgar ações educativas de combate as Fake News. Destaca-se como estratégia dos 05 municípios em tela, a ampliação do horário de atendimento a população para o período noturno e aos sábados; ações em espaços comunitários como associações, escolas, igrejas e festas municipais; a ampliação das estratégias de comunicação com a divulgação do calendário de ações itinerantes de imunização nas áreas rurais, veiculadas nas redes sociais, rádios, lembretes por WhatsApp dos profissionais de saúde e usuários, panfletagem nos transportes públicos e fixação de cartazes no comércio local; contratação de profissionais para registros das doses aplicadas; aquisição de equipamentos de informática; realização de ciclos de vacinação itinerante/volantes em áreas com vazio sanitário; capacitação e aquisição de motocicletas para os ACS; assim como a adoção de procedimentos para realização de busca ativa.

Foi identificado aumento nas coberturas vacinais destes cinco municípios: Cachoeiras de Macacu (44,68% para 62,27% no segundo semestre do ano de 2022); Petrópolis (76,12% em 2021 para 80,37% 2022, havendo melhora em 8 das 9 vacinas avaliadas) Santa Maria Madalena: (43,64% em 2021 para 76,79% em 2022); São José do Vale do Rio Preto (68,21% em 2021 para 100,53% na campanha de sarampo em 2022); e São Sebastião do Alto (43,75% para 83,99% no segundo semestre do ano de 2022). Conclusões: Através do SUS, os municípios investiram e aprimoraram as iniciativas voltadas para garantia da cobertura vacinal em contextos muito diferentes, desde as regiões urbanas até as regiões com vazios sanitários e com baixa densidade populacional, permitindo o fortalecimento do vínculo com o usuário e colocando as cadernetas de vacinação em dia. Portanto é vital pensar em toda a cadeia que garante a “vacina no braço” de cada munícipe, o que envolve compromisso e atuação incisivos e vigilantes da atenção primária.

Principal

ALESSANDRA COUTINHO PAINS MANHAES

Coautores

Alessandra Sauan do Espírito Santo Cardoso, Elaine Dutra Fialho, Elisangela Rodrigues Vitoriano, Lucinéa Machado Madeira da Costa, Nara Leandra Pereira da Silva, Thayene Almeida Varella, Virgínia Lima Gonçalves Neves

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba