Olá,

Visitante

Censo Vacinal Com Crianças Menores de Ano e 1 Ano de Idade: uMA Estratégia para Alcance Das Altas Coberturas Vacinais no Município de Mamanguape – Paraíba

Categoria não especificada

O Município de Mamanguape pertencente ao Estado da Paraíba, está localizado na microrregião do Litoral Norte e fica a uma distância de 42 km² da Capital do Estado. Administrativamente, pertence a 1ª gerencia regional de Saúde (GRS), fazendo parte da I macrorregião de saúde. Na Rede de Atenção à Saúde (RAS) do município, a Atenção Básica está presente com 18 Unidades Básicas de Saúde (UBS), todas com sala de vacina, garantindo aos usuários, a partir do princípio da Universalidade, o acesso universal e contínuo a serviços de saúde. A Atenção Básica tem a responsabilidade de programar as ações a partir de sua base territorial e, objetivando direcionar ações que proporcionem o alcance da meta vacinal e proteger a população das doenças imunopreveníveis, o município propôs como estratégia, a execução do censo vacinal com crianças menores de 1 ano e 1 ano de idade em todo território municipal, nas áreas de abrangência de cada UBS. Os programas de vacinação são uma importante medida de saúde pública que salva milhões de vidas todos os anos. É provável que nos próximos anos as autoridades de saúde precisem lidar com uma mistura difícil de regressão nas taxas de vacinação de rotina e hesitação vacinal, portanto, a estratégia institucional utilizada pelo município de Mamanguape, organizada no intuito de fortalecer as ações de imunização e melhorar as coberturas vacinais no município, é o CENSO VACINAL, através de instrumento específico utilizado pelo Agente Comunitário de Saúde em sua área de abrangência.

A vacinação é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das intervenções mais importantes do ponto de vista econômico, de saúde e comunitário. Os benefícios de uma população imunizada são coletivos, contudo, o desafio posto é o de mobilizar pessoas e comunidades para elevar taxas de vacinação ao longo do tempo. A complexidade deste desafio passa pelo reconhecimento da diversidade dos imunizantes e aspectos culturais da aceitação. (BRASIL, 2023) Os programas de vacinação são uma importante medida de saúde pública que salva milhões de vidas todos os anos. É provável que nos próximos anos as autoridades de saúde precisem lidar com uma mistura difícil de regressão nas taxas de vacinação de rotina, aumento das necessidades de atenção primária à saúde, lacunas nos registros de vacinação e hesitação vacinal. Por esse motivo, iniciativas devem ser elaboradas e implementadas nos níveis local, estadual e nacional para alcançar altas taxas de imunização em nível populacional. (BRASIL, 2023) Diante dessa problemática e identificando níveis relativamente baixos referente às coberturas vacinais do município de Mamanguape, propomos a implementação do censo vacinal com crianças menores de 1 ano e 1 ano de idade, através de instrumento utilizado pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). As visitas realizadas pelos ACS, representam uma oportunidade de esclarecimento sobre fluxos e formas de acesso à unidade de referência, de avaliar a adesão aos protocolos e rotinas de acompanhamento da saúde da criança, além de serem uma ferramenta de busca ativa, e, portanto, uma importante estratégia de vigilância em saúde. Assim, torna-se fundamental qualificar cada vez mais o papel dos ACS, ampliando sua atuação no território. (BRASIL, 2023)

Como apresentado, a estratégia institucional utilizada pelo município de Mamanguape, organizada no intuito de fortalecer as ações de imunização e melhorar as coberturas vacinais no município, é o CENSO VACINAL. Inicialmente, as equipes devem realizar o diagnóstico situacional do território, a fim de reconhecer sua população alvo. Em seguida, identificar e cadastrar ou atualizar o cadastro do indivíduo caso seja necessário. Durante as visitas domiciliares, os ACS verificam o cartão de vacina da criança e registram no instrumento utilizado para realização do Censo, as doses aplicadas de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. A partir disso, compete a equipe de enfermagem, verificar o registro de doses aplicadas no sistema, aplicar o imuno em tempo oportuno e monitorar as planilhas mensalmente. Vale ressaltar que todos os profissionais de enfermagem que atuam na Atenção Básica assim como, todos os ACS, passaram por atividade de educação permanente sobre atualização do calendário vacinal. Assim, ao realizar o censo, o ACS será capaz de identificar no ato da visita, se existe registro de doses aplicadas, se há doses em atraso e direcionar para atendimento na unidade. Os resultados obtidos no Censo Vacinal são específicos para a área adstrita onde foi feita a coleta dos dados, assim sendo, compete a cada equipe da Estratégia Saúde da Família desenvolver as ações planejadas, de acordo com a realidade do território. A partir do planejamento e das análises realizadas, o serviço de vacinação deverá sistematizar estratégias de intervenção e correção de problemas detectados, observando algumas etapas: identificar problemas e elaborar propostas de intervenção; definir atores responsáveis pelas ações e monitorar os processos e execução; avaliar efetividade da intervenção; produzir e disseminar informação. (BRASIL, 2022)

A Estratégia Saúde da Família se caracteriza como um modelo de atenção à saúde a partir da atenção básica e sua atuação no desenvolvimento das atividades inerentes à vacinação, seja na Unidade Básica de Saúde (UBS) ou na comunidade, em visitas domiciliares, coloca-se como atribuição fundamental dos profissionais que compõem as equipes. (pesquisa nacional) A implementação do Censo Vacinal se caracteriza como uma ação estratégica que, somada às atividades da equipe, poderá contribuir positivamente para identificação de comprovação vacinal ou ausência desta, através de uma rotina de avaliação mensal. Com relação às fragilidades encontradas, podemos citar algumas: adesão e aplicabilidade do instrumento na rotina dos agentes comunitários de saúde, monitoramento mensal do instrumento pela equipe de enfermagem, garantia de acesso à vacinação quando identificados esquemas vacinais incompletos. Contudo, todos os problemas acima apontados, fazem parte dos processos de trabalho e da rotina profissional de cada categoria, podendo assim levar um tempo para adequação dos serviços, mas, sendo possível sua execução.

Principal

MAYSA BARBOSA RODRIGUES TOSCANO

Coautores

AMANDA PATRÍCIA GOMES DA SILVA, MARIA DAS GRAÇAS GOMES DE LIMA, RAFAEL AIRES TENÓRIO

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Abordagem multiprofissional a usuários em processo de reabilitação física em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Grupo de trabalho Proteja: estratégias de combate à obesidade infantil no município de Alagoinhas – PB
Paraíba
Práticas
Expansão do teste do pezinho no município de Umbuzeiro – PB : garantindo triagem neonatal nas comunidades rurais.
Paraíba
Práticas
Odontologia de mínima intervenção e Programa Saúde na Escola: a saúde bucal além do consultório
Paraíba
Práticas
Saúde com o agente : uma formação sem ponto final.
Paraíba